OMT prevê abrandamento do crescimento do turismo internacional este semestre

11-10-2018 (12h41)

Europa e Ásia e Pacífico lideraram crescimento na primeira metade do ano

A Organização Mundial do Turismo (OMT) prevê que o crescimento do turismo internacional, que estimou em 6% no primeiro semestre, abrande na segunda metade do ano, embora mantenha a perspectiva de "um forte impulso" este ano.

"Tendo em conta este sólido primeiro semestre, as perspectivas de crescimento para o resto de 2018 mantêm-se positivas em termos gerais, ainda que a um ritmo mais lento, segundo a última sondagem do índice de confiança da OMT", informou a agência das Nações Unidas para o turismo.

A organização especificou que "o índice para o período de Maio a Agosto, assim como as expectativas de Setembro a Dezembro, são algo menores que o valor do índice para os meses de Janeiro a Abril".

Segundo a OMT o turismo internacional cresceu 6% a nível mundial no primeiro semestre, com a Europa e a Ásia e Pacífico a liderarem com aumentos de 7%, seguidas pelo Médio Oriente, com 5%, África, com 4%, e Américas, com 3%.

Os dados divulgados pela OMT mostram que o crescimento do turismo internacional mais forte na Europa foi impulsionado principalmente pela evolução na Europa do Sul e Mediterrâneo, onde inclui Portugal, que é a região que recebe mais turistas, com 267,5 milhões em 2017, e a que tem o crescimento mais forte, com +8,7% no primeiro semestre, nomeadamente pelos aumentos acima de 9% em Maio (9,5%) e Junho (9,2%).

A região com o crescimento mais forte na primeira metade do ano foi no entanto o Sudeste Asiático, com um aumento em 9,4%, neste caso principalmente pelo aumento em 11,3% no primeiro trimestre.

O boletim publicado pela OMT especifica que o crescimento médio do turismo internacional na Ásia e Pacífico no primeiro semestre foi de 7,4%, acima dos 6,8% verificados na Europa, cuja média foi penalizada pelos 0,9% na Europa do Norte, uma vez que a Europa Ocidental teve um aumento em 6,7%, a Europa Central e do Leste teve +7% e a Europa do Sul e Mediterrânica teve +8,7%.

Para as Américas, a OMT indicou um crescimento médio em 3,3% no primeiro semestre, penalizado pelas quebras de 9,4% nas Caraíbas e 0,4% na América Central e suportado pelos aumento de 5,3% na América do Norte e 7,4% na América do Sul.

Relativamente a África, os dados da OMT indicam que o aumento médio no semestre em 4% foi ‘puxado' pela subida em 6,9% no Norte de África, enquanto na África Subsahariana o crescimento foi de 2,7%.

 

Clique para mais notícias: OMT

Share
Tweet
+1
Share
Comentários
Escrever comentário

Outras Notícias

LVMH vai comprar dona do Reid’s Palace, por 2,8 mil milhões de euros

14-12-2018 (16h16)

A Louis Vuitton Moet Hennessy (LVMH) chegou a um acordo para comprar a Belmond, proprietária de hotéis de luxo, incluindo o Reid's Palace na Madeira, por 3,2 mil milhões de dólares, cerca de 2,8 mil milhões de euros.

Operador dinamarquês vai ter charters para Portugal com a Jet Time, após falência da Primera Air

14-12-2018 (15h49)

O operador turístico dinamarquês Bravo Tours contratou a companhia aérea Jet Time para fazer as suas operações charter no próximo Verão, incluindo voos para Portugal, que estavam previstas ser realizadas pela Primera Air, que declarou falência em Outubro.

TAP prevê poupar 30 milhões de euros na factura de combustível em 2019

14-12-2018 (12h56)

A TAP prevê conseguir em 2019 uma poupança de 30 milhões de euros nos custos de combustível, graças à renovação da frota com aviões mais eficientes, de acordo com o Chief Financial Officer (CFO) da companhia, Raffael Quintas.

Manutenção e engenharia da TAP no Brasil prevê lucro de 3 milhões de euros em 2019 – Antonoaldo Neves

14-12-2018 (12h35)

O negócio da manutenção e engenharia da TAP no Brasil, a ex-VEM (Varig Engenharia e Manutenção), atingiu o equilíbrio operacional em 2018 e deverá alcançar em 2019 um lucro operacional de três milhões de euros, disse Antonoaldo Neves, CEO da TAP.

TAP vai pagar 120 milhões de euros da sua dívida a partir de Março – Antonoaldo Neves

14-12-2018 (12h33)

A TAP vai pagar 120 milhões de euros da sua dívida a partir de Março, pagando uma média de 10 milhões de euros por mês, disse Antonoaldo Neves, CEO da companhia de aviação portuguesa.

Ultimas Noticias