Museu do Côa vai ter passadiços de ligação ao rio Douro

26-02-2018 (15h30)

Foto: José Paulo Ruas/Fundação Côa Parque/www.arte-coa.pt
Foto: José Paulo Ruas/Fundação Côa Parque/www.arte-coa.pt

O município de Foz Côa e a Fundação Côa Parque vão construir passadiços para fazer a ligação do museu e do parque arqueológico à margem do rio Douro, tendo em vista o turismo fluvial, disse o presidente da autarquia à Agência Lusa.

“O que se pretende é uma maior aproximação do turismo fluvial do Douro com o Museu do Côa e, ao mesmo tempo, criar passadiços que liguem alguns núcleos da arte rupestre do parque arqueológico”, afirmou à Agência Lusa o presidente da câmara de Foz Côa, Gustavo Duarte.

O projecto, prosseguiu o autarca, “servirá para acelerar a construção de um cais fluvial nas proximidades do museu, de forma a permitir o desembarque de turistas que procuram a arte do Côa e os produtos endógenos”.

Na primeira fase será construído um passadiço com cerca de um quilómetro de extensão, desenhado em forma de uma das gravuras rupestre do Vale do Côa e desenvolvido pelos autores do projecto para o rio Paiva, na zona de Arouca.

“Outra das ideias é ligar um novo passadiço à antiga estação de caminho-de-ferro do Côa, no troço de linha desativado entre o Pocinho a Barca d' Alva. O imóvel da estação será alvo de requalificação, já havendo empresários interessados na iniciativa”, acrescentou Gustavo Duarte.

Em Vila Nova de Foz Côa, no distrito da Guarda, o projecto vai arrancar no sopé do museu para permitir a visita a alguns núcleos de gravuras rupestres no Vale de José Esteves e da Vermiosa.

“Depois, vamos alargar o projecto para que os visitantes tenham uma forma diferente de apreciar a natureza e este nosso património rupestre, e o próprio Douro e o Côa”, sublinhou o autarca.

O presidente da Fundação Côa Parque, Bruno Navarro, considerou por sua vez que o projecto pode constituir uma mais-valia para a valorização do território do Côa.

“Este passadiço poderá ser mais uma atracção para os turistas que utilizam a via fluvial para descobrirem o vale do Douro”, frisou.

Com este projeto, a Fundação Côa Parque assume o compromisso de abrir mais núcleos de Arte Rupestre ao público, sem ser necessário fazer o transporte em viaturas todo o terreno.

(PressTUR com Agência Lusa)

 

Clique para mais notícias: Portugal

Share
Tweet
+1
Share
Comentários
Escrever comentário

Outras Notícias

TAP antecipa e cancela voos da Madeira no sábado devido à passagem de furacão Leslie

12-10-2018 (17h21)

A companhia de aviação portuguesa TAP antecipou três voos previstos para Sábado de manhã da Madeira e cancelou a operação no arquipélago naquele dia até às 18:00 devido ao mau tempo esperado pela passagem do furacão Leslie.

MSC Cruzeiros prevê ter este ano “o maior crescimento que tivemos até hoje” – Eduardo Cabrita

12-10-2018 (16h29)

O director-geral da MSC Cruzeiros em Portugal, Eduardo Cabrita, espera atingir este ano “o maior crescimento que tivemos até hoje” em volume de passageiros face ao ano anterior, numa variação “provavelmente” acima de 20%.

Aviso de mau tempo em São Miguel e Santa Maria prolongado até às 18h de hoje

12-10-2018 (14h39)

A Protecção Civil dos Açores estendeu até às 18h:00 locais (mais uma em Lisboa) o aviso de mau tempo com precipitação forte e trovoada nas ilhas de São Miguel e Santa Maria, grupo Oriental do arquipélago.

Câmara de Lisboa duplica taxa turística em 2019

12-10-2018 (14h22)

A Câmara de Lisboa vai aumentar a Taxa Municipal Turística em 2019, de um para dois euros por noite, para, segundo anunciou, reforçar a limpeza urbana e os transportes nas zonas com maior pressão do turismo.

Crescimento dos aeroportos portugueses abranda para 4,2% no 3º trimestre

12-10-2018 (14h10)

A Vinci Airports, que ganhou a privatização da ANA Aeroportos de Portugal, gestora dos aeroportos portugueses, informou hoje que no terceiro trimestre os dez aeroportos que gere em Portugal tiveram um aumento de passageiros em 4,2%, depois de +6,9% no segundo trimestre, 12% no primeiro e 16,5% no ano de 2017.