Turismo Centro elege hoje nova Direcção com lista única

06-07-2018 (08h51)

A entidade regional Turismo Centro elege a nova Direcção, com uma lista única liderada pelo actual presidente, Pedro Machado, que é subscrita por 97 dos cem municípios e 36 das 50 associações que compõem o colégio eleitoral.

Pedro Machado apresenta como prioridades para um novo mandato de cinco anos “a consolidação do processo de crescimento” do turismo no Centro e a qualificação dos agentes, serviços e produtos do sector na região.

As eleições estiveram inicialmente agendadas para 23 de Maio, mas foram adiadas para hoje devido a “diferentes interpretações jurídicas sobre a contagem dos prazos previstos no Regulamento Eleitoral da Turismo do Centro de Portugal”.

O adiamento foi suscitado por um protesto do ex-Governador Civil de Coimbra Victor Baptista, que levantou a questão dos prazos eleitorais num artigo de opinião publicado num jornal e chegou a admitir candidatar-se, mas acabou por não avançar.

“A consolidação do processo de crescimento da região Centro vai ser uma das nossas prioridades”, anunciou Pedro Machado, adiantando que a Entidade Regional vai continuar a promover a marca Turismo Centro dentro de Portugal e no estrangeiro.

A hotelaria da Região Centro, de acordo com dados do INE, recebeu no ano passado 3,197 milhões de hóspedes que realizaram 5,65 milhões de dormidas, tendo os aumentos relativos mais fortes do ano, respectivamente em 13,2% e em 14,5%.

“Vamos reforçar a aposta no turismo religioso, não só com Fátima, mas também com o turismo religioso judaico, tão importante para toda a Serra da Estrela, com focos importantes em Belmonte, ou Carregal de Sal, onde fica situada a residência de Aristides Sousa Mendes [diplomata e político português que salvou milhares de pessoas de origem judaica durante a Segunda Guerra Mundial]”, explica Machado, lembrando a presença de judiarias em diversas cidades da região, com destaque para Tomar.

O presidente da Entidade Regional realçou que, em 2017, o Santuário de Fátima recebeu muitos turistas da Coreia do Sul, responsáveis por 50 mil dormidas, uma tendência que pretende reforçar noutras regiões, acrescentando que acredita ser possível chegar ao fim de 2018 “com um equilíbrio de 50-50” entre visitantes estrangeiros e nacionais.

Para isso contribuirá a aposta noutros nichos de mercado, nomeadamente nos chamados “desportos de deslize”, com destaque evidente para o surf, que atrai milhares de visitantes portugueses e estrangeiros a zonas como a Nazaré, Peniche, Figueira da Foz e Aveiro.

O candidato também prometeu uma aposta na qualificação de todos os operadores do sector, de maneira a reforçar a diversidade da oferta turística e, através disso combater a sazonalidade. “Queremos levar à prática o nosso lema: Um país dentro do país”, afirmou.

Em termos formais, a recandidatura de Pedro Machado assenta em três pilares: Representatividade territorial; reforço da presença de instituições privadas nos órgãos sociais; renovação dos órgãos dirigentes, nomeadamente através da entrada de mais mulheres para cargos de responsabilidade.

Está assegurada a presença da maior parte dos cem municípios nos futuros corpos dirigentes. A presidência da Mesa da Assembleia Geral continuará a ser assegurada pelo presidente da Câmara de Castelo Branco, Luís Correia, que terá a seu lado Manuel Machado, presidente da Câmara de Coimbra e líder da Associação Nacional de Municípios Portugueses.

As maiores mudanças previstas por Pedro Machado acontecem no Conselho de Marketing, que terá sete representantes de investidores privados e associações.

 

Clique para mais notícias: Portugal

Share
Tweet
+1
Share
Comentários
Escrever comentário

Outras Notícias

Mesmo com Brexit ‘à porta’, britânicos foram os turistas que mais despenderam em Portugal em 2018

21-02-2019 (17h54)

Os residentes no Reino Unido, mesmo com o adensar da perspectiva de um ‘divorcio litigioso’ com a União Europeia e apesar de uma quebra no alojamento turístico português, não só se mantiveram em 2018 os líderes em gastos turísticos em Portugal em 2018, como foram os que fizeram o segundo maior aumento.

Portugal teve aumentos a dois dígitos de gastos de turistas de 37 países

21-02-2019 (17h49)

Apesar dos ventos desfavoráveis principalmente na segunda metade do ano, Portugal concluiu 2018 com um aumento médio dos gastos de turistas estrangeiros em 9,6%, com 37 em 62 com dados disponíveis no Banco de Portugal a registarem aumentos a dois dígitos.

Brasil foi o destino com a maior queda de gastos turísticos dos portugueses em 2018

21-02-2019 (16h37)

O Brasil, que enfrentou vários desafios em 2018, nomeadamente uma sucessão presidencial turbulenta, foi o país que teve a maior quebra de gastos turísticos dos portugueses, entre 61 com dados publicados pelo Banco de Portugal, mas conseguiu ainda assim manter-se no Top10 dos destinos.

Gastos dos portugueses em turismo ultrapassam os cem milhões de euros em oito países

21-02-2019 (16h35)

Espanha, França, Reino Unido, Alemanha, Estados Unidos, Bélgica, Itália e Holanda foram os únicos países a somarem mais de cem milhões de euros de gastos turísticos de residentes em Portugal no ano de 2018, de acordo com dados do Banco de Portugal recolhidos pelo PressTUR.

Espanha já fica com praticamente 30% dos gastos dos portugueses em turismo no estrangeiro

21-02-2019 (15h56)

Espanha atingiu em 2018 a maior parcela dos últimos cinco anos de gastos dos portugueses em turismo no estrangeiro contabilizados pelo Banco de Portugal, com o montante de 1,39 milhões de euros, que equivale a 29,68% do total.