spot_img
- Publicidade -spot_img
- Publicidade -spot_img

Tbilisi, uma capital moderna no centro do Cáucaso

A cidade de Tbilisi, capital da Geórgia, é uma cidade moderna que não esquece a sua herança de ponto de encontro de culturas, ao mesmo tempo que é o ponto de partida ideal para conhecer o país.

Tbilisi é uma cidade rodeada por três elevações montanhosas e atravessada pelo Rio Mtkvari, e tem nas suas nascentes termais uma possível justificação para a sua fundação e nome, sendo que tbili significa “quente” em georgiano ancestral.

E pode ser pelo bairro de Abanotubani, onde se encontram os populares banhos de enxofre, que começa uma visita à capital da Geórgia. As instalações para os banhos encontram-se dividas num complexo com cúpulas de tijolo e outro com uma entrada num edifício adornado com coloridos azulejos ao estilo árabe, que combina na perfeição com as varandas das casas de Tbilisi, reminiscentes de um jeddah em Marraquexe.

E se subir o pequeno ribeiro desta zona, conhecido como rio Tsavkisi-Tskali, atravessando uma pitoresca ponte adornada pelos tradicionais cadeados de casais apaixonados, vai chegar à cascata de Legvtakhevi. Este recanto de Tbilisi, no distrito de Legvtakhevi, é um verdadeiro postal da Costa Rica, tirando partido da cascata, do enclave em rocha onde se encontra a mesma e da vegetação, cujas árvores de figo deram nome ao distrito.

A feira da ladra local, o Dry Bridge Market, é de paragem obrigatória para conhecer um pouco mais da história deste povo, através de pequenas bancas com antiguidades do tempo soviético, desde crachás a pins, passando por antigas máquinas fotográficas, posters, bandeiras, e roupas, além de ser possível encontrar artistas locais e os seus trabalhos em pintura, artesanato ou escultura, entre outros. Esta feira encontra-se junto à ponte e numa zona de parque, o que confere uma sombra agradável nos dias de passeio mais quentes.

A próxima paragem é o Museu Histórico de Tbilisi, que apropriadamente se encontra num antigo “caravanserai” do século XVII, um tipo de alojamento ou estalagem frequentado pelos comerciantes da Rota da Seda. Este museu desvenda uma parte importante da história da Geórgia, os seus vinhos de produção natural cujo processo data de pelo menos há 8.000 anos e ainda hoje é utilizado.

A produção do vinho natural da Geórgia é realizada em qvevris (ou kvevris), espécie de ânfora utilizada para fermentação, seguindo o calendário lunar. Uma visita a este espaço permite não só saber mais sobre o processo de fermentação destes néctares, como também experimentá-los em provas de vinho que abragem os brancos, tintos, rosés e ainda o vinho cor de âmbar característico deste processo de fermentação.

Este espaço conta com colaboração do sommelier Jaba Dzimistarishvili, nomeado o melhor do país em 2020-21, que realiza provas de vinho comentadas, e vai ter em breve um espaço de restauração a cargo do chef Levan Kobiashvili, do restaurante Barbarestan.


E para terminar o dia com um pôr-do-Sol digno de um passeio por esta capital, a sugestão é ir para o Parque Rike, não para se sentar num banco de jardim, mas sim num teleférico que o leva até à Fortaleza de Narikala, numa das zonas montanhosas que ‘protege’ a cidade.


O teleférico oferece um passeio panorâmico sobre a cidade, enquanto que a Fortaleza de Narikala oferece uma vista privilegiada sobre a mesma. Segundo a história, esta fortificação foi destruída e construída cerca de 40 vezes.

Neste “vantage point” é possível admirar a cidade e, por sugestão da nossa guia, constatar que é possível encontrar igrejas, sinagogas e mesquitas próximas umas das outras.

O nosso grupo teve a oportunidade de fazer uma visita rápida à Catedral Sioni, uma das principais igrejas Ortodoxas da cidade até à construção da Catedral da Santíssima Trindade, e apreciar o seu altar do século XIX e a Cruz de Santa Cristiana, uma das impulsionadoras do Cristianismo neste país. Também foi possível visitar o exterior da Igreja da Virgem Maria de Metekhi, que se encontra numa colina com vista para o centro histórico da cidade.

O alojamento foi no Sheraton Grand Tbilisi.

O PressTUR viajou a convite da Embaixada da Geórgia em Portugal

Continue a ler sobre a Geórgia:
Conheça Sakartvelo, o ponto de paragem da Rota da Seda no Cáucaso
Tbilisi, uma capital moderna no centro do Cáucaso
Mtskheta: A Cidade Sagrada da Geórgia e os seus monumentos UNESCO
Uplistsikhe e Vani: Vestígios de uma era pagã na Geórgia
A Natureza na Geórgia: Desfiladeiros, cavernas e zip line antes de relaxar no Spa
Conheça a gastronomia única da Geórgia
Vinho na Geórgia: uma história com pelo menos 8.000 anos

- Publicidade -
- Publicidade -spot_img