Situação pandémica melhora na Tunísia e OMS pede para acelerar vacinação

03-08-2021 (15h07)

A situação pandémica está a melhorar ligeiramente na Tunísia, anunciou a Organização Mundial da Saúde (OMS), pedindo àquele país do norte de África que “acelere” a campanha de vacinação, após o pico de infecções por covid-19 ter passado.

“Os dados epidemiológicos estão a ir na direção certa. […] Temos a sensação de que o pico da pandemia pode ter passado”, explicou o representante da OMS na Tunísia, Yves Souteyrand, demonstrando cautela.

De acordo com Yves Souteyrand, citado pela Agência Lusa, a variante Delta representa ainda “mais de 90% dos casos de infeção” e o impacto das reuniões familiares organizadas durante a Festa do Sacrifício, “Eid al-Adha”, ainda não foi possível se avaliado, mas corre o risco de impedir o progresso da vacinação.

A Tunísia registou nos últimos sete dias a pior taxa de mortalidade do mundo devido à covid-19, com 10,64 mortes por 100 mil habitantes, segundo a contabilização da agência de notícias AFP, elaborada a partir de dados oficiais.

No entanto, a OMS especifica que Tunes partilha a informação relativa à pandemia de forma muito mais transparente do que outros países.

Com hospitais saturados, falta de oxigénio e vacinas, o país magrebino tem beneficiado de doações de todo o mundo, nos últimos dias.

Segundo Yves Souteyrand, a Tunísia “recebeu cerca de sete milhões de doses de vacinas, em 10 dias, e vai receber talvez [mais] dois ou três milhões” em breve. “O desafio é acelerar a campanha de vacinação”, realçou.

O Presidente tunisino, Kais Saied, tomou o poder, depois de ter suspendido o parlamento na passada quarta-feira, uma medida denunciada como um golpe pelos seus opositores.

Saied assumiu plenos poderes em 25 de Julho, suspendeu o parlamento por pelo menos 30 dias e afirmou pretender “salvar” o país do Magrebe, 11,7 milhões de habitantes, assolado por meses de bloqueios políticos e um novo pico de covid-19, com uma das piores taxas de mortalidade oficiais do mundo.

Desde então, Kais Saied criou uma unidade de crise dedicada à gestão da pandemia, que coordena as atividades de vários ministérios, com a supervisão de um oficial militar sénior.

“Qualquer medida que permita uma resposta multissectorial […] para enfrentar uma crise deve ter um impacto positivo”, comentou Yves Souteyrand.

De acordo com o responsável da OMS, as relações entre a organização da Organização das Nações Unidas (ONU) e o Ministério da Saúde “não estão afectadas pela crise política”.

A OMS ofereceu 400 concentradores e quatro geradores de oxigénio à Tunísia.

Hoje, o Ministério da Saúde tunisino anunciou o lançamento de uma campanha de vacinação móvel em várias regiões do país.

Clique para ver mais: África

Share
Tweet
+1
Share
Comentários
Escrever comentário

Outras Notícias

A World For Travel anuncia cinco compromissos com o turismo sustentável

17-09-2021 (16h37)

O "Évora Fórum - A World For Travel", conferência dedicada ao turismo sustentável que decorreu na Universidade de Évora entre 16 e 17 de Setembro, definiu cinco compromissos urgentes.

Pandemia enfatizou importância da sustentabilidade na aviação – CEO da TAP

16-09-2021 (17h22)

A CEO da TAP, Christine Ourmières-Widener, disse hoje que indústria da aviação foi “bastante afectada” pela pandemia de covid-19 e, com esta crise, ganharam importância as questões da sustentabilidade.

Portugal espera atingir este ano metade das receitas turísticas de 2019

16-09-2021 (16h49)

A secretária de Estado do Turismo, Rita Marques, disse que Portugal espera atingir este ano metade das receitas turísticas de 2019, pré-pandemia, mantendo "a ambição" de alcançar em 2027 a marca de 28 mil milhões de euros.

Pandemia alertou para necessidade de gerir turismo em excesso - Pedro Siza Vieira

16-09-2021 (16h30)

A pandemia de covid-19 mostrou que “o problema do turismo em excesso precisa de ser gerido”, disse hoje o ministro da Economia e Transição Digital, Pedro Siza Vieira, durante uma conferência em Évora.

Maior navio de cruzeiros do mundo chega à Europa em Maio de 2022

16-09-2021 (15h54)

A Royal Caribbean anunciou que vai posicionar o maior navio de cruzeiros do mundo na Europa a partir de Maio de 2022, o Wonder of the Seas, que fará itinerários no Mediterrâneo com embarques em Barcelona e Roma.

Opinião e Análise