Um quarto dos adultos europeus já recebeu a primeira dose da vacina

04-05-2021 (14h11)

Foto: Unsplash / Steven Cornfield
Foto: Unsplash / Steven Cornfield

Um quarto dos adultos da União Europeia (UE) já recebeu a primeira dose da vacina contra a covid-19, anunciou hoje a Comissão Europeia, celebrando o marco das 150 milhões de vacinas administradas no espaço comunitário.

“A vacinação está a ganhar velocidade em toda a UE: acabámos de passar os 150 milhões de vacinas” administradas, anunciou a presidente da Comissão Europeia, Ursula Von der Leyen, no Twitter.

Juntamente com um vídeo comemorativo do marco, com fotografias de cidadãos europeus vacinados contra a covid-19, Ursula Von der Leyen sublinha  que “um quarto dos europeus [adultos] já tomou a sua primeira dose”.

“Teremos doses suficientes para vacinar 70% dos adultos da UE até Julho”, garante ainda a líder do executivo comunitário, dada a ambição de chegar à imunidade grupo.

Ainda assim, a meta oficial da Comissão Europeia é que, até final do Verão, 70% dos adultos europeus estejam imunizados com a vacina.

Actualmente, estão aprovadas quatro vacinas na UE: Comirnaty (nome comercial da vacina Pfizer/BioNTech), Moderna, Vaxzevria (novo nome do fármaco da AstraZeneca) e Janssen (grupo Johnson & Johnson).

A ferramenta online do Centro Europeu de Prevenção e Controlo das Doenças (ECDC) para rastrear a vacinação da UE e que tem por base as notificações dos Estados-membros, revela que uma média de 10,5% da população da UE está totalmente inoculada (com as duas doses da vacina contra a covid-19), enquanto 28,1% recebeu a primeira dose.

Em termos absolutos, equivale a 141 milhões de doses de vacinas administradas de 169 milhões de doses recebidas, sendo que os dados do ECDC dependem sempre das comunicações dos países e podem por isso não estar totalmente actualizados.

Além dos constantes atrasos na entrega das vacinas e em doses aquém das contratualizadas por parte da farmacêutica AstraZeneca, a campanha de vacinação da UE tem sido marcada por casos raros de efeitos secundários como coágulos sanguíneos após toma deste fármaco, relação confirmada pelo regulador europeu, como aliás aconteceu com a vacina da Johnson & Johnson.

 

Clique para ver mais: Europa

Share
Tweet
+1
Share
Comentários
Escrever comentário

Outras Notícias

British Airways anuncia mais voos para destinos de Sol, mas só na Grécia, Canárias e Turquia

11-05-2021 (15h53)

A British Airways, maior companhia do IAG, segundo maior grupo de aviação europeu, ‘entrou’ hoje na ‘onda’ do reforço da oferta para destinos de Verão, na sequência do relaxamento pelo Governo britânico das restrições às viagens, com a curiosidade de se concentrar na Grécia, Canárias e Turquia, excluindo Portugal, destino privilegiado por Ryanair, easyJet e Jet2.com.

easyJet reforça operação entre Portugal e Reino Unido com mais 20 mil lugares

11-05-2021 (14h51)

A easyJet anunciou um reforço da sua operação entre Portugal e Reino Unido, com mais 20 mil lugares nos voos entre os dois países, por ter verificado um "aumento da procura" pelos destinos portugueses, que diz resultar do anúncio pelo governo britânico de que Portugal faz parte dos destinos considerados seguros para viajar.

easyJet assinala entrada de Portugal na ‘lista verde’ do Reino Unido com voos Newcastle-Faro

10-05-2021 (19h15)

A companhia de aviação easyJet anunciou que vai voar entre Newcastle e Faro este Verão, a partir de 19 de Julho, com três frequências semanais.

Ryanair avança em força para aproveitar a ‘luz verde’ do Reino Unido às férias em Portugal

10-05-2021 (13h07)

A low cost Ryanair, pré-pandemia segunda maior companhia de aviação em passageiros transportados de/para Portugal, anunciou a inclusão de “175.000 lugares extra” em 75 voos adicionais do Reino Unido para Portugal para que os seus passageiros possam aproveitar a inclusão de Portugal na “lista verde” de destinos de lazer.

Governo britânico confirma Portugal na “lista verde” de viagens

07-05-2021 (23h27)

Portugal vai estar na “lista verde” de países considerados seguros para viajar e isentos de quarentena na chegada a Inglaterra a partir de 17 de Maio, anunciou hoje o ministro dos Transportes britânico, Grant Shapps.

Opinião e Análise