Impactos ambientais no Montijo “são limitados e capazes de ser mitigados” – ministro do Planeamento

11-05-2018 (10h56)

O ministro do Planeamento e das Infraestruturas, Pedro Marques, minimizou as conclusões de um relatório sobre os impactos ambientais na construção do aeroporto do Montijo, referindo que “são ultrapassáveis e passíveis de ser mitigados”.

O Estudo de Impacte Ambiental (EIA) para o futuro aeroporto do Montijo viabiliza o projecto, mas recomenda medidas para minimizar consequências sobre a fauna, flora e ambiente sonoro (clique para ler: Estudo ambiental viabiliza novo aeroporto do Montijo).

Pedro Marques, ontem em declarações à agência Lusa durante uma visita ao concelho de Sintra, o ministro do Planeamento e das Infraestruturas, Pedro Marques, manifestou-se confiante no sucesso do projecto, sublinhando que a opção do Montijo “é a melhor opção”.

“Este relatório não trouxe surpresas em relação ao que esperávamos. É uma infraestrutura que já serve de pista de aterragem (militar) e que neste caso terá uma mudança no seu uso, passando a ter também uma utilização por civis”, apontou o governante.

Sobre os alertas e sugestões deixadas por este estudo, Pedro Marques disse apenas que os impactos apontados “são limitados e capazes de ser mitigados”.

Entretanto, o governante adiantou que a concessionária do aeroporto, a ANA - Aeroportos e Navegação Aérea, já submeteu este relatório à Agência Portuguesa do Ambiente (APA), entidade a quem caberá emitir um parecer final sobre os impactos ambientais.

“Abre-se aqui um processo de avaliação e de consulta pública e esperemos que, no final do ano, a APA possa emitir uma declaração de impacto ambiental favorável”, perspetivou o ministro.

Para o governante, a opção no Montijo “é a mais eficiente” e a que “melhor servirá” a região de Lisboa e o país.

“Estamos confiantes no desenvolvimento deste processo para que a região de Lisboa e o resto do país não fiquem limitados no crescimento do turismo e da atividade económica por este constrangimento do aeroporto de Lisboa”, concluiu.

(PressTUR com Agência Lusa)

 

Ver também:

CTP duvida que aeroporto no Montijo esteja a funcionar no 1º trimestre de 2022

Associação Zero defende Avaliação Ambiental Estratégica para o aeroporto do Montijo

 

 

Clique para mais notícias: Aviação

Clique para mais notícias: Portugal

Share
Tweet
+1
Share
Comentários
Escrever comentário

Outras Notícias

Plano de Investimentos prevê 102ME para a Via Navegável do Douro

16-01-2019 (18h35)

A melhoria das condições de navegabilidade e de segurança do rio Douro tem dedicados 102 milhões no Plano Nacional de Investimentos (PNI) 2030, de acordo com o documento do Governo.

Governo garante presença de Portugal na FITUR

16-01-2019 (18h34)

O ministro da Economia garantiu hoje a presença de Portugal na FITUR, via “trabalho com as regiões de turismo”, para ‘contornar’ efeito do processo judicial que impede a presença de stands do Turismo de Portugal em eventos internacionais.

Turistas portugueses na Dominicana voltaram em 2018 a ser mais de 40 mil

16-01-2019 (17h50)

A República Dominicana recebeu 40,5 mil turistas residente em Portugal em 2018, que foi assim o segundo ano em que teve mais de 40 mil turistas residentes em Portugal, depois de em 2009 ter atingido os 42,7 mil, que se mantém o recorde anual.

Portugal foi o 2º emissor europeu que mais cresceu para a Dominicana em 2018

16-01-2019 (17h48)

Portugal, com mais 9.188 turistas na Dominicana em 2018, teve o segundo maior aumento do ano entre 25 emissores europeus, atrás apenas de Inglaterra, de onde o destino teve um aumento de 9.980 turistas.

Governo está em negociações com a Ryanair para aumentar voos com Alemanha

16-01-2019 (17h45)

O ministro Adjunto e da Economia, Pedro Siza Vieira, disse hoje que o Governo está em negociações com a Ryanair para aumentar ligações aéreas com a Alemanha, origem/destino que para este Inverno tem programados 177 voos regulares por semana de/para Lisboa, operados pelas transportadoras TAP, easyJet, Eurowings, Lufthansa e Ryanair.