Booking.com sob investigação em Itália por evasão fiscal no valor de 150 ME

11-06-2021 (18h48)

Foto: Unsplash / Omid Armin
Foto: Unsplash / Omid Armin

O site de reservas de hotéis e alojamentos Booking.com é suspeito de ter ocultado mais de 150 milhões de euros em IVA, após uma investigação realizada pelas autoridades fiscais de Génova.

O Booking.com, um dos maiores sites mundiais de reservas de hotéis e alojamento para férias, com sede na Holanda, “falhou ao aplicar o imposto sobre a intermediação do aluguer de casas particulares e quartos de hóspedes”, afirmou a autoridade fiscal italiana em comunicado citado pela Agência Lusa.

A investigação, que abrangeu os anos de 2013 a 2019, “revelou uma evasão fiscal em grande escala, de mais de 150 milhões de euros no pagamento do IVA”, prosseguiu.

Nesse período, a plataforma de reservas arrecadou 700 milhões de euros em comissões na Itália, sobre as quais deveria ter declarado e pago mais de 153 milhões de euros de IVA (imposto sobre valor acrescentado), segundo as autoridades fiscais italiana.

O site confirmou ter recebido o relatório da auditoria da polícia fiscal e comprometeu-se a cooperar plenamente com as autoridades fiscais italianas”.

“Em conformidade com a legislação europeia aplicável sobre o IVA, entendemos que todos os nossos homólogos na União Europeia, incluindo a Itália, são responsáveis por avaliar o IVA local e comunicá-lo aos governos respetivos”, disse à AFP um porta-voz da autoridade fiscal.

A plataforma Booking.com alegou na época que os impostos reclamados pelas autoridades fiscais francesas haviam sido pagos na Holanda, onde está localizada a sua sede, país que introduziu um imposto sobre as empresas muito menos pesado do que na França.

Criada na Holanda em 1996, a Booking.com, filial da American Booking Holdings (ex-Priceline Group) desde 2005, já havia sido alvo de uma auditoria por causa das suas actividades em França entre 2003 e 2012, tendo sido notificada no final de 2015 em relação a um desvio fiscal de 356 milhões de euros.

A plataforma Booking.com alegou então que os impostos reclamados pelas autoridades fiscais francesas haviam sido pagos na Holanda, onde sua sede está localizada e que introduziu um imposto sobre as sociedades muito menos pesado do que o da França.

No início de Junho, a plataforma anunciou que iria reembolsar o Governo holandês por 60 milhões de euros em ajudas recebidas durante a pandemia de covid-19, o que aconteceu depois de fortes protestos causados pelo pagamento de bónus aos seus administradores, no montante de 28 milhões de euros.

Clique para ver mais: Empresas & Negócios

Clique para ver mais: Hotelaria

Share
Tweet
+1
Share
Comentários
Escrever comentário

Outras Notícias

Variante Delta do coronavírus é 60% mais transmissível, Estudo britânico

11-06-2021 (17h59)

O Reino Unido, que registou 17 mortes e 8.125 casos de covid-19 nas últimas 24 horas, de acordo com os dados oficiais mais recentes, informou hoje que a chamada variante Delta do coronavírus é 60% mais transmissível, e não apenas 40%

Trade britânico marca “dia de acção” para exigir retoma das viagens internacionais

11-06-2021 (17h45)

Associação de empresas de aviação e turismo britânicas marcaram um "dia de acção" [#traveldayofaction] para 23 de Junho, com o qual pretendem pressionar as autoridades britânicas a apoiar um retorno seguro das viagens internacionais a tempo do ‘pico' da época alta.

Alemanha retira avisos aos viajantes a 1 de Julho

11-06-2021 (14h29)

A Alemanha vai retirar os avisos aos viajantes, em vigor há mais de um ano, para a maioria dos países, excepto os que registam elevados níveis de infecção por covid-19 ou forte incidência das novas variantes.

Presidente da Comissão Europeia em Lisboa na quarta-feira para ‘validar’ PRR português

11-06-2021 (13h29)

A presidente da Comissão Europeia, Ursula von der Leyen, desloca-se a Lisboa na próxima quarta-feira, com o objetivo de anunciar formalmente a aprovação do Plano de Recuperação e Resiliência (PRR) português, ainda sujeito a aprovação pelo colégio, noticia a Agência Lusa.

Companhias áreas reivindicam fim de restrições na UE no Verão

11-06-2021 (11h25)

A Airlines For Europe (A4E) reivindicou o fim de todas as restrições impostas pela pandemia da covid-19 para viagens no Verão dentro da União Europeia (UE) através de uma declaração na sua plataforma.

Opinião e Análise