Grupo Lufthansa encomenda cinco A350 e cinco B787

04-05-2021 (13h32)

Foto: Lufthansa
Foto: Lufthansa

O Grupo Lufthansa encomendou cinco aviões A350-900 e cinco aviões B787-9 Dreamliners, para continuar a modernizar a sua frota e reduzir o consumo de combustível, complexidade e custo.

Em comunicado, o grupo sublinha que, assim, aumentou o número de novas aeronaves a serem entregues nesta década para 175.

“Mesmo nestes tempos desafiadores, continuamos a investir numa frota do Grupo Lufthansa mais moderna, mais eficiente e com menos emissões”, disse o CEO, Carsten Spohr, citado no comunicado. “Ao mesmo tempo, estamos a avançar com a modernização da nossa frota de longo curso ainda mais rápido do que o planeado antes da pandemia de coronavírus devido às oportunidades anticíclicas”.

O primeiro dos Dreamliners entrará na frota durante a próxima temporada de Inverno, segundo a companhia aérea, e os seguintes chegarão na primeira metade de 2022.

Assim, o Grupo tem encomendadas à Boeing 45 aeronaves dos modelos B787-9 e B777-9.

A Lufthansa sublinha que, devido à crise da pandemia, “encontrou uma maneira” de receber aeronaves já montadas para outras companhias aéreas que atrasaram ou cancelaram pedidos.

Os cinco novos A350-900 serão entregues em 2027 e 2028, anunciou a transportadora, acrescentando que a sua carteira de encomendas de aeronaves deste modelo à Airbus subiu para 45.

“Com o Airbus A350-900, o Boeing 777-9 e o Boeing 787-9, o Grupo Lufthansa operará as aeronaves de longo curso mais económicas em termos de consumo de querosene por passageiro e 100 quilómetros voados”, destacou a companhia aérea no comunicado.

O grupo prevê que em meados desta década, a quota de aeronaves de longo curso com quatro motores na frota do Grupo cairá para menos de 15%, contra cerca de 50% antes da pandemia.

Em média, os novos aviões usam menos 30% de combustível do que os modelos anteriores e permitem reduzir os custos da companhia aérea em cerca de 15%.

Além da renovação da frota de longo curso, a Lufthansa anunciou ainda que prevê receber, em média, um novo avião da família A320 por mês, e prevê receber 107 aviões A320 até 2027.

Ver também:

Grupo Lufthansa aposta em aumento “significativo” da procura de destinos de lazer

Grupo Lufthansa transportou no 1º trimestre apenas 10% dos passageiros pré-crise pandémica

 

Clique para ver mais: Lufthansa

Clique para ver mais: Aviação

Share
Tweet
+1
Share
Comentários
Escrever comentário

Outras Notícias

Açores prepara reactivação da promoção turística nos mercados dos EUA e Canadá para a Terceira

11-05-2021 (17h46)

O Governo açoriano, em parceria com a Associação de Turismo dos Açores, está a preparar o lançamento de concursos de promoção turística para reactivar os mercados dos Estados Unidos e Canadá para a ilha Terceira, anunciou o executivo regional.

Comissão Europeia aprova ajuda estatal de 22 milhões de euros para micro e PME da Madeira

11-05-2021 (17h42)

A Comissão Europeia aprovou uma ajuda estatal de Portugal, no valor de 22 milhões de euros, para apoiar micro, pequenas e médias empresas (PME) da Madeira afectadas pela pandemia, com perdas financeiras superiores a 25% em 2020.

Cabo Verde passa a exigir testes rápidos para viagens entre ilhas, excepto entre São Vicente e Santo Antão

11-05-2021 (17h31)

Cabo Verde vai passar a exigir testes rápidos de despiste para a covid-19 para viagens marítimas e aéreas entre todas as ilhas, com excepção do percurso São Vicente-Santo Antão, informou o Governo cabo-verdiano.

Vilalara Thalassa Resort reabre quinta-feira, 13 de Maio

11-05-2021 (17h20)

O Vilalara Thalassa Resort, em Porches, no Algarve, vai reabrir a 13 de Maio, "preparado para receber com todas as comodidades e segurança os hóspedes que aqui escolhem usufruir das suas férias ou de uma escapada num oásis paradisíaco".

Portugal já administrou quatro milhões de vacinas contra a covid-19

11-05-2021 (17h04)

Portugal atingiu hoje a marca de quatro milhões de vacinas contra a covid-19 administradas à população, incluindo 2,9 milhões de primeiras doses e 1,1 milhões de segundas doses.

Opinião e Análise