Startup Portugal prevê abertura de centro de inovação para o Turismo

09-07-2018 (08h14)

O programa Startup Portugal vai ter 19 novas medidas para promover o empreendedorismo, entre as quais a abertura de um centro de inovação no Turismo e a linha ADN Start Up, de acordo com o Ministério da Economia.

A apresentação das novas medidas do programa Startup Portugal - Estratégia Nacional para o Empreendedorismo, segundo a Agência Lusa, é apresentada hoje de manhã, num evento que conta com as presenças do ministro da Economia, Manuel Caldeira Cabral, e do primeiro-ministro, António Costa.

Ao todo são 19 novas medidas – que visam sectores como o Turismo, Comércio e Restauração, por exemplo, - e a introdução de novidades nas que já existem - Startup Voucher, programa Momentum e Vale Incubação.

Entre as novas medidas de apoio está a abertura de um centro de inovação no Turismo com uma digital academy [academia digital] e uma incubadora especializada no sector.

"Terá como missão promover a inovação no sector do Turismo, apoiando o desenvolvimento de novas ideias de negócio, o desenvolvimento e experimentação de projectos e a capacitação das empresas no domínio da inovação e da economia digital", segundo o Ministério da Economia.

No centro de inovação será criada a Digital Tourism Academy – um programa de capacitação das empresas para o digital – e uma incubadora de empresas especializadas no desenvolvimento de soluções inovadoras para o Turismo.

Além disso, será criado o Startup Center, uma plataforma digital de mapeamento das startups e das incubadoras portuguesas, que vai incluir informação centralizada sobre todo o tipo de apoios disponíveis para o ecossistema, como também o 'pitch voucher', uma senha de acesso atribuída às startups.

Esta senha visa permitir que as startups possam ter a oportunidade de desenvolver relações comerciais/empresariais com empresas para que possam garantir financiamento e novos clientes, bem como para efeitos de 'mentoring'. Esta iniciativa será associada ao desenvolvimento do Startup Center.

Hoje será também apresentada a linha ADN Start UP, com 10 milhões de euros disponíveis para empresas com quatro ou menos anos de existência e com um mínimo de 15% de capitais próprios. O montante máximo de financiamento desta linha é de 50 mil euros.

Está ainda previsto um incentivo fiscal – KEEP - Key Emplyee Engagement Program – para empresas de base tecnológica com menos de seis anos que consigam competir com outras empresas no recrutamento e retenção de quadros altamente qualificados.

"Através desta iniciativa, as startups poderão pagar aos seus trabalhadores com participações em capital da empresa, sendo que os ganhos resultantes das participações sociais pelos trabalhadores estão isentos de IRS, adianta o Ministério da Economia.

Outra medida é o Startup Voucher, um apoio destinado ao desenvolvimento de projectos em fase de ideia, que abre as candidaturas hoje, com 400 vagas, incluindo pela primeira vez projectos candidatos da região de Lisboa.

Há também o programa Momentum, que é um apoio destinado a recém-graduados e finalistas do ensino superior que tenham beneficiado de bolsas de acção social durante o curso e que no final pretendam desenvolver uma ideia de negócio, a novidade é que o número de projectos apoiados "aumentará significativamente", estimando-se "a abertura de 50 vagas por ano", segundo o Ministério da Economia.

Entre outras medidas, há ainda o Vale Incubação, apoio a empresas com menos de um ano na área do empreendedorismo, cuja novidade é a "aceitação de candidaturas em contínuo e aumento do valor máximo de apoio para 7.500 euros, excepto Lisboa (5.000 euros)", sendo que o próximo aviso será aberto este mês.

O programa inclui ainda cursos de formação para empreendedores e colaboradores de startups comparticipados a 90% através de fundos COMPETE (objectivo é 1.200 formandos); aproximar as startups do sector público, através da medida InovGov – soluções inovadoras para o sector público; a 'open kitchen labs', que apoia o teste de novos produtos, serviços ou conceitos na área da restauração; e a realização de maratonas de programação ('hackathons') para acelerar a transformação digital nos sectores do comércio e turismo.

São também novidades o Inov Comércio, que pretende lançar concursos para apresentação de projectos inovadores que contribuam para estimular o empreendedorismo e inovação na área do comércio, e o 'Energy Challenge', de apoio a projectos na área da energia, com uma dotação de um milhão de euros (o financiamento será entre 20 a 50 mil euros, não reembolsáveis).

Fundos de co-investimento internacional; instrumentos de co-investimento com incubadoras e aceleradoras; capital + aceleração; e linhas de financiamento de desenvolvimento tecnológico para o Turismo (linha de apoio à digitalização e 'call' para projetos no setor) são outras das medidas.

A lista de novas iniciativas inclui ainda a CALL MVP - MinimumViable Products, para permitir o acesso a investimento de capital de risco; a captação para Portugal do programa de aceleração internacional da rede Techstars (Metro accelerator for hospitality powered by Techstars); o espaço empresa para 'startups' e a Tech Visa, programa de atracção de talento para Portugal.

A Estratégia Nacional para o Empreendedorismo - Startup Portugal foi lançada em 2016 como uma das prioridades do Governo para fomentar a competitividade da economia, criação de emprego e atracção de investimento.

(PressTUR com Agência Lusa)

 

Clique para ver mais: Portugal

Share
Tweet
+1
Share
Comentários
Escrever comentário

Outras Notícias

Mesmo com Brexit ‘à porta’, britânicos foram os turistas que mais despenderam em Portugal em 2018

21-02-2019 (17h54)

Os residentes no Reino Unido, mesmo com o adensar da perspectiva de um ‘divorcio litigioso’ com a União Europeia e apesar de uma quebra no alojamento turístico português, não só se mantiveram em 2018 os líderes em gastos turísticos em Portugal em 2018, como foram os que fizeram o segundo maior aumento.

Portugal teve aumentos a dois dígitos de gastos de turistas de 37 países

21-02-2019 (17h49)

Apesar dos ventos desfavoráveis principalmente na segunda metade do ano, Portugal concluiu 2018 com um aumento médio dos gastos de turistas estrangeiros em 9,6%, com 37 em 62 com dados disponíveis no Banco de Portugal a registarem aumentos a dois dígitos.

Brasil foi o destino com a maior queda de gastos turísticos dos portugueses em 2018

21-02-2019 (16h37)

O Brasil, que enfrentou vários desafios em 2018, nomeadamente uma sucessão presidencial turbulenta, foi o país que teve a maior quebra de gastos turísticos dos portugueses, entre 61 com dados publicados pelo Banco de Portugal, mas conseguiu ainda assim manter-se no Top10 dos destinos.

Gastos dos portugueses em turismo ultrapassam os cem milhões de euros em oito países

21-02-2019 (16h35)

Espanha, França, Reino Unido, Alemanha, Estados Unidos, Bélgica, Itália e Holanda foram os únicos países a somarem mais de cem milhões de euros de gastos turísticos de residentes em Portugal no ano de 2018, de acordo com dados do Banco de Portugal recolhidos pelo PressTUR.

Espanha já fica com praticamente 30% dos gastos dos portugueses em turismo no estrangeiro

21-02-2019 (15h56)

Espanha atingiu em 2018 a maior parcela dos últimos cinco anos de gastos dos portugueses em turismo no estrangeiro contabilizados pelo Banco de Portugal, com o montante de 1,39 milhões de euros, que equivale a 29,68% do total.