Portugal na Fitur a "trabalhar novos mercados", Rita Marques

23-01-2020 (15h31)

“Vamos continuar a trabalhar novos mercados e a estruturar a oferta com novos produtos turísticos”, afirmou Rita Marques, secretária de Estado do Turismo português, na Feira Internacional de Turismo de Madrid (Fitur).

Rita Marques falava aos jornalistas esta quarta-feira, na inauguração 40ª edição da Fitur, onde 161 empresas portuguesas marcam presença.

A governante salientou a importância de as empresas portuguesas estarem numa das maiores feiras mundiais que permite o encontro entre os que procuram e os que oferecem serviços turísticos.

A secretária de Estado sublinhou que “90% do orçamento” público para promover Portugal como destino turístico é investido em plataformas digitais. “É aí que queremos chegar a todos”, acrescentou.

Rita Marques lembrou a estimativa de que Portugal deverá fechar 2019 com receitas de mais de 18 mil milhões de euros. “Já não estamos a crescer a dois dígitos, era impossível continuar, mas estamos a ter um crescimento sustentável e muito acima do da União Europeia”, afirmou a secretária de Estado.

Rita Marques também se congratulou pelo reconhecimento, por parte da Organização Mundial do Turismo (OMT), do Observatório de Turismo dos Açores e do Observatório Regional para o Turismo Sustentável do Algarve, que passam a integrar a Rede Internacional de Observatórios (INSTO).

A responsável governamental referiu ainda a “grande importância” para Portugal do mercado espanhol, que “representa o principal mercado emissor” e que é “o terceiro em termos de dormidas”.

Presente também na inauguração da Fitur, o presidente do Turismo de Portugal, Luís Araújo, salientou que os “mercados emissores” de turistas continuam a crescer em todo o mundo, principalmente na Ásia.

“Estão permanentemente à procura do que chamamos experiências e nós temos de saber transmitir quais são o tipo de experiências que Portugal pode dar”, disse Luís Araújo.

Na edição deste ano da Fitur, que decorre até 26 de Janeiro, Portugal está representado pelas sete agências regionais de promoção turística e mais de 160 empresas, com o stand oficial português a ocupar 915 metros quadrados, onde estão 90 das empresas nacionais.

Segundo o Turismo de Portugal, o sector é a maior actividade económica exportadora do país, tendo sido responsável, em 2018, por 51,5% das exportações de serviços e por 18,6% das exportações totais.

A actividade promocional em 2020 estará “ancorada na preservação e valorização económica do património cultural e natural de Portugal” e, ao ter subjacente nas suas iniciativas e acções os valores e princípios da sustentabilidade, contribuirá para “o reconhecimento e afirmação de Portugal como destino mundial de referência”.

De acordo com os organizadores da feira, a Fitur 2020 deverá ter um impacto económico em Madrid semelhante ao da edição anterior, que foi de 325 milhões de euros, principalmente nos setores da hotelaria, restauração e transportes.

(PressTUR com Agência Lusa)

 

Clique para ver mais: Fitur

Clique para ver mais: Portugal

Share
Tweet
+1
Share
Comentários
Escrever comentário

Outras Notícias

Gastos dos portugueses em turismo no estrangeiro atingiram 56 meses consecutivos a subir

19-02-2020 (17h55)

Os gastos dos portugueses em turismo no estrangeiro contabilizados pelo Banco de Portugal completaram em Dezembro passado 56 meses consecutivos de subidas, de acordo com os dados consultados pelo PreessTUR, que indicam que em 2019 foi ultrapassada pela primeira vez a marca dos cinco mil milhões de euros.

Receitas turísticas portuguesas ultrapassaram os 18,4 mil milhões de euros em 2019

19-02-2020 (16h31)

As exportações portuguesas de turismo, que representam os gastos no país por turistas residentes no estrangeiro atingiram o recorde de 18.430,72 milhões de euros em 2019, mais 1.377,18 milhões que no ano de 2018, que também tinha sido recorde.

Atribuição de prémios na TAP com "100 milhões de euros de prejuízos" em 2019 é “inaceitável”, diz ministro

19-02-2020 (15h47)

O Governo considerou hoje “inaceitável” que a TAP, empresa que “tem 100 milhões de euros de prejuízos” em 2019, atribua prémios a uma minoria de trabalhadores, ressalvando que a decisão não é da administração, mas da gestão privada.

Quadro legal para certificação do aeroporto do Montijo pela ANAC tem que ser revisto, diz ministro

19-02-2020 (15h34)

O ministro das Infraestruturas e da Habitação, Pedro Nuno Santos, disse hoje que o quadro legal para certificação do aeroporto do Montijo pela Autoridade Nacional da Aviação Civil (ANAC) “tem obviamente de ser revisto”, uma vez que “é absolutamente incompreensível que fosse o presidente da Câmara da Moita a negar” a construção do aeroporto.

“Mais de 400 mil passageiros não virão a Portugal este Verão” por falta de capacidade aeroportuária, diz ministro

19-02-2020 (15h31)

O ministro das Infraestruturas e da Habitação disse hoje que "mais de 400 mil passageiros não virão a Portugal este Verão" por falta de capacidade aeroportuária e que o país está "a pagar caro" o adiamento de investimentos.

Noticias mais lidas