Ryanair anuncia acordo para comprar a Malta Air

11-06-2019 (17h40)

Foto: Ryanair
Foto: Ryanair

A Ryanair anunciou hoje um acordo para comprar a companhia de aviação Malta Air, uma startup com a qual pretende expandir a sua presença no país, chegar a novos mercados do Norte de África e obter um certificado de operador aéreo maltês.

A transportadora, que não revelou o montante investido, avança em comunicado que prevê concluir o negócio no final deste mês.

O negócio vai permitir à Ryanair mudar os aviões baseados em França, Itália e Alemanha para o AOC (certificado de operador aéreo) de Malta, “o que permitirá a estas equipas pagar os seus impostos sobre o rendimento localmente em França, Itália e Alemanha, em vez de o fazer em Irlanda, onde estão obrigados a pagar imposto sobre os rendimentos sob o AOC irlandês da Ryanair”.

A Ryanair indica que vai transferir os seis aviões B737 que tem baseados em Malta para a Malta Air, passando também a ter contratos locais para os cerca de 200 tripulantes que tem em Malta.

Para o Verão de 2020, a companhia prevê ter já os seus aviões com as cores da Malta Air.

Em três anos, a Ryanair prevê aumentar o número de aviões baseados em Malta de seis para dez, criando mais de 350 postos de trabalho.

Michael O’Leary, CEO da low cost, afirmou que “a Ryanair tem o prazer de receber a Malta Air no grupo de companhias aéreas Ryanair, que agora inclui a Buzz (Polónia), Lauda (Áustria), Malta Air e Ryanair (Irlanda)”.

“A Malta Air vai orgulhosamente levar o nome e a bandeira de Malta para mais de 60 destinos na Europa e no Norte de África, à medida que procuramos aumentar a nossa frota, rotas, tráfego e empregos baseados nos malteses durante os próximos três anos”, acrescentou O’Leary.

O Ministro do Turismo de Malta, Konrad Mizzi, afirmou por sua vez que “a relação entre a Ryanair e Malta evoluiu para uma colaboração bem sucedida. Congratulamo-nos com o compromisso da Ryanair em operar e desenvolver uma companhia aérea baseada em Malta que contribuirá de forma significativa para o desenvolvimento do país”.

 

Clique para ver mais: Aviação

Clique para ver mais: Ryanair

Share
Tweet
+1
Share
Comentários
Escrever comentário

Outras Notícias

Thomas Cook precisa de mais 200 milhões para evitar colapso

20-09-2019 (16h52)

O grupo Thomas Cook, considerado o segundo maior da Europa na operação turística e agências de viagens, confirmou que precisa de mais 200 milhões de libras (226 milhões de euros) para evitar o colapso.

Ryanair espera voar com Boeing 737 Max em Fevereiro/Março

20-09-2019 (15h50)

O CEO do Grupo Ryanair, Michael O’Leary, afirmou que Fevereiro ou início de Março é a previsão mais real para começar a voar com aviões Boeing 737 Max, modelo proibido de voar desde Março, após dois acidentes fatais.

Exportações portuguesas de turismo estagnaram em Julho

20-09-2019 (15h28)

Apesar de Portugal ter contabilizado em Julho mais quase cem mil turistas residentes no estrangeiro (+5,8%), segundo o INE, os seus gastos no país, contabilizados como exportações de turismo pelo Banco de Portugal, tiveram uma quase estagnação.

Beijing Capital muda voos de/para Lisboa para o novo aeroporto da capital chinesa

20-09-2019 (13h42)

A Beijing Capital, única companhia de aviação chinesa a voar de/para Portugal, vai alterar o aeroporto de partida/chegada a Pequim para o novo aeroporto da capital chinesa, o Beijing Daxing (PKX).

Aeroporto do Porto vai renovar o sistema ILS para melhorar aterragens quando há nevoeiro

19-09-2019 (17h38)

O Aeroporto do Porto vai ter um “renovado sistema ILS (Landing Sistem, ou sistema de aterragem, em tradução livre) para garantir melhores condições” à infraestrutura, nomeadamente quando há nevoeiro, revelou hoje à Lusa a NAV – Navegação Aérea de Portugal.

Noticias mais lidas