Empresários de Alojamento Local do Norte, Centro e Alentejo estão satisfeitos com o negócio

13-03-2018 (15h37)

Os proprietários de Alojamento Local (AL) nas regiões Norte, Centro e Alentejo estão satisfeitos com o negócio e pretendem continuar a actividade, apesar de apontarem a sazonalidade e a carga fiscal como principais obstáculos, concluiu um estudo hoje apresentado.

O estudo “Qualificação e Valorização do Alojamento Local”, encomendado pela Associação da Hotelaria, Restauração e Similares de Portugal (AHRESP) ao ISCTE – Instituto Universitário de Lisboa, inquiriu 2.183 empresários e analisou um total de 2.189 alojamentos locais, 1.132 dos quais no Norte, 672 no Centro e os restantes 385 no Alentejo, que representam 16% do total de unidades presentes no Registo Nacional de Estabelecimentos de Alojamento Local (RNAL).

A investigação, apresentada hoje na sede da AHRESP, em Lisboa, concluiu que a esmagadora maioria dos empresários do AL estão satisfeitos com o negócio e querem continuar a desempenhar esta actividade, sendo essa a opção expressa por 99,5% dos proprietários do Norte, 95,9% do Alentejo e 86,3% dos empresários do Centro.

Os proprietários do AL na região Norte, “mais novos e com níveis de escolaridade altos em relação às outras regiões, estão muito optimistas com a sua actividade: quase dois terços declaram que é sua actividade principal, 53% definem-se como empresários do Turismo e 99,5% pretendem continuar a sua actividade”, refere o estudo.

Em relação ao número de anos necessários para recuperar o investimento efectuado, os empresários do Centro estimam cerca de dez anos, enquanto os proprietários das regiões Norte e Alentejo admitem cerca de seis anos.

A sazonalidade e a carga fiscal são ameaças transversais a todas as regiões, de acordo com o estudo, que concluiu que o problema da sazonalidade é, contudo, mais visível no Centro e menos no Alentejo, segundo a professora do ISCTE responsável pelo estudo e que hoje apresentou as conclusões, Hélia Pereira.

Além destes aspectos, foi ainda feita uma caracterização das unidades de alojamento local, do perfil dos empresários e ainda dos hóspedes.

No entender da secretária-geral da AHRESP, Ana Jacinto, “o AL tem um papel significativo na recuperação dos imóveis” e a partir daí vai nascer novo comércio e nova restauração, garantindo a regeneração das cidades, sustentou.

O objectivo passa por "dotar de informação quem tem poder de tomar decisões sobre um sector que é novo", acrescentou.

Também Hélia Pereira defendeu que o “Alojamento Local tem um papel importante na criação directa e indirecta de emprego e qualificação dos locais”.

A região de Lisboa já tinha sido estudada anteriormente, pelo que em breve as entidades responsáveis pela investigação querem estendê-la ao Algarve e às Regiões Autónomas.

(PressTUR com Agência Lusa)

 

Clique para mais notícias: Portugal

Clique para mais notícias: Hotelaria

Clique para mais notícias: AHRESP

Share
Tweet
+1
Share
Comentários
Escrever comentário

Outras Notícias

Receitas da hotelaria portuguesa crescem há 52 meses... mas abrandamento instala-se

15-10-2018 (17h00)

A hotelaria portuguesa concluiu em Agosto o 52º mês consecutivo de aumento dos proveitos, mas já sem os aumentos a dois dígitos que se sucediam desde o primeiro quadrimestre de 2014, tendo registado em Agosto o aumento mais fraco desde 2013, se excluídos os efeitos de calendário pelas alterações da data da Páscoa.

Dormidas de estrangeiros na hotelaria portuguesa caem há cinco meses consecutivos

15-10-2018 (16h53)

"Dormidas de não residentes mantêm tendência negativa", destacou o INE ao divulgar hoje os dados do turismo no alojamento turístico ‘tradicional', evidenciando assim que a quebra ocorrida em Agosto não foi uma excepção.

Lisboa espera arrecadar 36,5 milhões de euros com taxa turística em 2019

15-10-2018 (15h52)

A Câmara Municipal de Lisboa prevê arrecadar 36,5 milhões de euros com a Taxa Municipal Turística em 2019, mais do dobro do estimado em 2018, que foi de 14,4 milhões, anunciou hoje o vereador das Finanças, João Paulo Saraiva.

Cuba recebeu mais de 25 mil turistas portugueses até Setembro

15-10-2018 (15h32)

O número de turistas portugueses que visitaram Cuba nos primeiros nove meses deste ano já ultrapassou a marca de 25 mil, com um aumento de quase três mil face ao período homólogo do ano passado, de acordo com dados a que o PressTUR teve acesso.

Número de turistas britânicos na hotelaria portuguesa cai há 11 meses consecutivos

15-10-2018 (15h21)

O turismo internacional na hotelaria portuguesa caiu mesmo em Agosto, tradicionalmente mês de ‘pico’ da actividade turística, especialmente da parte dos cinco maiores emissores europeus e designadamente do maior de todos, o Reino Unido, que regista quedas de hóspedes e dormidas há 11 meses consecutivos.