spot_img
- Publicidade -spot_img
- Publicidade -spot_img

Hotéis espanhóis concluíram 2022 perto de 2019, mas com quebra do turismo internacional

Os hotéis espanhóis somaram 320,7 milhões de dormidas de 2012,6 milhões de turistas em 2022, apenas 6,5% e 5,6% abaixo de 2019, pré-pandemia, pelas quebras dos mercados internacionais, que o crescimento do doméstico não compensou.

Dados publicados hoje pelo INE espanhol indicam que os hotéis do país receberam no ano passado -11,6% ou menos 6,48 milhões de turistas residentes no estrangeiro, tendo em consequência uma quebra das dormidas desses mercados em 10% ou 22,4 milhões, para 200,9 milhões.

Essa quebra deveu-se em grande medida às quebras dos seus maiores emissores, como a Alemanha, com -12,5% ou menos 5,2 milhões, Rússia, com -98,4% ou menos 4,95 milhões, Reino Unido, com -6,5% ou menos 3,6 milhões, Suécia, com -35,2% ou menos 1,96 milhões, Itália, com -12,9% ou menos 1,3 milhões, e Japão, com -78,6% ou menos um milhão, bem como do grupo “Resto do Mundo”, com -45,4% ou menos 4,8 milhões.

O mercado doméstico, que durante grande parte do ano compensou as quebras dos emissores internacionais, no total do ano praticamente ‘estagnou’ em relação a 2019, tendo um aumento marginal das pernoitas em 0,1% ou 177,6 mil.

Os dados do INE espanhol mostram que além do decréscimo de hóspedes face a 2019, o balanço de 2022 da hotelaria espanhola é penalizado por um decréscimo da estada média dos hóspedes em 1%, para 3,1 noites, neste caso pelo decréscimo em 0,6% por parte dos residentes em Espanha, para 2,3 noites, enquanto dos hóspedes residentes no estrangeiro houve um aumento em 1,7%, para 4,1 noites.

 

Para ler mais clique:

Turismo português para Espanha superou resultados pré-pandemia em turistas e dormidas

- Publicidade-
- Publicidade -spot_img

Últimas Notícias