Presidente da mesa da Assembleia Geral da TPNP congratula-se com criação de uma lista única

11-01-2019 (12h14)

Luís Pedro Martins é candidato a presidente

O presidente da mesa da Assembleia Geral da Turismo do Porto e Norte de Portugal (AG-TPNP), Eduardo Vítor Rodrigues, congratulou-se com a junção das duas listas candidatas, dizendo ficar "sempre satisfeito quando a região consegue entender-se e encontrar uma estratégia de paz e de coesão, porque é um sinal de maturidade para todos".

Júlio Meirinhos e Luís Pedro Martins formalizaram as suas candidaturas à Turismo Porto e Norte no dia 7 de Janeiro, que foram chumbadas por "irregularidades" três dias depois.

"O que aconteceu é que ambas as listas tinham irregularidades. Recusei-as e dei-lhes 48 horas para sanarem as ilegalidades. Senão o fizessem em 48 horas, as listas seriam definitivamente rejeitadas", disse Eduardo Vítor Rodrigues em entrevista telefónica à Lusa.

O presidente da Mesa da Assembleia da TPNP salvaguardou, todavia, que apesar de ambas as listas terem problemas, em nenhum dos casos eram passíveis de anular definitivamente a lista e as candidaturas.

No caso da lista de Luís Pedro Martins, havia problemas que tinham a ver com o "incumprimento de números de privados no Conselho de Marketing" e na lista de Júlio Meirinhos havia um "problema com uma entidade privada que fazia parte da lista, mas que estava ao mesmo tempo a apoiar a lista de Luís Pedro Martins", explicou aquele responsável.

Na sequência do chumbo, o director executivo da Torre dos Clérigos, no Porto, Luís Pedro Martins, anunciou ontem que era candidato único a presidente da TPNP.

"Em nome da coesão regional e da importância do sector do Turismo para a economia da região Norte, as duas candidaturas às eleições da Entidade de Turismo do Porto e Norte de Portugal chegaram a um acordo em reunião ocorrida quarta-feira ao final do dia", lia-se num comunicado enviado ontem, e assinado pelos mandatários das antigas duas listas.

Questionado pela Lusa sobre se ficava satisfeito com a junção das duas listas, Eduardo Vítor Rodrigues assumiu que ficava "sempre satisfeito quando a região consegue entender-se e encontrar uma estratégia de paz e de coesão, porque é um sinal de maturidade para todos".

O presidente da mesa da AG-TPNP recordou que o acordo entre as duas listas foi assumido na quarta-feira, numa reunião em Vila Nova de Gaia convocada por ele próprio com o objectivo de sentar os dois candidatos à mesa e pedir-lhes, em nome da "imagem da região", "um sacrifício que era no fundo tentar uma solução de consenso".

A fusão das duas listas é um "sinal de tranquilidade para as câmaras e para os privados, porque a TPNP está a passar por um tempo péssimo e a direcção que para lá vai não terá tempos fáceis", acrescentou.

"O meu papel era lutar até às últimas hipóteses para tentar uma solução unificadora, que foi o que consegui, felizmente e graças à disponibilidade de ambas as partes", concluiu.

As eleições da TPNP estão marcadas para o próximo dia 18 de Janeiro, na sede da TPNP, em Viana do Castelo, entre as 14h e as 18h.

Melchior Moreira, o antigo presidente da TPNP, foi destituído recentemente da função de presidente da Comissão Executiva da TPNP e está em prisão preventiva desde o final do ano de 2018 no âmbito da Operação Éter, uma investigação em curso da Polícia Judiciária sobre uma alegada viciação de procedimentos de contratação pública.

(PressTUR com Agência Lusa)

 

Clique para ver mais: Portugal

Share
Tweet
+1
Share
Comentários
Escrever comentário

Outras Notícias

Groundforce prevê investir 2,85 milhões de euros em 2019 e acredita que vai operar no Montijo

21-01-2019 (15h30)

A Groundforce estima investir este ano 2,85 milhões de euros, avançou o presidente executivo, Paulo Neto Leite, que está convicto de que a empresa de handling (assistência em terra) irá operar no futuro aeroporto complementar do Montijo.

Terminal de actividades marítimo-turísticas de Lisboa deverá estar a funcionar até ao final do ano

21-01-2019 (15h12)

A estação fluvial Sul e Sueste, no Terreiro do Paço, em Lisboa, está a ser alvo de requalificação e deverá estar em funcionamento como terminal de actividades marítimo-turísticas até ao final do ano, cerca de dois anos mais tarde que o previsto inicialmente.

Gastos dos portugueses aumentaram mais que receitas turísticas pela primeira vez em 34 meses

21-01-2019 (14h51)

Os gastos turísticos dos portugueses subiram 51,20 milhões de euros em Novembro passado, ultrapassando pela primeira vez o aumento dos gastos de turistas estrangeiros, que foi de 43,45 milhões, o que já não acontecia desde Janeiro de 2016.

Hotel na antiga sede do FC Porto vai custar 2,8 milhões de euros

21-01-2019 (14h48)

O Futebol Clube do Porto vai investir 2,8 milhoes de euros para construir um hotel de charme com 54 quartos na sua antiga sede, localizada no centro da cidade do Porto.

Gastos dos portugueses em turismo no estrangeiro também atingiram novo recorde anual

21-01-2019 (14h15)

À semelhança dos gastos de turistas estrangeiros no país, também os gastos dos portugueses em viagens e turismo no estrangeiro superaram no fim de Novembro de 2018 o total de 2017, passando pela primeira vez os 4.300 milhões de euros num ano.