Transportes e mobilidade têm maior ‘fatia’ do Programa Nacional De Investimentos 2030

11-01-2019 (16h28)

A área dos transportes e mobilidade vai receber a maior fatia do Programa Nacional De Investimentos 2030, com 12.678 milhões de euros, para um total de 44 projectos, que representam 58% do investimento.

O Programa Nacional de Investimentos 2030 (PNI) tem previsto aplicar um total de 21.950 milhões de euros em 72 programas e projectos nas áreas dos transportes, energia e ambiente, de acordo com um documento a que Lusa teve acesso e que será hoje entregue no parlamento.

Depois dos transportes e mobilidade, segue-se a energia, com 4.930 milhões de euros, que deverão ser alocados a oito projectos, constituindo 23% do financiamento. O ambiente receberá 3.570 milhões de euros para 18 empreendimentos, 16% do total.

Para outros investimentos, nomeadamente no regadio, serão disponibilizados 750 milhões de euros, 3% do montante global e em estudos e projectos multissectoriais serão gastos 22 milhões de euros.

No que diz respeito às fontes de financiamento, segundo o mesmo documento, as Administrações Públicas irão arcar com o maior peso, de 12.916 milhões de euros (59%), distribuídos por fundos europeus, redução dos encargos com as Parcerias Público-Privadas (PPP) e receita gerais do Estado.

O sector privado terá a seu cargo 7.568 milhões de euros (35% do total) e o sector empresarial do estado 1.466 milhões de euros (6%).

O Governo adianta ainda que do Orçamento do Estado saem 4,0 mil milhões de euros e que a redução de encargos com as PPP (1,5 mil milhões de euros) integrará o orçamento da IP (Infraestruturas de Portugal). O total de fundos europeus é de 5.750 milhões de euros (26% do total).

A ferrovia irá contar com um investimento de 4.040 milhões de euros e inclui o programa de reforço da capacidade e aumento de velocidades no eixo Porto-Lisboa (1.500 milhões de euros), nos troços Cacia/ Gaia, Soure/Coimbra, Santarém /Entroncamento, Alverca/Azambuja (163 quilómetros), para uma redução do tempo de percurso para duas horas. A Linha do Norte será, assim, quadruplicada.

Com isso, o aumento da procura de passageiros deverá ser de 30% e de mercadorias de 40%, com uma redução de 100.000 camiões/ano.

A mobilidade e transportes públicos terão um valor alocado de 3.390 milhões de euros, sobretudo nas áreas metropolitanas de Lisboa e Porto, incluindo metros e medidas de descarbonização.

A rodovia terá um investimento de 1.625 milhões de euros, destacando-se vários programas de segurança rodoviária e de construção de alargamentos e aumentos de capacidade.

Os projetos rodoferroviários contam com 405 milhões de euros.

O sector aeroportuário será alvo de 707 milhões de euros, dos quais 507 milhões de euros no aeroporto de Lisboa (2.ª fase, a 1.ª será realizada até 2022).

O sector marítimo portuário tem alocados 2.488 milhões de euros.

Depois de ser entregue no parlamento, o programa, com as alterações que lhe forem feitas, será encaminhado para o Conselho Superior de Obras Públicas.

O PNI abrange infraestruturas de nível nacional localizadas em Portugal Continental, com projetos ou programas com investimentos superiores a 75 milhões de euros e tem um horizonte temporal de 10 anos.

(PressTUR com Agência Lusa)

 

Clique para ver mais: Portugal

Share
Tweet
+1
Share
Comentários
Escrever comentário

Outras Notícias

Governo abre concurso para converter Castelo de Vila Nova de Cerveira em empreendimento turístico

21-01-2019 (16h08)

O Governo lançou um concurso público para converter o Castelo de Vila Nova de Cerveira em empreendimento turístico, no âmbito do programa Revive, e está a aceitar propostas até 5 de Junho.

Groundforce prevê investir 2,85 milhões de euros em 2019 e acredita que vai operar no Montijo

21-01-2019 (15h30)

A Groundforce estima investir este ano 2,85 milhões de euros, avançou o presidente executivo, Paulo Neto Leite, que está convicto de que a empresa de handling (assistência em terra) irá operar no futuro aeroporto complementar do Montijo.

Terminal de actividades marítimo-turísticas de Lisboa deverá estar a funcionar até ao final do ano

21-01-2019 (15h12)

A estação fluvial Sul e Sueste, no Terreiro do Paço, em Lisboa, está a ser alvo de requalificação e deverá estar em funcionamento como terminal de actividades marítimo-turísticas até ao final do ano, cerca de dois anos mais tarde que o previsto inicialmente.

Gastos dos portugueses aumentaram mais que receitas turísticas pela primeira vez em 34 meses

21-01-2019 (14h51)

Os gastos turísticos dos portugueses subiram 51,20 milhões de euros em Novembro passado, ultrapassando pela primeira vez o aumento dos gastos de turistas estrangeiros, que foi de 43,45 milhões, o que já não acontecia desde Janeiro de 2016.

Hotel na antiga sede do FC Porto vai custar 2,8 milhões de euros

21-01-2019 (14h48)

O Futebol Clube do Porto vai investir 2,8 milhoes de euros para construir um hotel de charme com 54 quartos na sua antiga sede, localizada no centro da cidade do Porto.

Ultimas Noticias