Britânicos ‘desmentem’ receios sobre impacto para o turismo português do impasse com o Brexit

25-06-2019 (15h14)

Mesmo com o impasse quanto à concretização da saída do Reino Unido da União Europeia, os turistas britânicos mantêm-se não só os que mais contribuem para as receitas turísticas portuguesas como foram os europeus que mais contribuíram para o aumento no primeiro quadrimestre.

Os turistas residentes no Reino Unido despenderam em Portugal nos primeiros quatro meses deste ano mais 56,48 milhões de euros que no período homólogo de 2018 (+9,6%), atingindo um total de 645,85milhões que os distanciou dos outros três principais emissores, França, Espanha e Alemanha.

A informação do Banco de Portugal recolhida pelo PressTUR indica que os gastos no país de turistas residentes em França e em Espanha aumentaram no quadrimestre, respectivamente em 1,6% ou 9,33 milhões de euros, para 605,89 milhões, e em 6,5% ou 35,60 milhões, para 581,12 milhões.

Já da parte dos turistas residentes na Alemanha houve uma retracção nos gastos em Portugal, que desceram 0,7% ou 3,29 milhões, para 459,69 milhões.

Esta evolução do mercado alemão é a principal razão para um menor aumento médio dos gastos em Portugal de turistas residentes na Europa (+4,9% ou mais 152,41 milhões face a um aumento médio em 7,4% ou 286,61 milhões), que provocou uma redução da quota do continente europeu nas receitas turísticas portuguesas em 1,9 pontos, para 78,4%.

Além da Alemanha, só a Suíça foi um mercado emissor europeu com descida de gastos dos seus residentes em Portugal no quadrimestre, em 2% ou dois milhões d euros, para 98,08 milhões.

Os maiores amentos de gastos de turistas residentes na Europa foram, depois dos residentes no Reino Unido, com mais 56,48 milhões de euros, e dos residentes em Espanha, com mais 35,60 milhões, os residentes em Itália, com uma subida de 20,72 milhões (+23,3%, para 109,72 milhões).

Igualmente em alta estiveram os gastos de turistas residentes na Holanda, com mais 7,27 milhões de euros (+4,8%, para 159,69 milhões), Bélgica, com mais 8,93 milhões (+8,4%, para 115,82 milhões), Irlanda, com mais 9,46 milhões (+12,6%, para 84,82 milhões), e Luxemburgo, com mais 3,46 milhões (+6,2%, para 59,05 milhões).

O mercado que mais penalizou a evolução das receitas turísticas portuguesas no primeiro quadrimestre foi Angola, com uma quebra dos gastos dos seus residentes em 14,68 milhões de euros (-15,4%, para 80,72 milhões).

 

Para ler mais clique:

Efeito Páscoa faz disparar receitas turísticas portuguesas em quase 150 milhões de euros

Gastos de portugueses em turismo no estrangeiro sobem 11,4% no primeiro quadrimestre

 

Clique para mais notícias: Balança portuguesa das Viagens e Turismo

Clique para mais notícias: Portugal

Share
Tweet
+1
Share
Comentários
Escrever comentário

Outras Notícias

Aeroporto de Lisboa subiu em Maio ao Top5 de crescimento dos grandes aeroportos europeus

17-07-2019 (17h07)

A associação dos aeroportos europeus, que diz representar mais de 500 aeroportos em 45 países do continente, apontou o Aeroporto de Lisboa como o 4º grande aeroporto europeu com crescimento mais forte do número de passageiros em Maio.

APAVT juntou sector do turismo para apresentar o próximo Congresso (em fotos)

17-07-2019 (16h22)

A Associação Portuguesa das Agências de Viagens e Turismo (APAVT) juntou o sector do turismo ontem na Pousada de Lisboa para apresentar o tema e o logotipo do seu 45º Congresso. Veja aqui as fotos.

Azores Airlines ainda tem 300 passageiros "por reacomodar" após avaria em dois aviões

17-07-2019 (13h20)

A Azores Airlines, do grupo SATA, anunciou hoje que “estão ainda por reacomodar cerca de 300 passageiros” devido “aos cancelamentos em cadeia” verificados desde Sábado, na sequência da avaria de duas aeronaves.

Academia Internacional de Turismo no Estoril vai ter investimento de 24 milhões de euros

17-07-2019 (12h10)

O projecto da Academia Internacional de Turismo no Estoril foi formalizado ontem através da assinatura de vários protocolos entre entidades do sector, e vai representar um investimento de 24 milhões de euros.

TAP e tripulantes debateram “medidas mitigadoras” para náuseas em A330neo

17-07-2019 (12h00)

A TAP e o Sindicato Nacional do Pessoal de Voo da Aviação Civil (SNPVAC) debateram “medidas mitigadoras” para tentar resolver os odores e as más disposições que têm ocorrido entre tripulações e passageiros nos aviões A330neo.

Noticias mais lidas