spot_img
- Publicidade -
- Publicidade -spot_img

Maioria dos maiores emissores para Portugal aumentou dormidas em Maio face a 2019

Dez dos 17 maiores emissores para o alojamento turístico português fizeram mais dormidas este Maio que em 2019, pré-pandemia, ‘capitaneados’ pelos Estados Unidos, com um aumento de cerca de 47 mil pernoitas.

Os dados publicados pelo INE mostram, aliás, que com os crescimentos em Abril e em Maio, os Estados Unidos subiram a 5º maior emissor para Portugal, ultrapassando os Países Baixos por quase 40 mil pernoitas, com 902,7 mil nos primeiros cinco meses, enquanto os neerlandeses somam 863,2 mil.

Os Estados Unidos são um dos sete maiores emissores para Portugal que apresenta aumento de dormidas nos primeiros cinco meses deste ano face ao período homólogo de 2019, em 5,8% ou 49,6 mil.

Na mesma trajectória têm estado Polónia, com aumento em 8,4% ou 24,3 mil, a Bélgica, com +2,2% ou mais 7,3 mil, a Irlanda, com +9,2% ou mais 45,4 mil, a Chéquia, com +51,5% ou mais 31,9 mil, e a Roménia, com +29,5% ou mais 21,5 mil.

Estes crescimentos, porém, não evitam que o alojamento turístico tenha somado nos primeiros cinco meses deste ano menos 2,1 milhões de dormidas de turistas não residentes que no período homólogo de 2019, traduzindo um decréscimo em 14,4%, para 14,44 milhões.

A despeito da dimensão dessa queda, os dados do INE mostram que o alojamento turístico português tem registado uma assinalável recuperação dos mercados internacionais, já que a quebra em relação a 2019 chegou a situar-se em cerca de 15 milhões de pernoitas, no ano de 2021, em que o turismo foi fortemente penalizado por confinamentos e restrições às viagens.

O balanço do turismo internacional este ano só ainda não é positivo pelas quebras que ainda apresentam os maiores emissores para Portugal, em 323,4 mil dormidas de residentes no Reino Unido (-10,2%), 203,1 mil de residentes em Espanha (-13,2%), 384,5 mil de residentes na Alemanha (-17,3%), e 214,1 mil de residentes em França (-13%).

A maior quebra do período, porém, foi das dormidas de residentes no Brasil, que foram menis 355,3 mil (-32,5%, para 736,8 mil).

- Publicidade-
- Publicidade -spot_img