TAP e SITAVA chegam a acordo de actualização salarial para cinco anos

13-06-2018 (17h20)

Foto: TAP
Foto: TAP

O Sindicato dos Trabalhadores da Aviação e Aeroportos (SITAVA) fechou um acordo de actualização salarial com a TAP para os próximos cinco anos, que prevê um aumento de 5% este ano e, pelo menos, 7% nos quatro anos seguintes.

Numa informação enviada hoje aos associados a que a Lusa teve acesso, a Direcção do SITAVA informa que o acordo, alcançado na segunda-feira, contempla, “além da tabela salarial, também todas as outras matérias de expressão pecuniária”, que entram em vigor no salário de Junho, com efeito retroactivo a 1 de Janeiro deste ano.

A actualização da tabela salarial estipula um aumento maior, de 5%, em 2018, 3% em 2019, 2% em 2020 e 1%, acrescido de inflação, em 2021 e 2022, lê-se na informação enviada aos associados.

“Para o ano de 2020, se a inflação for superior a 2%, a TAP garantirá que não haverá perda salarial, pagando esse diferencial", explicita a Direcção do sindicato que representa na sua maioria trabalhadores de terra da companhia de aviação que tem David Neeleman como accionista de referência.

Em Abril, quando foi conhecido o acordo salarial com os pilotos da TAP, o SITAVA acusou a TAP de desprezar trabalhadores de terra e exigiu aumentos de 5% (igual ao dos pilotos).

A actualização salarial dos pilotos, de acordo com a Lusa, prevê aumentos de 5% este ano e no próximo, de 3% em 2020 e de 1% em 2021 e 2022, mais a correcção da inflação estimada em 9,4%.

O acordo prevê ainda para os próximos cinco anos uma revisão das anuidades, subsídio de turnos, subsídio de refeição e subsídio de certificação.

De acordo com a nota, não houve alterações nas horas nocturnas nem nas férias. Além disso, acrescenta, “não haverá qualquer alteração” no pagamento dos três primeiros dias de baixa e ficou ainda definido um prémio de 450 euros atribuído a todos os trabalhadores de terra.

O Estado, através da Parpública detém 50% do Grupo TAP (TAP SGPS), o consórcio Atlantic Gateway, de Humberto Pedrosa e David Neeleman, detém 45%, e os restantes 5% são dos trabalhadores.

(PressTUR com Agência Lusa)

 

Clique para mais notícias: TAP

Clique para mais notícias: Aviação

Clique para mais notícias: Portugal

Share
Tweet
+1
Share
Comentários
Escrever comentário

Outras Notícias

TAP já voa para Washington – Dulles

17-06-2019 (17h16)

A TAP já liga as capitais de Portugal e dos Estados Unidos, com a inauguração no Domingo do seu voo TP231 para Washington – Dulles, que informou ter preços de ida desde 253 euros.

Hotéis 5-estrelas e alojamento local são as unidades com maiores aumentos de dormidas até Abril

17-06-2019 (16h59)

Os hotéis de 5-estrelas, com mais 117,9 mil dormidas nos primeiros quatro meses deste ano que no período homólogo de 2018 e os alojamentos locais, com mais 165,2 mil, são os estabelecimentos que maiores aumentos de dormidas tiveram no primeiro quadrimestre, em que o alojamento turístico português somou 16,67 milhões de dormidas, em alta de 3,9% ou 618,7 mil.

Portugal ultrapassa quatro milhões de turistas estrangeiros no primeiro quadrimestre

17-06-2019 (15h46)

Portugal teve 4.038,8 mil turistas residentes no estrangeiro em estabelecimentos de alojamento durante o primeiro quadrimestre, com um aumento em 5,6% ou cerca de 214 mil relativamente ao período homólogo de 2018.

Governo abre hoje candidaturas a empréstimo obrigacionista para empresas do turismo

17-06-2019 (13h48)

O Governo abre hoje as candidaturas a um empréstimo obrigacionista para empresas do turismo, perspectivando que esta “emissão agrupada” a sete anos atinja, pelo menos, 100 milhões de euros, com financiamento máximo de 15 milhões de euros por empresa.

INE realça ‘efeito Páscoa’ nos resultados da hotelaria portuguesa em Abril

17-06-2019 (11h48)

“Estes resultados foram influenciados pelo efeito do período de férias associado à Páscoa, que este ano ocorreu em meados de Abril, enquanto no ano anterior teve influência repartida entre Março e Abril”, assinala o INE ao revelar que em Abril o alojamento turístico português teve taxas de crescimento do nível que registou até 2018.

Noticias mais lidas