spot_img
- Publicidade -spot_img
- Publicidade -spot_img

Actividades à medida estão a crescer na Picos de Aventura – Tiago Botelho

As experiências à medida, que eram procuradas sobretudo por empresas, estão a ganhar mercado entre as famílias e os casais que visitam os Açores com a Picos de Aventura, empresa de animação turística do Grupo Newtour.

Além da programação definida de observação de cetáceos, canyoning, excursões e outras actividades, a Picos de Aventura, que está presente em São Miguel e na Terceira, oferece “experiências à medida”, personalizadas consoante os objectivos dos clientes.

A procura destas actividades “tailor-made” tem registado uma evolução, segundo Tiago Botelho, coordenador Comercial e de actividades em terra da Picos de Aventura, que falava aos jornalistas em Ponta Delgada.

As experiências à medida eram solicitadas sobretudo “por empresas e eventos, antes das low cost [voarem para os Açores]”, mas hoje em dia existe “um apelo muito maior das experiências tailor-made” por famílias e casais, “principalmente do mercado norte-americano”.

Os pedidos à medida incluem “passeios de buggy, experiências gastronómicas, degustação de vinhos”, entre outras actividades.

O best-seller da Picos de Aventura, porém, continua a ser a observação de baleias e de golfinhos, que pode ser feita em catamarã, semi-rígido e barco de fibra. Com os investimentos feitos nas embarcações “conseguimos dar resposta a um público muito variado, de famílias com crianças até pessoas com mais idade”, frisou o coordenador Comercial da empresa.

Das actividades em terra, Tiago Botelho destaca a oferta de “actividades que apelam a um público mais jovem, como o canyoning, os passeios pedestres, a canoagem e os passeios de bicicleta, e também os tours em carrinha ou autocarro que dão resposta a um público muito mais alargado”.

Uma das mais procuradas é o canyoning, que a Picos de Aventura propõe em duas regiões em São Miguel: no Salto do Cabrito, na zona da Ribeira Grande; e na Ribeira dos Caldeirões na zona Nordeste, “onde levamos milhares de pessoas todos os anos, é um dos ex-libris”.

As Furnas são outro destaque: “é aqui que desenvolvemos a actividade de canoagem e uma das experiências que tem mais procura, que é o combinado de canoagem com passeios de bicicleta ou com a visita guiada ao Parque Terra Nostra”.

Apesar do crescimento de alguns mercados internacionais, o principal mercado emissor de clientes para a Picos de Aventura continua a ser Portugal, avançou na mesma ocasião Carlos Baptista, administrador da empresa.

Sobre os mercados internacionais, além da Alemanha e Escandinávia, “historicamente fortes”, o administrador destacou o crescimento dos clientes de França, Espanha e Estados Unidos, “por força das ligações aéreas”.

Apesar de ter alguns clientes que reservam as actividades já no destino, “a grande força de venda” da Picos de Aventura são as DMC (Destination Management Companies) locais, os operadores turísticos e algumas agências de viagens, acrescentou Carlos Baptista.

Ver também:

Picos de Aventura “está a fazer o seu melhor ano de sempre”

“Os Açores têm condições extraordinárias para o turismo durante o Inverno” – Carlos Baptista

“Os cetáceos não são nossos e não têm fronteiras”, é preciso preservar – Pedro Miguel Silva

- Publicidade-
- Publicidade -spot_img

Últimas Notícias