Grupo Lufthansa vai fechar SunExpress Deutschland e voos de passageiros da Germanwings

15-06-2021 (12h09)

Foto: Lufthansa
Foto: Lufthansa

O Grupo Lufthansa, que quer emergir ‘mais magro’ desta crise provocada pela pandemia de covid-19, indicou hoje que entre as medidas que vai adoptar estão fechar a SunExpress Deutschland, subsidiária com o mesmo nome da joint-venture com a Turkish, e descontinuar os voos de passageiros da Germanwings, bem como fechar “múltiplas outras bases e localizações”.

Em comunicado de balanço da evolução na primeira metade deste ano o Grupo diz que aposta também em melhorar a eficiência operacional, nomeadamente fomentando sinergias pela “harmonização” de processos operacionais e manutenção de aviões, digitalização e migração para a cloud das funções de planeamento.

O Grupo indicou ainda que pretende conseguir uma redução de 50% nos sistemas de tecnologias de informação para operações de voo e em terra, resultando numa organização simplificada e ‘enxuta’.

Adicionalmente, acrescenta, as medidas elencadas vão proporcionar uma redução do espaço para escritórios em aproximadamente 30%.

O Grupo Lufthansa diz relativamente à frota que vai prosseguir com a modernização e estandardização, que contribuirão para uma redução dos custos operacionais, nomeadamente através de melhor eficiência no consumo de fuel e menores custos de manutenção e de formação de pessoal.

Outro efeito destacado pelo Grupo é uma redução das emissões em 50% na próxima década.

Quanto à sua acção, o Grupo, que considera ter um modelo que lhe confere vantagens face à concorrência, indica estar a adaptar-se a diferentes velocidades de recuperação do sector das viagens, mais lenta nas viagens profissionais e de negócios e mais rápida nas viagens de lazer e de visitas a familiares e amigos.

O Grupo indica também prever que a subsidiária Eurowings se torne lucrativa, dada a sua posição de maior companhia de voos de lazer na Alemanha e dominante nas ligações de longo curso do segmento de lazer.

Para ler mais clique:

Grupo Lufthansa assinala recuperação “significativa” da procura, mas ainda só ficará a 40% de 2019

Grupo Lufthansa já ‘cortou’ “quase 26.000” postos de trabalho

 

Clique para mais notícias: Lufthansa

Clique para mais notícias: Aviação

Share
Tweet
+1
Share
Comentários
Escrever comentário

Outras Notícias

Estudo da Oliver Wyman prevê falta de pilotos na Europa em 2022

03-08-2021 (15h17)

De acordo com um estudo da consultora Oliver Wyman, a Europa vai ter falta de pilotos em 2022, mais precisamente menos 790 pilotos do que aqueles que serão necessários.

Iberia ultrapassou British Airways e foi a companhia do IAG líder em tráfego de passageiros

02-08-2021 (16h36)

A Iberia foi a companhia do IAG que mais tráfego de passageiros transportou no segundo trimestre, superando a British Airways, tradicionalmente a líder, nomeadamente pela liderança no transporte entre a Europa e a América do Norte.

IAG prevê ter este trimestre 45% da capacidade de transporte de passageiros de 2019

02-08-2021 (16h31)

O IAG, grupo que integra a British Airways, a Iberia, a Vueling, a Aer Lingus e a Level, anunciou que prevê aumentar a sua capacidade de transporte de passageiros dos 21,9% do período homólogo de 2019 no segundo trimestre para “cerca de 45%” este trimestre, época alta no Hemisfério Norte.

LATAM Airlines considera combustíveis alternativos

02-08-2021 (16h16)

A LATAM Airlines, de acordo com o seu CEO, Roberto Alvo, está a considerar o recurso a combustíveis alternativos para cumprir o seu objectivo de atingir a neutralidade de carbono em 2050 e de em 2030 já ter uma redução de 50% nas suas emissões domésticas.

Governo cabo-verdiano acusa administração islandesa da TACV de irregularidades

02-08-2021 (14h01)

O Governo cabo-verdiano revelou que a administração islandesa da TACV, entretanto renacionalizada, ameaçou imobilizar em Portugal a aeronave com que pretendia retomar os voos internacionais e iniciou um processo disciplinar à vice-presidente nomeada pelo Estado.

Opinião e Análise