spot_img
- Publicidade -
- Publicidade -spot_img

Ryanair divulga análise à sua oferta nas ‘OTAs pirata’

A Ryanair divulgou os resultados de um levantamento que fez à sua própria oferta em sites de agências de viagens online, OTAs, identificando casos de cobrança excessiva e de vendas indevidas.

A low cost classificou a On The Beach como ‘Nº1 Pirate’, pirata nº1, justificando este ‘trono’ com uma sobretaxa de 117% aplicada a mudanças de voo, 125 libras, cerca de 146,4 euros, quando o preço no site da Ryanair é de 45 libras, cerca de 52,7 euros.

A On The Beach também é salientada por uma sobretaxa de 71% para malas de 20 quilogramas, cobrando 34,99 euros, quando o preço na Ryanair é de 20,49 euros.

O comunicado particulariza ainda casos como uma sobretaxa de 26% por “priority board” que na eSky tem o preço de 29 euros, enquanto que no site da low cost o custo é de 23 euros. Há ainda a “service” fee da Opodo, no valor de 60 euros, e a “canx” fee da eSky, com o custo de 33 euros, consideradas pela low cost taxas inventadas pelas OTAS.

A Ryanair afirma que continua a fazer campanha contra cobranças excessivas e vendas indevidas por parte de agências de viagens online (OTAs), particularizando a On The Beach, a LastMinute.com, a eDreams, Opodo e a Booking.com. A low cost apela aos governos do Reino Unido e da Irlanda, bem como às agências de consumidores da UE para tomarem medidas.

A Ryanair assinou recentemente parcerias com OTAs como a loveholidays e a Kiwi, que passaram a oferecer acesso directo aos produtos da low cost, com preços praticados pela mesma. Um mês antes desta parceria, a companhia irlandesa apelidava estas duas OTAs de “piratas”.

Veja: Ryanair assina acordo com OTA que há menos de um mês dizia ser “pirata”

Saiba mais sobre a low cost aqui.

 

- Publicidade-
- Publicidade -spot_img