Gasto médio dos visitantes estrangeiros em Portugal foi de 450 euros em 2016

07-12-2017 (19h03)

Os visitantes estrangeiros que estiveram em Portugal no ano de 2016 gastaram em média 448 euros durante a sua estada no país, como se pode calcular a partir das informações divulgadas pelo INE e pelo Banco de Portugal.

Segundo o banco central, em 2016 Portugal teve um total de 12.680,56 milhões de euros de gastos de residentes no estrangeiro.

O INE, por sua vez, informou hoje que no ano passado Portugal acolheu 28,3 milhões de visitantes residentes no estrangeiro, com 18,2 milhões de turistas, que são os visitantes que pernoitaram pelo menos uma noite no país, e 10,09 milhões de excursionistas, que são os visitantes que não fazem qualquer pernoita.

Assim, em média os visitantes estrangeiros despenderam em média no país 448 euros.

Diferente é o seu gasto com a viagem a Portugal, em que também são contabilizados os gastos efectuados ainda no seu país de origem.

O Instituto estima que “os turistas não residentes entrados em Portugal gastaram, na globalidade, 15,3 mil milhões de euros em despesas associadas à viagem, em 2016”, o que dá um valor médio de 840 euros por viagem.

O valor médio diário, por sua vez é de 95,7 euros, com 102,5 euros quando chegam pela “fronteira aérea” e um valor “substancialmente menor nas viagens por estrada”, para o caso em que indica o valor de 61,4 euros.

O INE diz ainda que “os turistas do Brasil e dos EUA evidenciaram um gasto médio diário per capita de 166,3 euros e 146,1 euros, em contraste com os valores registados nos principais mercados europeus”, em que ‘o peso do aéreo’ é obviamente menor.

Ainda assim, diz o Instituto, “são de assinalar os valores da Irlanda (115,0 euros), Países Nórdicos (111,9 euros), Itália (108,5 euros) e Reino Unido (107,2 euros)”.

O INE indica ainda que o gasto médio dos visitantes procedentes de Espanha foi de 89,0 euros e compara com o gasto médio de turistas procedentes de “países com elevada incidência de entradas de turistas com ascendência portuguesa”, como França e Suíça, cujos gastos médios diários per capita “foram de apenas 64,2 euros e 78,4 euros (com valores mais elevados na via área e substancialmente inferiores nas entradas por estrada)”.

O INE diz também que estima que os turistas não residentes entrados em Portugal “gastaram, na globalidade, 15,3 mil milhões de euros em

despesas associadas à viagem, em 2016” e que “os maiores contributos vieram dos residentes no Reino Unido (19,8%), de França (12,2%), de Espanha (10,0%), Alemanha (9,8%) e Brasil (8,8%)”.

Já o ranking que se extrai dos dados publicados pelo Banco de Portugal sobre gastos efectuados no país indica França como o primeiro emissor em 2016, com 2.277,28 milhões de euros (18% do total), seguida pelo Reino Unido, com 2.266,79 milhões (17,9% do total), Espanha, com 1.640,82 milhões (12,9% do total), Alemanha, com 1.482,2 milhões (11,7% do total), EUA, com 593,4 milhões (4,7% do total), Holanda, com 585,67 milhões (4,6% do total), e Brasil, com 399,8 milhões (3,2% do total).

A informação divulgada hoje pelo INE especifica ainda que “as entradas de turistas por lazer geraram 74,4% dos gastos turísticos totais, tendo correspondido 17,9% do valor total às viagens para visita a familiares ou amigos”, aquelas com cerca de 11,4 mil milhões de euros e estas com cerca de 2,7 mil milhões.

Ainda segundo a informação divulgada hoje pelo INE a maior fatia dos gastos com as viagens a Portugal é com “transportes internacionais”, que representaram 23,3% dos gastos totais dos turistas não residentes, no montante global de mais de 3,5 mil milhões de euros, seguindo-se “com pesos aproximados entre si”, os gastos em restaurantes, bares e discotecas, com 18,2% do total ou cerca de 2,8 mil milhões, pacotes turísticos (que integram pelo menos aviação e alojamento, quando não, também, alimentação e bebidas), 17,8% ou cerca de 2,7 mil milhões de euros, e alojamento, com 17,3% ou cerca de 2,6 mil milhões de euros.

 

Clique para mais notícias: Portugal

Share
Tweet
+1
Share
Comentários
Escrever comentário

Outras Notícias

Praias do Algarve reabrem a banhos

19-06-2019 (14h38)

As praias do Algarve vão hoje reabrir a banhos, depois de as análises efectuadas às micro algas terem revelado que não há registo de intoxicação em humanos, disse à Lusa o director regional da Agência Portuguesa do Ambiente (APA).

Azores Airlines (SATA Internacional) chega a mais oito destinos no Canadá com a WestJet

19-06-2019 (13h22)

A companhia de aviação açoriana Azores Airlines, que opera os voos internacionais do grupo SATA, iniciou este mês um acordo de partilha de código com a low cost canadiana WestJet, uma das companhias de aviação fundadas por David Neeleman, accionista de referência da TAP.

Área das Aldeias Históricas conta com 22 Biosphere Commited Companies

18-06-2019 (16h02)

Vinte e duas empresas que operam na área das 12 Aldeias Históricas de Portugal receberam hoje certificados Biosphere Commited Companie, atribuídos pela Biosphere Responsible Tourism, que garante a qualidade do serviço prestado aos visitantes.

TAP inicia rotas de Tenerife e Nápoles e passa a ter 201 voos/semana para Espanha e cem para Itália

18-06-2019 (13h29)

A TAP já inaugurou as suas novas rotas de médio curso à partida de Lisboa, Tenerife, nas Canárias, Espanha, e Nápoles, em Itália, ambas com voos diários respectivamente desde 61 euros por ida e desde 65 euros por ida, segundo informação da companhia que realça que passa a ter 11 rotas para Espanha e seis para Itália.

Neeleman diz que a TAP vai ter o novo Airbus A321XLR

18-06-2019 (11h50)

David Neeleman, accionista de referência da TAP, anunciou que a companhia vai encomendar o novo Airbus A321XLR, poucas horas depois de o fabricante europeu ter apresentado o seu novo avião no salão aeronáutico de Paris.

Noticias mais lidas