Impactos ambientais no Montijo “são limitados e capazes de ser mitigados” – ministro do Planeamento

11-05-2018 (10h56)

O ministro do Planeamento e das Infraestruturas, Pedro Marques, minimizou as conclusões de um relatório sobre os impactos ambientais na construção do aeroporto do Montijo, referindo que “são ultrapassáveis e passíveis de ser mitigados”.

O Estudo de Impacte Ambiental (EIA) para o futuro aeroporto do Montijo viabiliza o projecto, mas recomenda medidas para minimizar consequências sobre a fauna, flora e ambiente sonoro (clique para ler: Estudo ambiental viabiliza novo aeroporto do Montijo).

Pedro Marques, ontem em declarações à agência Lusa durante uma visita ao concelho de Sintra, o ministro do Planeamento e das Infraestruturas, Pedro Marques, manifestou-se confiante no sucesso do projecto, sublinhando que a opção do Montijo “é a melhor opção”.

“Este relatório não trouxe surpresas em relação ao que esperávamos. É uma infraestrutura que já serve de pista de aterragem (militar) e que neste caso terá uma mudança no seu uso, passando a ter também uma utilização por civis”, apontou o governante.

Sobre os alertas e sugestões deixadas por este estudo, Pedro Marques disse apenas que os impactos apontados “são limitados e capazes de ser mitigados”.

Entretanto, o governante adiantou que a concessionária do aeroporto, a ANA - Aeroportos e Navegação Aérea, já submeteu este relatório à Agência Portuguesa do Ambiente (APA), entidade a quem caberá emitir um parecer final sobre os impactos ambientais.

“Abre-se aqui um processo de avaliação e de consulta pública e esperemos que, no final do ano, a APA possa emitir uma declaração de impacto ambiental favorável”, perspetivou o ministro.

Para o governante, a opção no Montijo “é a mais eficiente” e a que “melhor servirá” a região de Lisboa e o país.

“Estamos confiantes no desenvolvimento deste processo para que a região de Lisboa e o resto do país não fiquem limitados no crescimento do turismo e da atividade económica por este constrangimento do aeroporto de Lisboa”, concluiu.

(PressTUR com Agência Lusa)

 

Ver também:

CTP duvida que aeroporto no Montijo esteja a funcionar no 1º trimestre de 2022

Associação Zero defende Avaliação Ambiental Estratégica para o aeroporto do Montijo

 

 

Clique para mais notícias: Aviação

Clique para mais notícias: Portugal

Share
Tweet
+1
Share
Comentários
Escrever comentário

Outras Notícias

TAP antecipa e cancela voos da Madeira no sábado devido à passagem de furacão Leslie

12-10-2018 (17h21)

A companhia de aviação portuguesa TAP antecipou três voos previstos para Sábado de manhã da Madeira e cancelou a operação no arquipélago naquele dia até às 18:00 devido ao mau tempo esperado pela passagem do furacão Leslie.

MSC Cruzeiros prevê ter este ano “o maior crescimento que tivemos até hoje” – Eduardo Cabrita

12-10-2018 (16h29)

O director-geral da MSC Cruzeiros em Portugal, Eduardo Cabrita, espera atingir este ano “o maior crescimento que tivemos até hoje” em volume de passageiros face ao ano anterior, numa variação “provavelmente” acima de 20%.

Aviso de mau tempo em São Miguel e Santa Maria prolongado até às 18h de hoje

12-10-2018 (14h39)

A Protecção Civil dos Açores estendeu até às 18h:00 locais (mais uma em Lisboa) o aviso de mau tempo com precipitação forte e trovoada nas ilhas de São Miguel e Santa Maria, grupo Oriental do arquipélago.

Câmara de Lisboa duplica taxa turística em 2019

12-10-2018 (14h22)

A Câmara de Lisboa vai aumentar a Taxa Municipal Turística em 2019, de um para dois euros por noite, para, segundo anunciou, reforçar a limpeza urbana e os transportes nas zonas com maior pressão do turismo.

Crescimento dos aeroportos portugueses abranda para 4,2% no 3º trimestre

12-10-2018 (14h10)

A Vinci Airports, que ganhou a privatização da ANA Aeroportos de Portugal, gestora dos aeroportos portugueses, informou hoje que no terceiro trimestre os dez aeroportos que gere em Portugal tiveram um aumento de passageiros em 4,2%, depois de +6,9% no segundo trimestre, 12% no primeiro e 16,5% no ano de 2017.