spot_img
- Publicidade -spot_img
- Publicidade -spot_img

Turistas estrangeiros dão a Portugal uma recuperação acentuada pós-covid

Apenas três dos 13 maiores emissores de turistas para Portugal ainda mostraram em Maio ‘resquícios’ do impacto da covid-19, com os cidadãos dos dez restantes a proporcionarem a Portugal um novo máximo de receitas turísticas num quinto mês do ano, no montante de 1.759,43 milhões de euros, que supera em quase 200 milhões o anterior melhor Maio, o de 2019, pré-pandemia.

Este quadro é evidenciado, aliás, pelo Banco de Portugal, que ao divulgar os dados mais recentes da Balança de Pagamentos assinala que “as exportações e as importações de serviços aumentaram, respectivamente, 102,0% e 63,3% relativamente a maio de 2021” e que “para esta evolução contribuíram, em particular, as rubricas de viagens e turismo, de transporte aéreo e de serviços de telecomunicações, informáticos e de informação”.

E específica: “as exportações e as importações de viagens e turismo cresceram, em termos homólogos, respectivamente, 223,1% e 86,0%, permitindo que o excedente desta rubrica aumentasse 978 milhões de euros, para 1247 milhões de euros”.

Ou seja, como se não tivesse havido uma pandemia de covid-19 que acarretou fortes constrangimentos às viagens e ao turismo, com quebras de receitas brutais.

Os dados do banco central português indicam, aliás, que quando ainda se tenta perceber que rumos vai a doença seguir, Portugal teve os melhores primeiros cinco meses de sempre em gastos de turistas residentes nos Estados Unidos (para mais ler: Turistas dos Estados Unidos estabeleceram em Maio novo recorde absoluto de gastos em Portugal).

Mas não só, pois desde logo os valores globais são os melhores de sempre.

As receitas turísticas portuguesas, que são o somatório de gastos no país de turistas não residentes, ultrapassaram os 6.000 milhões de euros nos primeiros cinco meses, com quase 230 milhões (+3,9%) relativamente ao período homólogo de 2019, pré-pandemia, assente em aumentos das maiores regiões emissoras, ou seja da Europa e da América.

Os dados do Banco de Portugal indicam que os gastos em Portugal de turistas residentes em países europeus ascenderam a 4,8 mil milhões de euros, que traduzem um aumento em 7,8% ou 350 milhões em relação ao período homólogo de 2019, com o aumento de gastos por residentes em países da Zona Euro a atingir 13,4% ou quase 380 milhões de euros.

A contribuir para o aumento de receitas estiveram também os turistas residentes no continente americano, cujos gastos em Portugal ascenderam a 846,68 milhões de euros nos primeiros cinco meses, com um aumento em 4,5% ou 36 milhões em relação ao período homólogo de 2019.

- Publicidade-spot_img
- Publicidade -spot_img

Últimas Notícias