Air Malta vai manter voos para Lisboa no Inverno e quer duplicar frequências em 2019

15-05-2018 (14h26)

Paul Sies, CCO da Air Malta, Gavin Gulia, chairman do Turismo de Malta
Paul Sies, CCO da Air Malta, Gavin Gulia, chairman do Turismo de Malta

A Air Malta, que começou a voar entre Lisboa e Malta em finais de Março, com dois voos por semana, vai manter a rota durante o Inverno e quer duplicar a frequência no Verão de 2019, para quatro voos por semana.

Paul Sies, Chief Commercial Officer da Air Malta, disse ao PressTUR hoje em Lisboa que as reservas para a rota que liga Portugal a Malta estão "a correr muito bem" e que, com a continuação do voo no Inverno, as expectativas iniciais já foram ultrapassadas por grande margem (clique para ler: Air Malta prevê transportar dez mil passageiros no primeiro ano da rota de Lisboa).

A previsão de Paul Sies para o primeiro ano de operação da rota, de Março de 2018 a Março de 2019, é alcançar uma taxa de ocupação de 85%, sendo que os voos são operados em aviões A320 de 180 lugares.

O executivo da Air Malta, que é representada em Portugal pela ATR, especificou que 80% das reservas são feitas à partida de Lisboa e 20% à saída de Malta.

A companhia aérea, segundo Paul Sies, queria acrescentar mais uma frequência semanal ainda este Verão, "mas estamos a ter alguns problemas com slots no aeroporto de Lisboa, pelo que este Verão será difícil", disse.

O principal destino dos passageiros do voo da Air Malta à partida de Lisboa é Malta, mas há alguns clientes que continuam a viagem até à Sicília e até Sardenha.

A companhia aérea deixou de operar voos regulares para Lisboa em 2006, embora entretanto tenha realizado alguns voos charter entre Portugal e Malta.

Durante o período em que deixou de voar para Portugal, a Air Malta atravessou uma fase de redução das operações e esteve em negociações para ser comprada pela Etihad.

A compra da Air Malta pela Etihad acabou por não se realizar e, nessa altura, o Governo de Malta, que detém a companhia a 100%, "teve que olhara para um novo futuro", explicou Paul Sies.

A estratégia adoptada, que a transportadora está a implementar há cerca de um ano e meio, foi "deixar de ser a companhia aérea das ilhas de Malta para passar a ser a companhia aérea das ilhas do Mediterrâneo", com ligações às principais cidades europeias e do Norte de África.

O resultado da mudança é um aumento de 17 rotas na sua rede de voos de e para Malta, para um total de 32 rotas este Verão.

A companhia aérea cresceu 40% em capacidade, através de novas rotas e de reorganização da rede, passando de uma média de seis horas de voo por dia no Inverno e 11 horas de voo por dia no Verão, para voar ao longo de todo o ano 14 horas por dia, chegando a 15 ou 16 horas por dia em alguns momentos no Verão.

Para o reforço da oferta, a transportadora também tem previsto receber dois novos aviões este ano, o primeiro dos quais um A320neo que integra a frota em Julho.

A Air Malta transportou 1,7 milhões de passageiros no ano passado e perspectiva fechar este ano fiscal, até Março de 2019, com 2,6 milhões de passageiros, mais cerca de 53% que no ano anterior.

 

Clique para mais notícias: Aviação

Clique para mais notícias: Air Malta

Share
Tweet
+1
Share
Comentários
Escrever comentário

Outras Notícias

Empreendimentos turísticos de Monchique reabrem após grande incêndio

14-08-2018 (18h46)

O Macdonald Monchique Resort & Spa, em Caldas de Monchique, Algarve, vai reabrir na quinta-feira, depois de ter encerrado devido ao incêndio que durante uma semana atingiu a serra de Monchique.

Governo dos Açores considera “prematuro” falar da proposta de compra da Azores Airlines

14-08-2018 (18h21)

A secretária regional dos Transportes e Obras Públicas dos Açores afirmou ontem ser “absolutamente prematuro” pronunciar-se sobre o processo de alienação de 49% do capital da Azores Airlines, uma vez que a proposta apresentada se encontra em análise.

CVC agrega mais uma participada b2b com a compra do consolidador Esferatur

14-08-2018 (16h26)

A brasileira CVC, maior grupo latino americano de organização e comercialização de viagens, anunciou hoje um reforço do seu portefólio de produtos e serviços para o mercado profissional através da aquisição da Esferatur, classificada como um dos maiores consolidadores do mercado brasileiro, com vendas de bilhetes de avião na ordem de 1,8 mil milhões de reais (cerca de 407 milhões de euros).

Apesar da ocupação a cair, subida de preços da hotelaria portuguesa até acelera em Junho

13-08-2018 (17h46)

Os clientes da hotelaria portuguesa pagaram em média este mês de Junho +11% por dormida, ainda que os dados do INE indiquem uma queda da ocupação, tendência que o sector tende normalmente a travar com descidas de preços para estimular a procura.

Hotelaria portuguesa perde 225,7 mil dormidas de estrangeiros em Junho e acaba semestre com menos 132,3 mil

13-08-2018 (16h00)

A hotelaria portuguesa, que estava a viver um ciclo de crescimentos acentuados sustentado pela procura internacional, acabou o primeiro semestre deste ano com queda do número de pernoitas de turistas estrangeiros, em grande medida pela dimensão da quebra em Junho, primeiro mês da época alta, no qual teve menos 225,7 mil (-5,1%) pernoitas de residentes no estrangeiro.