Alto Minho investe cerca de 350 mil euros em projecto de turismo náutico

22-05-2019 (11h25)

A Comunidade Intermunicipal (CIM) do Alto Minho vai investir cerca de 350 mil euros num projecto turístico para rentabilizar as potencialidades do território para desportos náuticos, envolvendo mais de 30 empresas da região.

A CIM do Alto Minho informou ontem que se trata do projecto de turismo náutico BlueWays, uma iniciativa envolve os dez concelhos do distrito de Viana do Castelo, em articulação com três dezenas de empresas turísticas que operam na região.

O projecto vai ser apresentado publicamente na quinta-feira, pelas 11h, no Largo dos Poetas, em Ponte da Barca.

Os Percursos Azuis no Alto Minho apostam em ofertas turísticas que vão desde os recursos naturais (mar, rio e natureza), de lazer, gastronomia, vinho, monumentos, tradições e costumes.

“De Arcos de Valdevez, Caminha, Melgaço, Monção, Paredes de Coura, Ponte da Barca, Ponte de Lima, Valença, Viana do Castelo até Vila Nova de Cerveira, o BlueWays pretende divulgar a rede de percursos azuis inseridos em espaços de conservação da natureza com uma grande importância para o turismo e economia”, explicou aquela estrutura.

Orientada para “diferentes públicos alvo, a nova estratégia de valorização ecoturística da região é cofinanciada pelos fundos do Norte 2020”.

O projecto começa este mês com várias actividades em meio aquático como o bodyboard, canoagem, canyoning, kitesurf, passeios de barco, ‘rafting’, ‘Stand Up Paddle’ (SUP), surf, windsurf, pedestrianismo, ‘hidrospeed’ e visitas a lagoas e cascatas.

As "actividades decorrerão até Outubro, associando as linhas de água como principal atracção, mas complementando com serviços de observação de fauna e flora, passeios de todo o terreno, entre muitas outras possibilidades".

O projecto, liderado pela CIM Alto Minho, "tem como objectivo desenvolver um conjunto de acções de valorização e promoção das atividades de turismo náutico sustentável, associando ou complementando, de forma sustentável, integrada e coerente, atividades de rio, com actividades de mar e natureza".

"É um projecto a várias mãos que envolve actores públicos, privados e associativos do Alto Minho. Mas, acima de tudo, pretende mostrar a riqueza do nosso território, fomentando o crescimento do turismo de natureza na nossa região", explicou Cecília Marques, da CIM, na nota enviada à imprensa.

"Através destas parcerias, o Blueways pretende mostrar, por exemplo, que uma família que venha descobrir Melgaço pode realizar, numa semana, uma caminhada, fazer ‘rafting’ no rio Minho, pernoitar na região e realizar a descida do rio Coura em caiaque e ainda um passeio a cavalo", especificou.

(PressTUR com Agência Lusa)

 

Clique para ver mais: Portugal

Clique para ver mais: Empresas&Negócios

Clique para ver mais: Cá Dentro

Share
Tweet
+1
Share
Comentários
Escrever comentário

Outras Notícias

TAP já voa para Washington – Dulles

17-06-2019 (17h16)

A TAP já liga as capitais de Portugal e dos Estados Unidos, com a inauguração no Domingo do seu voo TP231 para Washington – Dulles, que informou ter preços de ida desde 253 euros.

Hotéis 5-estrelas e alojamento local são as unidades com maiores aumentos de dormidas até Abril

17-06-2019 (16h59)

Os hotéis de 5-estrelas, com mais 117,9 mil dormidas nos primeiros quatro meses deste ano que no período homólogo de 2018 e os alojamentos locais, com mais 165,2 mil, são os estabelecimentos que maiores aumentos de dormidas tiveram no primeiro quadrimestre, em que o alojamento turístico português somou 16,67 milhões de dormidas, em alta de 3,9% ou 618,7 mil.

Portugal ultrapassa quatro milhões de turistas estrangeiros no primeiro quadrimestre

17-06-2019 (15h46)

Portugal teve 4.038,8 mil turistas residentes no estrangeiro em estabelecimentos de alojamento durante o primeiro quadrimestre, com um aumento em 5,6% ou cerca de 214 mil relativamente ao período homólogo de 2018.

Governo abre hoje candidaturas a empréstimo obrigacionista para empresas do turismo

17-06-2019 (13h48)

O Governo abre hoje as candidaturas a um empréstimo obrigacionista para empresas do turismo, perspectivando que esta “emissão agrupada” a sete anos atinja, pelo menos, 100 milhões de euros, com financiamento máximo de 15 milhões de euros por empresa.

INE realça ‘efeito Páscoa’ nos resultados da hotelaria portuguesa em Abril

17-06-2019 (11h48)

“Estes resultados foram influenciados pelo efeito do período de férias associado à Páscoa, que este ano ocorreu em meados de Abril, enquanto no ano anterior teve influência repartida entre Março e Abril”, assinala o INE ao revelar que em Abril o alojamento turístico português teve taxas de crescimento do nível que registou até 2018.

Noticias mais lidas