Hotelaria portuguesa prevê melhorar RevPAR este Verão – AHP

12-07-2018 (11h36)

A hotelaria portuguesa prevê este Verão alcançar níveis semelhantes a 2017 a nível de ocupação e estada média, mas aumentar a receita de quartos por quarto disponível (RevPAR) e o preço médio por quarto disponível (ARR), conclui um inquérito da Associação da Hotelaria de Portugal (AHP).

O inquérito foi realizado entre 29 de Maio e 21 de Junho com base nas pré-reservas efectuadas em hotéis associados, com uma amostra de 40%.

A AHP indica que 71% dos hoteleiros perspectiva que este Verão a RevPAR será melhor ou muito melhor que no Verão de 2017, e 72% prevê melhorar o preço médio por quarto disponível (ARR).

Lisboa é a região em destaque a nível de previsões para a RevPAR, com 84% dos inquiridos a responder que perspectiva obter resultados melhores ou muito melhores.

A nível de ocupação por quarto, 61% dos inquiridos perspectiva alcançar uma taxa superior a 80%, enquanto 31% prevê alcançar uma taxa entre 61% e 80%, 7% prevê ter entre 41% e 60% e apenas 1% estima alcançar uma taxa de ocupação até 40%.

As respostas indicam que 45% dos inquiridos perspectiva alcançar este Verão uma taxa de ocupação igual à do ano passado e 39% prevê melhorar o indicador, enquanto 2% prevê alcançar um resultado muito melhor e 11% prevê uma taxa pior.

A AHP especifica que os inquiridos do Norte, Centro e Açores consideram que a taxa de ocupação será melhor do que no Verão do ano passado.

Relativamente a estada média, 76% dos hoteleiros portugueses estima que será igual à do ano anterior, sendo que 45% espera uma estada média entre um e três dias e 37% entre três a cinco dias.

A maior duração das estadas - cinco a dez dias - é esperada no Algarve e na Madeira (65% dos inquiridos), sendo que 67% dos inquiridos dos Açores prevê uma estada média de três a cinco dias.

Os hoteleiros apontam o mercado interno (18%), Espanha e França (15%) como sendo os principais para este Verão, destacando-se também a melhoria das expectativas para o mercado francês e brasileiro, com 45% e 44% dos hoteleiros, respetivamente, a indicarem que a evolução destes mercados será melhor ou muito melhor que no Verão do ano anterior.

Cristina Siza Vieira, presidente executiva da AHP, citada em comunicado, afirmou que “não há grandes surpresas” e que “os hoteleiros estão relativamente menos optimistas em termos de crescimento da ocupação, mas porque as taxas de ocupação são já tradicionalmente elevadas nesta época do ano (no ano passado fechámos o verão com uma TO de 86%)”.

Tal como no inquério de 2017, a perspectiva é que “o ARR e o RevPAR sejam melhores do que no ano anterior, o que aliás tem acompanhado o crescimento que se tem verificado nestes indicadores desde o início de 2018”, acrescentou Cristina Siza Vieira.

 

Ver também:

Hotéis do Algarve e da Madeira perspectivam quebra do mercado britânico este Verão – AHP 

 

Clique para ver mais: AHP

Clique para ver mais: Hotelaria portuguesa

Clique para ver mais: Hotelaria

Clique para ver mais: Portugal

Share
Tweet
+1
Share
Comentários
Escrever comentário

Outras Notícias

Governo ‘queixa-se’ das “muitas vantagens” da ANA nas negociações sobre o Montijo

16-11-2018 (18h15)

O secretário de Estado das Infra-estruturas, Guilherme d'Oliveira Martins, lamentou-se hoje das "muitas vantagens" atribuídas pelo anterior Governo à ANA e que classificou como "instrumentos fortes" que têm atrasado as negociações sobre o aeroporto complementar do Montijo.

Grupo Douro Azul espera licenciar este ano hotel na escarpa de Gaia

16-11-2018 (18h01)

A Mystic Invest, empresa do universo Douro Azul responsável pelo projecto de um hotel na escarpa da Serra do Pilar, Vila Nova de Gaia, que inclui o restauro da Capela Senhor D'Além, espera lançar o licenciamento ainda este ano.

Algarve precisa de voos de longo curso para compensar quebra do Reino Unido – Chitra Stern, Martinhal Hotels

16-11-2018 (18h01)

Chitra Stern, proprietária e fundadora da Martinhal Hotels & Resorts, defendeu hoje no Congresso da AHP a diversificação de mercados de origem para compensar a quebra do mercado britânico no Algarve, designadamente através da criação de rotas de longo curso de/para Faro.

Lisboa teve até Setembro o 7º maior aumento de passageiros dos aeroportos europeus

16-11-2018 (17h26)

O Aeroporto de Lisboa, sobre o qual praticamente só se comenta que está esgotado, ao ponto de alguns dirigentes do turismo argumentarem ser essa a causa da queda de dormidas na hotelaria da capital, alcançou, no entanto, o 7º maior aumento de passageiros entre os 237 maiores aeroportos da Europa, nos primeiros nove meses deste ano, de acordo com os dados publicados pelo Airports Council International (ACI).

Lisboa voltou a alcançar o Top5 de crescimento dos maiores aeroportos europeus em Setembro, ACI

16-11-2018 (14h36)

O Aeroporto Humberto Delgado, alegadamente ‘esgotado', teve, ainda assim, o 4º mais forte crescimento de passageiros dos grandes aeroportos europeus no mês de Setembro, indica o ranking publicado pelo Airports Council Internacional (ACI).