Alemanha vai reforçar controlos das suas fronteiras terrestres

30-03-2021 (17h04)

Foto: Unsplash / AC Almelor
Foto: Unsplash / AC Almelor

A Alemanha vai reforçar os controlos das suas fronteiras terrestres, em particular com a França, Dinamarca e Polónia, para lutar contra a pandemia do novo coronavírus, anunciou hoje o ministro do Interior alemão.

"Não importa de onde vem, Polónia, França ou Dinamarca, todos devem esperar ser controlados", disse Horst Seehofer, durante uma conferência de imprensa, acrescentando que verificações aleatórias vão acontecer em território alemão, após cruzar a fronteira.

Segundo o ministro os controlos serão reforçados nos próximos oito ou 14 dias, a partir do fim de semana prolongado da Páscoa.

De acordo com a Agência Lusa, essas verificações aleatórias ocorrerão em território alemão, dentro de um perímetro de até 30 quilómetros após a passagem de fronteira.

A polícia alemã "não poderá devolver os viajantes" ao país de onde chegaram, mas verificará se possuem um teste negativo com menos de 48 horas e o registo electrónico junto das autoridades de saúde alemãs. Caso contrário, terão de "pagar uma multa", explicou.

Todos estes viajantes terão de "observar uma quarentena de 10 dias", que pode ser abreviada com um teste negativo efetuado no final do quinto dia, como já acontece há várias semanas para as chegadas de avião.

As passagens, conhecidas como "trânsito", de menos de 72 horas, ficarão isentas de quarentena.

Os controlos rigorosos e sistemáticos realizados na fronteira austríaca com a região do Tirol serão suspensos "na medida em que a situação apresenta melhorias", disse Seehofer.

Por outro lado, estes controlos sistemáticos continuam a ser relevantes para a República Checa, onde já estão em vigor há várias semanas, e onde o desenvolvimento da pandemia continua a ser preocupante.

Desde terça-feira, a Alemanha exige também a apresentação de teste negativo aos passageiros que chegam à Alemanha por via aérea, sob pena de as companhias aéreas serem sujeitas a pesadas multas de até 25 mil euros.

"O objectivo é evitar que o vírus entre na Alemanha", país que enfrenta um novo aumento nas infecções e que teme uma progressão "exponencial" nas próximas semanas, explicou Seehofer.

Por outro lado, o Governo desistiu de proibir viagens a determinados destinos turísticos no estrangeiro, devido ao aumento nas reservas de Primavera para as Baleares. Essa opção não resistiu a análises jurídicas, de acordo com os meios de comunicação alemães.

Na Alemanha, que contabilizou hoje 9.549 novos casos de covid-19, a taxa de incidência atingiu 135,2, em média no país, tendo aumentado continuamente nos últimos dias.

Clique para ver mais: Europa

Share
Tweet
+1
Share
Comentários
Escrever comentário

Outras Notícias

Viajar Tours já vende Santorini e Mykonos nos voos charter para Creta

13-04-2021 (18h09)

O operador turístico Viajar Tours acrescentou duas novas propostas à sua programação de voos charter para Creta, designadamente pacotes combinados com as Ilhas de Santorini e Mykonos.

Accor vai reabrir hotel londrino com experiência totalmente digital

13-04-2021 (15h53)

A Accor vai reabrir em Maio o ibis Styles London Gloucester Road, em Londres, que oferece uma experiência totalmente digital e com soluções contactless em todos os momentos da estadia.

Rotas do Vento promove cruzeiros nas ilhas do Adriático

12-04-2021 (12h37)

A agência de viagens Rotas do Vento está a promover programas para navegar de ilha em ilha no Mar Adriático com bases de navegação em Rijeka, Trogir e Zadar.

Lusanova propõe cruzeiros nas Ilhas Gregas com a Elixir Cruises

06-04-2021 (16h01)

O operador turístico Lusanova lançou novos programas em parceria com a Elixir Cruises, uma companhia que propõe “uma nova forma de navegar pelas Ilhas Gregas e conhecer a sua cultura milenar, criando uma perfeita sinergia de bem-estar e viagens verdadeiramente diferenciadoras”.

Visitantes a Itália vão ter de fazer cinco dias de quarentena

30-03-2021 (17h11)

A Itália vai impor uma quarentena de cinco dias e testes aos viajantes dos Estados-membros da União Europeia tal como já acontece com aqueles que são de países terceiros, anunciaram hoje fontes do Ministério italiano da Saúde.

Opinião e Análise