Alto Minho integra candidatura europeia para classificação dos Caminhos de Santiago

12-07-2018 (17h27)

A Comunidade Intermunicipal (CIM) do Alto Minho vai integrar uma candidatura europeia, a submeter aos próximos fundos comunitários, com vista à futura classificação dos Caminhos de Santiago como Património da Humanidade, informou hoje o presidente daquela estrutura.

"O objectivo final que pretendemos alcançar é a valorização e a classificação do Caminhos de Santiago. É um processo complexo. Há um trabalho longo para ser feito, mas que tem de ser feito desta forma. O Caminho francês já foi classificado, o Caminho português está agora a dar os primeiros passos. Vai sair legislação nacional que nos vai ajudar. O que estamos a fazer agora é a beber informação de outros países, de outros projetos similares para podermos incorporar no nosso processo esse conhecimento", explicou José Maria Costa.

O líder da CIM e presidente da Câmara de Viana do Castelo, que falava a jornalistas à margem de uma reunião do projeto de cooperação interregional europeu CultRinG - Cultural Routes as an Investment for Growth and Jobs, explicou que a candidatura conjunta está ainda numa fase inicial de preparação.

"A segunda reunião que está hoje a acontecer em Viana do Castelo vai ajudar a construir a candidatura em que a CIM do Alto Minho está envolvida com outros cinco países, Itália, Chipre, Lituânia, Suécia e a Bélgica, para apresentar aos próximos fundos comunitários, prevendo-se um investimento global de 1,2 milhões de euros", explicou o autarca no encontro com jornalistas realizado a bordo do navio-museu Gil Eannes.

Os Caminhos de Santiago, percurso religioso até Santiago de Compostela, na Galiza, estão classificados como Património da Humanidade pela UNESCO, em Espanha e França. Em Portugal detêm o estatuto de Itinerário Cultural Europeu.

"A classificação é um trabalho de anos. Nestas coisas temos de dar passos certos, não podemos queimar etapas. O pior que nos podia acontecer era vender gato por lebre. Temos de ter procedimentos claros, de maturação de processos para que a certificação decorra com naturalidade. Isso faz-se sabendo como os outros fizeram, quais foram as dificuldades que enfrentaram, como ultrapassaram essas dificuldades, para que possamos beber essa experiência", reforçou José Maria Costa.

O autarca explicou que o processo passa, numa primeira fase, pela "certificação nacional pelos Ministérios da Cultura e dos Negócios Estrangeiros para posterior apreciação pelo Conselho da Europa".

José Maria Costa explicou que o projeto europeu em que a CIM do Alto Minho está agora envolvida abrange o Caminho da Costa e o Caminho Central.

O Caminho Português da Costa - que integra os Caminhos de Santiago - liga Porto a Valença.

De acordo com o ‘site' do Caminho Português da Costa, trata-se de um percurso de 149,5 quilómetros, com uma duração média de sete dias e de dificuldade média-baixa.

O projecto agora apresentado "tem como objectivo promover e valorizar os investimentos nas rotas culturais europeias, em especial as certificadas pelo Conselho da Europa, como forma de contribuir para o crescimento e emprego das regiões parceiras".

"No âmbito deste novo projeto, existe um desafio comum em termos de avaliação e exploração dos benefícios das rotas culturais existentes e de outras que possam vir a ser implementadas, com ligações às Pequenas e Médias Empresas (PME), às comunidades de acolhimento, ao desenvolvimento sustentável do turismo cultural, de modo a que os objetivos de crescimento e emprego possam ser atingidos mais rapidamente", sustentou.

A reunião hoje realizada em Viana do Castelo "incidiu no intercâmbio de experiências e na elaboração de planos de acção para o desenvolvimento e ‘upgrading' de rotas culturais, o diagnóstico da realidade do território em termos de património e da rota cultural existente, através da avaliação do desenvolvimento económico, benefícios directos e indirectos para o crescimento e emprego, entre outros".

(PressTUR com Agência Lusa)


Clique para ver mais: Portugal

Share
Tweet
+1
Share
Comentários
Escrever comentário

Outras Notícias

Governo açoriano reforça capital social da SATA Air Açores em 27 milhões de euros

16-07-2018 (16h31)

O Governo dos Açores anunciou hoje um reforço em 27 milhões de euros do capital social da SATA Air Açores, companhia aérea que assegura as ligações aéreas entre as nove ilhas açorianas, "por via da subscrição de 5.400.000 novas ações".

Grupo SATA encerra contas de 2017 com prejuízos de 41 milhões de euros

16-07-2018 (13h32)

O Grupo SATA encerrou as contas de 2017 com prejuízos de 41 milhões de euros, valor que quase triplicou em relação a 2016 (14 milhões), revela o relatório e contas da companhia, a que a Lusa teve acesso.

Cripta Arqueológica do Castelo de Alcácer do Sal recebe +9,5% de visitantes

16-07-2018 (12h10)

O número de visitantes da Cripta Arqueológica do Castelo de Alcácer do Sal (Setúbal) voltou a aumentar neste 1.º semestre, atingindo mais 9,5% em comparação com igual período de 2017 e 26% face a 2016.

António Teixeira é o novo presidente do conselho de administração da SATA

16-07-2018 (11h28)

O Governo dos Açores anunciou a escolha do gestor de empresas António Luís Gusmão Teixeira para a presidência do conselho de administração da SATA, substituindo Paulo Menezes, que ocupa o cargo desde o final de 2015.

Vítor Costa reeleito presidente da Entidade Regional de Turismo da Região de Lisboa

16-07-2018 (10h55)

Vítor Costa foi reeleito para um segundo mandato como presidente da Entidade Regional de Turismo da Região de Lisboa (ERT-RL), para o período 2018-2023, numa lista da qual fazem parte Bernardino Soares e Bernardo Trindade.