Movimento de passageiros nos aeroportos de Cabo Verde caiu 33,8% até Setembro

12-10-2021 (15h36)

Foto: www.governo.cv
Foto: www.governo.cv

O movimento total de passageiros nos aeroportos cabo-verdianos caiu este ano 33,8%, até Setembro, em termos homólogos, para menos de 460.000, devido às restrições impostas pela pandemia de covid-19.

De acordo com dados compilados pela Agência Lusa a partir das estatísticas da Agência de Aviação Civil (AAC), que regula o sector em Cabo Verde, os aeroportos e aeródromos do arquipélago registaram de Janeiro a Setembro de 2021 um movimento de 9.148 aeronaves em embarques e desembarques (quebra de 15,8% face a 2020), em voos internacionais e domésticos.

O número de passageiros em embarques, desembarques e trânsito nos nove meses deste ano foi de 192.558 em voos domésticos e 265.901 em voos internacionais, traduzindo-se num movimento global de 458.459 passageiros, contra os 693.035 em igual período de 2020 (-33,8%). Contudo, os aeroportos cabo-verdianos só funcionaram em 2020 até Março, tendo sido suspensas todas as ligações aéreas, domésticas (até Julho) e internacionais (até Outubro), para conter a pandemia de covid-19.

De Janeiro a Setembro de 2019, antes da pandemia de covid-19, os aeroportos de Cabo Verde movimentaram 2.064.110 passageiros, em 26.020 movimentos de aeronaves em voos domésticos e internacionais.

Cabo Verde tem quatro aeroportos internacionais, nas ilhas de Santiago, do Sal, da Boa Vista e de São Vicente, e três aeródromos, nas ilhas de São Nicolau, Maio e Fogo, todos operados pela ASA.

A Lusa noticiou recentemente que o movimento nos aeroportos de Cabo Verde deverá ficar abaixo de 500 mil passageiros em 2021, agravando a perda de quase dois milhões de passageiros no ano passado, segundo as estimativas da empresa estatal Aeroportos e Segurança Aérea (ASA).

As previsões constam do relatório e contas de 2020 da empresa que gere os quatro aeroportos internacionais e três aeródromos do país, fortemente afectada pela pandemia de covid-19, que levou a um prejuízo de 1.771 milhões de escudos (-16 milhões de euros) no ano passado.

A actividade da ASA encontra-se “fortemente condicionada, sendo que apresenta diferentes perspectivas entre segmentos de negócio para 2021”, reconhece a empresa, admitindo que no caso do segmento de Gestão Aeroportuária, o cenário para este ano é “conservador, sendo fortemente dependente do sector do turismo, que se encontra perante um desafio sem precedentes”.

“Neste contexto, em 2021, o movimento de aeronaves deverá apresentar uma nova redução, prevendo-se uma quebra em torno dos 18%, face a 2020, reflectindo-se num movimento de passageiros cerca de 38% abaixo de 2020. Para estas perspectivas contribui, igualmente, a questão do primeiro trimestre de 2020 (…), na qual se continuava a observar um crescimento do tráfego apenas interrompido no decorrer de Março de 2020 [devido às restrições provocadas pela pandemia]”, lê-se no relatório.

Esta previsão agrava o cenário de 2020, em que segundo o relatório e contas da empresa, que contabilizou no ano passado um movimento de 775.998 passageiros (embarques, desembarques e em trânsito), menos 72% (perda de quase dois milhões de passageiros) face a 2019, enquanto o movimento de aeronaves caiu 63% (menos 22.000), para 13.162.

A concretizarem-se essas previsões, os aeroportos de Cabo Verde deverão receber este ano (desembarques, embarques e trânsito) cerca de 481 mil passageiros (2.771.931 em 2019, antes da pandemia) e quase 10.800 movimentos de aeronaves (35.202 em 2019).

Cabo Verde registou em 2019 um recorde de 819 mil turistas, sector que garante 25% do Produto Interno Bruto, mas que está parado desde Março de 2020, devido às restrições impostas pela pandemia de covid-19, afectando igualmente o sector aeronáutico e de navegação aérea.

Clique para ver mais: Aviação

Clique para ver mais: África

Share
Tweet
+1
Share
Comentários
Escrever comentário

Outras Notícias

Venezuela restringe voos internacionais por tempo indeterminado

20-10-2021 (15h25)

As autoridades venezuelanas prolongaram, por tempo indeterminado, as restrições às operações aéreas internacionais em vigor no país, devido à quarentena preventiva da covid-19.

Marrocos suspende voos de/para Alemanha, Reino Unido e Países Baixos

20-10-2021 (14h53)

As autoridades marroquinas decidiram suspender, a partir da meia-noite de hoje, os voos de e para a Alemanha, Países Baixos e Reino Unido devido à evolução da situação da covid-19 nestes três países.

Presidente angolano exonera administração da TAAG

20-10-2021 (14h28)

O Presidente angolano, João Lourenço, exonerou hoje o conselho de administração da companhia aérea de bandeira, TAAG, fundamentando a decisão com a necessidade de concretizar o plano de restruturação da empresa e os seus objectivos estratégicos.

Agências IATA portuguesas reduzem quebra da venda de voos pela pandemia para cerca de metade

20-10-2021 (12h56)

As agências de viagens IATA portuguesas, que nos primeiros meses do ano tiveram quebras da venda de voos em BSP (do inglês para Billing and Settlement Plan) da IATA face aos meses pré-pandemia acima dos 80%, em Setembro reduziram esse diferencial para 44,4%.

Vendas BSP este ano ultrapassam pela primeira vez o total homólogo de 2020

20-10-2021 (12h55)

As vendas BSP das agências IATA portuguesas atingiram em Setembro o total de 207,86 milhões de euros, superando pela primeira vez o total acumulado do período homólogo de 2020, ainda que em relação a 2019 a quebra ultrapasse os 500 milhões de euros.

Opinião e Análise