Reino Unido vai oferecer testes de covid-19 duas vezes por semana

05-04-2021 (16h33)

O Governo britânico anunciou hoje que todos os adultos e crianças vão passar a poder fazer testes de rotina à covid-19 duas vezes por semana, como forma de impedir novos surtos da infecção.

Numa altura em que o Reino Unido está a sair de um confinamento nacional, o primeiro-ministro, Boris Johnson, afirmou que testar regularmente pessoas que não apresentam sintomas vai ajudar "a interromper os surtos".

"[O objetivo é que seja possível] voltarmos a ver as pessoas que amamos e fazer as coisas de que gostamos", disse.

Os testes, que estarão disponíveis gratuitamente através de correio ou nas farmácias, permitem saber os resultados em 30 minutos, mas são menos precisos do que os testes de PCR usados para confirmar oficialmente os casos de covid-19.

O Governo sublinhou, no entanto, que estas análises são confiáveis e desempenharão um papel importante na abertura da sociedade a todo o tipo de atividades.

O primeiro-ministro anuncia hoje os próximos passos do país depois de um confinamento de três meses, devendo confirmar que cabeleireiros, lojas, bares e esplanadas vão reabrir em 12 de Abril.

É improvável que Boris Johnson anuncie uma data a partir da qual os britânicos poderão voltar a viajar de férias para fora do país, embora o Governo tenha já garantido que isso não acontecerá antes de 17 de Maio.

Desde o início da pandemia da covid-19, o Reino Unido totaliza 126.836 mortes entre 4.359.388 casos de infeção confirmados.

Até Sábado, mais de 31,5 milhões de pessoas tinham sido vacinadas contra a covid-19, das quais mais de 5,3 milhões completaram a vacinação, isto é, obtiveram a segunda dose que é administrada no país com um intervalo de três semanas a três meses.

As autoridades britânicas acreditam que o impacto da vacinação já está a ser sentido na redução da mortalidade e taxa de infeções.

No início desta semana, o primeiro-ministro britânico, Boris Johnson, disse que Abril seria "o mês da segunda dose" da vacina porque, devido à redução das reservas, está a ser dada prioridade às segundas doses, atrasando o alargamento a outros grupos etários.

Mais de 60% da população adulta já está imunizada, tendo o Governo fixado como meta que a primeira dose seja dada a todas as pessoas com mais de 50 anos até meados de Abril e a todos os adultos até ao final de Julho.

 

Clique para ver mais: Reino Unido

Share
Tweet
+1
Share
Comentários
Escrever comentário

Outras Notícias

MSC Cruzeiros lança novos itinerários para este Verão na Europa com pelo menos dez navios

16-04-2021 (17h02)

A MSC Cruzeiros divulgou para o mercado novos itinerários para viajar no Mediterrâneo e no Norte da Europa este Verão, com pelo menos dez navios, incluindo o seu novo MSC Virtuosa, que fará viagens a começar e a terminar em Lisboa a partir de Setembro.

Bruxelas contesta quarentena imposta por Dublin a cinco países da UE

16-04-2021 (16h16)

A Comissão Europeia contestou hoje junto das autoridades da Irlanda a quarentena obrigatória em hotel que está a ser imposta por Dublin a viajantes de vários países devido à covid-19, incluindo a cinco Estados-membros da União Europeia (UE).

Bruxelas aprova apoios de 150 milhões de euros para empresas dos Açores

16-04-2021 (15h40)

A Comissão Europeia deu hoje luz verde ao regime de apoios de 150 milhões de euros destinado a apoiar empresas na região dos Açores atingidas pela pandemia de covid-19, ao considerar a medida “necessária, apropriada e proporcional”.

Portugal passa a permitir voos do Brasil e Reino Unido para viagens essenciais

16-04-2021 (15h27)

O Governo português anunciou que os voos com origem ou destino no Brasil e Reino Unido são permitidos a partir de hoje para viagens essenciais, mantendo-se as medidas restritivas do tráfego aéreo devido à pandemia de covid-19.

Alemanha põe Algarve e Açores na lista de zonas de risco de contágio de covid-19

16-04-2021 (15h08)

A Alemanha, segundo maior mercado em dormidas para o alojamento turístico em Portugal, colocou hoje o Algarve e os Açores na lista de zonas de risco de contágio da covid-19, o que signfica que os turistas alemães terão de cumprir uma quarentena de dez dias no seu regresso.

Opinião e Análise