Bruxelas saúda alteração do Airbnb no sentido da transparência

11-07-2019 (15h07)

“Agora os consumidores podem confiar que o preço que eles vêem na primeira página será o preço a pagar no final”, declarou a comissária europeia responsável pela área dos Consumidores, Věra Jourová, sobre o cumprimento pela plataforma de reserva de alojamentos Airbnb das exigências que lhe foram feitas.

A Comissão Europeia saudou as mudanças feitas pela plataforma, nomeadamente na apresentação dos preços aos utilizadores, um ano após ter exigido mais transparência à empresa de forma a respeitar a legislação comunitária.

Em comunicado, Bruxelas aponta que, “em resultado das negociações com a Airbnb, a plataforma melhorou e esclareceu totalmente a forma como apresenta as ofertas de alojamento aos consumidores, o que está agora em consonância com as normas estabelecidas na legislação da UE em matéria de consumo”.

“Isto vem no seguimento do apelo feito pela Comissão Europeia e pelas autoridades de consumidores da UE em Julho de 2018”, realça o executivo comunitário.

Em 16 de Julho do ano passado, a Comissão Europeia instou o Airbnb a harmonizar as suas condições de utilização com as normas de defesa do consumidor da UE e a ser mais transparente na apresentação dos preços, sob pena de sofrer medidas coercivas.

Na altura, o executivo comunitário argumentou que a forma como o Airbnb apresentava os preços, assim como a distinção entre anfitriões particulares e profissionais, não cumpria os requisitos impostos pela legislação da UE, nomeadamente pela directiva relativa às práticas comerciais desleais.

Por isso, juntamente com as autoridades de defesa do consumidor da UE, solicitou à empresa que efectuasse várias alterações até ao final de Agosto desse ano, e alertou que, caso estas mudanças não fossem consideradas satisfatórias, o Airbnb poderia ser alvo de medidas coercivas.

Bruxelas sustentava também que a plataforma online não podia induzir os consumidores a recorrer a um tribunal de um país diferente do seu Estado-membro de residência, nem decidir, de forma unilateral e injustificada, as condições que vigoram em caso de rescisão do contrato, não podendo ainda privar os consumidores do direito fundamental a processar um anfitrião em caso de danos pessoais ou de outro tipo de danos.

A Comissão Europeia frisou ainda que o Airbnb não podia alterar, unilateralmente, as condições de utilização sem antes ter informado claramente os consumidores e lhes ter dado a possibilidade de rescindir o contrato, e que a rescisão ou a suspensão do mesmo pela empresa devia ser explicada aos consumidores e regida por regras claras, não podendo privá-los do direito a uma indemnização adequada ou do direito de recurso.

À plataforma foi ainda exigido que passasse a ser disponibilizada uma ligação para o site da Resolução de Litígios em Linha.

Requisitos que, segundo divulgou hoje Bruxelas, foram cumpridos: “O Airbnb respondeu a todas as exigências feitas pela Comissão Europeia e pelas autoridades nacionais de protecção ao consumidor, lideradas pela Autoridade do Consumidor da Noruega, para adequar suas práticas e prazos às regras de consumo da UE”.

Citada pela nota, a comissária europeia responsável pela área dos Consumidores, Věra Jourová, afirma estar “muito satisfeita” com as mudanças, que a seu ver “melhoraram a forma como a plataforma funciona”.

Afirmando esperar que outras plataformas “sigam o exemplo do Airbnb”, a responsável saúdou o facto de os consumidores europeus terem agora total informação sobre as ofertas ali disponibilizadas.

“Agora os consumidores podem confiar que o preço que eles vêem na primeira página será o preço a pagar no final”, adianta.

Criada em 2008, a plataforma Airbnb está presente em 34 mil cidades de 192 países.

(PressTUR com Agência Lusa)

 

Clique para mais notícias: Airbnb

Clique para mais notícias: Hotelaria

Clique para mais notícias: Europa

Share
Tweet
+1
Share
Comentários
Escrever comentário

Outras Notícias

Pilotos de aviões B767-300 da euroAtlantic certificados para voar para Madeira

15-11-2019 (11h35)

A companhia de aviação euroAtlantic anunciou que os pilotos dos seus aviões B767-300ER já estão certificados para voar para a Madeira.

Secretária de Estado do Turismo vai trabalhar para um sistema fiscal mais justo

15-11-2019 (10h16)

A secretária de Estado do Turismo, Rita Marques, garantiu na abertura do 45º Congresso da APAVT que vai trabalhar para conseguir “um sistema fiscal mais justo que possa potenciar maior investimento”.

“Não creio que tenhamos chegado já a um entendimento” com a TAP, presidente da APAVT

14-11-2019 (20h25)

O presidente da APAVT, Pedro Costa Ferreira, considera que as agências de viagens e a TAP ainda não chegaram a um entendimento e precisam de procurar soluções “que respeitem” os dois lados em matérias como o novo modelo de distribuição da companhia aérea.

APAVT ‘desafia’ nova secretária de Estado do Turismo para “redesenhar” a estratégia para os próximos dez anos

14-11-2019 (19h42)

O presidente da APAVT, Pedro Costa Ferreira, ‘desafiou' hoje a nova secretária de Estado do Turismo, Rita Marques, presente na sessão de abertura do 45º Congresso da Associação, a decorrer no Funchal, a contribuir "para o redesenhar de toda uma estratégia para os próximos dez anos".

Recuperar a SATA “parece uma tarefa inacessível”, Pedro Costa Ferreira

14-11-2019 (19h35)

O presidente da APAVT, Pedro Costa Ferreira, afirmou que recuperar a confiança na operação da SATA, “de cujo percurso, dir-se-ia, pior seria impossível”, parece ser “uma tarefa inacessível a simples humanos”.

Noticias mais lidas