Airbnb entrega 2,6 milhões de euros de taxas turísticas a Lisboa no 1º semestre

07-08-2018 (16h30)

A plataforma de aluguer de alojamento Airbnb recolheu nos primeiros seis meses do ano em Lisboa 2,6 milhões de euros de taxas turísticas em nome dos seus anfitriões.

Desde que foi celebrado o acordo com a Câmara de Lisboa, em Abril de 2016, a plataforma já entregou “8,1 milhões de euros”, avança a agência Lusa.

Aprovada em 2014, a Taxa Municipal Turística começou a ser aplicada em Janeiro de 2016 sobre as dormidas de turistas nas unidades hoteleiras e de alojamento local, sendo cobrado um euro por noite até um máximo de sete euros.

Desde Abril de 2016 que a Airbnb recolhe este dinheiro junto dos seus anfitriões e o entrega ao município.

Durante o ano de 2017, a Câmara de Lisboa encaixou 18,5 milhões de euros com esta taxa.

Já este ano foi celebrado também um acordo com a Câmara do Porto, que foi implementado em Abril.

Segundo informação transmitida à Lusa, a plataforma Airbnb entregou à Câmara Municipal do Porto “mais de 963 mil euros em taxa turística”, recolhida entre Abril e Junho.

Em 1 de Março, a taxa turística do Porto (de dois euros por dormida) começou a ser aplicada a hóspedes com mais de 13 anos, num máximo de sete noites seguidas, para “mitigar o impacto da pegada turística” na cidade, definiu a autarquia.

Em termos globais, a plataforma já cobrou “9,1 milhões de euros de taxa turística em nome de anfitriões em Portugal, valores relativos às duas maiores cidades do país”.

Apesar de considerar que estes acordos promoverem “a partilha responsável de alojamento e simplificar os processos para todos os intervenientes”, o representante da Airbnb em Portugal considerou que, “infelizmente, as novas regras propostas para o alojamento local irão aumentar a burocracia e os custos”.

Em comunicado, Arnaldo Muñoz salientou que “as novas regras propostas são um passo na direção errada, pois vão prejudicar as famílias locais e aumentar a burocracia para todos”.

O representante apontou que “a Airbnb vai mais além dos hotéis na distribuição de benefícios às famílias e às comunidades locais e torna também mais fácil para os anfitriões pagar sua justa parte dos impostos e contribuir financeiramente para a cidade”.

“Queremos tornar mais fácil - não mais difícil – o cumprimento da lei e continuaremos a trabalhar com os legisladores sobre regras baseadas no senso comum”, refere a mesma entidade.

(PressTUR com Agência Lusa)

 

Clique para ver mais: Airbnb

Clique para ver mais: Portugal

Share
Tweet
+1
Share
Comentários
Escrever comentário

Outras Notícias

LVMH vai comprar dona do Reid’s Palace, por 2,8 mil milhões de euros

14-12-2018 (16h16)

A Louis Vuitton Moet Hennessy (LVMH) chegou a um acordo para comprar a Belmond, proprietária de hotéis de luxo, incluindo o Reid's Palace na Madeira, por 3,2 mil milhões de dólares, cerca de 2,8 mil milhões de euros.

Operador dinamarquês vai ter charters para Portugal com a Jet Time, após falência da Primera Air

14-12-2018 (15h49)

O operador turístico dinamarquês Bravo Tours contratou a companhia aérea Jet Time para fazer as suas operações charter no próximo Verão, incluindo voos para Portugal, que estavam previstas ser realizadas pela Primera Air, que declarou falência em Outubro.

TAP prevê poupar 30 milhões de euros na factura de combustível em 2019

14-12-2018 (12h56)

A TAP prevê conseguir em 2019 uma poupança de 30 milhões de euros nos custos de combustível, graças à renovação da frota com aviões mais eficientes, de acordo com o Chief Financial Officer (CFO) da companhia, Raffael Quintas.

Manutenção e engenharia da TAP no Brasil prevê lucro de 3 milhões de euros em 2019 – Antonoaldo Neves

14-12-2018 (12h35)

O negócio da manutenção e engenharia da TAP no Brasil, a ex-VEM (Varig Engenharia e Manutenção), atingiu o equilíbrio operacional em 2018 e deverá alcançar em 2019 um lucro operacional de três milhões de euros, disse Antonoaldo Neves, CEO da TAP.

TAP vai pagar 120 milhões de euros da sua dívida a partir de Março – Antonoaldo Neves

14-12-2018 (12h33)

A TAP vai pagar 120 milhões de euros da sua dívida a partir de Março, pagando uma média de 10 milhões de euros por mês, disse Antonoaldo Neves, CEO da companhia de aviação portuguesa.

Ultimas Noticias