Espanhóis e portugueses garantiram crescimento da hotelaria portuguesa em Março

15-05-2018 (16h29)

A comparação de um Março com Páscoa este ano com um Março sem Páscoa em 2017 proporcionou o primeiro aumento de dormidas a dois dígitos no alojamento turístico português este ano, mas com um ‘efeito’ concentrado nos mercados português e espanhol, aos quais deve 83,3% do crescimento.

Como tradicionalmente, Portugal é um destino muito procurado pelos turistas espanhóis na Semana Santa, o que se traduziu, de acordo com os dados divulgados hoje pelo INE, num aumento em 61,4% dos que se hospedaram no alojamento turístico português e uma subida ainda mais forte do total de pernoitas realizadas, em 75,1%.

Os números do INE indicam que Espanha foi, assim, o maior emissor estrangeiro em número de hóspedes na hotelaria portuguesa, com 160,6 mil, mas apenas o 3º em número de dormidas, com 371,6 mil, depois do Reino Unido, com 526,2 mil, e Alemanha, com 478,2 mil.

Adicionalmente, Espanha foi também o mercado emissor de onde o alojamento turístico português teve o maior aumento de dormidas, com mais 159,4 mil que em Março de 2017, inclusivamente à frente do aumento de pernoitas de residentes em Portugal, maior emissor para o alojamento turístico e que também apresentou um crescimento ‘explosivo’ pelo efeito Páscoa mais cedo.

Os residentes em Portugal, com 1,099 milhões de dormidas na hotelaria portuguesa em Março, asseguraram 26% do total de pernoitas, além de que, com um aumento em 154,3 mil face a Março de 2017, foi o que teve o segundo maior aumento, apenas superado pelo dos espanhóis.

Os dados do INE mostram que embora as dormidas de residentes em Portugal e em Espanha tenham sido mais 313,7 mil que em Março de 2017, o aumento das dormidas totais ficou em 376,8 mil (+10,3%, para 4,018 milhões).

A principal causa foram as quebras de alguns mercados, como o Reino Unido (-5,6% ou menos 31,2 mil, para 526,2 mil), Países Baixos, com menos 30 mil (-17,1% para 145,5 mil, Bélgica, com menos cerca de 1,5 mil (-3,1%, para 48,6 mil), Alemanha, com menos cerca de 940 (-0,2%, para 478,2 mil), e Polónia, com menos cerca de 800 (-1,8%, para 42,8 mil).

A sustentar o crescimento no mês de Março estiveram, além de Portugal e Espanha, também França, com mais 24,8 mil pernoitas (+11,8%, para 235,5 mil), Estados Unidos, com mais 16,4 mil (+17,7%, para 109,2 mil), Brasil, com mais 6,9 mil (+5,2%, para 138,8 mil), e conjunto de “outros mercados” não especificados, com mais 61,1 mil (+12,4%, para 554 mil).

 

Continua:

Efeito Páscoa mais cedo apenas ‘mitiga’ desaceleração da procura internacional da hotelaria portuguesa

 

Clique para mais notícias: Hotelaria portuguesa

Clique para mais notícias: Hotelaria

Clique para mais notícias: Portugal

Share
Tweet
+1
Share
Comentários
Escrever comentário

Outras Notícias

SATA Azores Airlines renova website para apresentar conteúdos consoante o utilizador

20-07-2018 (17h09)

A SATA Azores Airlines renovou o seu website para apresentar uma “abordagem mais intuitiva e com conteúdos especialmente seleccionados de acordo com o mercado escolhido pelo cliente”, anunciou a companhia aérea.

Canadá é a origem/destino de passageiros com o aumento mais forte em Lisboa

20-07-2018 (16h54)

O Aeroporto de Lisboa teve no primeiro semestre um aumento quase para o dobro do número de passageiros em voos de/para o Canadá, que foi assim a origem/destino com o crescimento mais forte do período, embora em valor absoluto os maiores aumentos tenham sido nas ligações com a Alemanha, com Espanha, com França e com o Brasil.

França é origem/destino de passageiros líder no Aeroporto de Lisboa no primeiro semestre

20-07-2018 (16h50)

França foi a primeira origem/destino de passageiros do Aeroporto de Lisboa no primeiro semestre, com 1,746 milhões, inclusivamente mais cerca de 34 mil que nos voos domésticos.

Ryanair diz que mais de 90% dos 50 mil passageiros com voos cancelados já têm alternativas

20-07-2018 (16h34)

A Ryanair revelou hoje que mais de 90% dos 50 mil passageiros com voos cancelados na próxima quarta e quinta-feira, dias de greve de tripulantes de cabina em Portugal, Espanha e Bélgica, já remarcaram os seus voos ou pediram reembolso.

Deco faz queixa da Ryanair por venda de voos após pré-aviso de greve

20-07-2018 (12h59)

A Associação Portuguesa para a Defesa do Consumidor (Deco) fez queixa à Autoridade Nacional da Aviação Civil (ANAC) contra a companhia aérea Ryanair por “prática comercial desleal” devido à venda de voos após o pré-aviso de greve.