Agência do Ambiente aprova aeroporto do Montijo mas impõe medidas de 48 milhões de euros

30-10-2019 (23h45)

Imagem: ANA Aeroportos
Imagem: ANA Aeroportos

A Agência Portuguesa do Ambiente (APA) emitiu esta quarta-feira uma declaração que viabiliza o projecto do aeroporto do Montijo e respectivas acessibilidades mas impõe "um pacote de medidas de minimização e compensação ambiental que ascende a cerca de 48 milhões de euros".

A Declaração de Impacte Ambiental (DIA) da APA é “favorável condicionada, viabilizando assim o projecto na vertente ambiental”, pode ler-se no documento publicado pela agência, que destaca três preocupações principais: avifauna (e seu habitat), ruído e mobilidade.

Sobre a avifauna, a agência declara que o Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas (ICNF) estimou uma afectação de cerca de 2.500 hectares utilizados para nidificação e alimentação das diferentes espécies de avifauna no estuário do Tejo.

Para compensar esta afectação, a APA impõe medidas como: "Áreas de compensação física com a extensão de 1.600 hectares (incluindo, por exemplo o Mouchão da Póvoa); Constituição de um mecanismo financeiro para a gestão da área afectada, a gerir pelo ICNF e pago pelo proponente, com um montante inicial de cerca de 7,2 milhões de euros e uma contribuição anual na casa dos 200.000 euros; Dinamização do CEMPA-Centro de Estudos para a Migração e Proteção de Aves, gerido pelo ICNF".

Por outro lado, “tendo em conta que o aeroporto do Montijo passará a ser um aeroporto comercial, aumentando assim significativamente o nível de exposição ao ruído das populações afectadas”, a APA impõe “a minimização dos impactes nos receptores sensíveis, a apurar mediante estudos técnicos a apresentar na fase de projecto de execução”.

A compensação, prossegue a agência, “assumirá a forma de apoio financeiro a medidas de isolamento acústico, num valor estimado entre 15-20 milhões de euros (em edifícios públicos e privados)”.

Acresce ainda que a nova estrutura aeroportuária “irá certamente afectar os padrões de mobilidade local e mesmo regional”, dado que “inclui também a construção de novas acessibilidades rodoviárias até à ponte Vasco da Gama”.

Desta forma, a APA impõe que seja “fomentada a mobilidade fluvial, pelo que o promotor deverá assegurar a aquisição de 2 barcos a entregar à empresa pública Transtejo, num valor até 10 milhões de euros”.

Estas medidas “permitem minimizar e compensar os impactes ambientais negativos do projecto, as quais serão detalhadas na fase de projeto de execução”, acrescenta a agência.

A ANA Aeroportos de Portugal tem até 10 dias úteis para se pronunciar sobre o teor da Declaração de Impacte Ambiental.

 

Clique para ver mais: Aviação

Clique para ver mais: Portugal

Share
Tweet
+1
Share
Comentários
Escrever comentário

Outras Notícias

Presidente da APAVT apela à cooperação para “trazer o turismo para a centralidade da economia”

16-11-2019 (20h11)

O presidente da APAVT, Pedro Costa Ferreira, encerrou o 45º Congresso da Associação, na Madeira, com uma mensagem de apelo à cooperação para "trazer o turismo para a centralidade da economia" e para "espalhar os benefícios do turismo por todo o país".

Congresso da APAVT regressa a Aveiro em 2020

16-11-2019 (16h57)

A cidade de Aveiro vai receber o 46º Congresso da APAVT em 2020, ano em que a Associação celebra 70 anos, anunciou o seu presidente, Pedro Costa Ferreira.

Alojamento local capta metade das ‘novas dormidas’ em Portugal este ano

16-11-2019 (09h48)

Os estabelecimentos de alojamento local acumulam no final de Setembro um aumento de 900,4 mil dormidas em relação aos primeiros nove meses de 2018, o que equivale a cerca de metade do aumento global de dormidas em todas as formas de alojamento turístico em Portugal, que é em 1,867 milhões.

Pilotos de aviões B767-300 da euroAtlantic certificados para voar para Madeira

15-11-2019 (11h35)

A companhia de aviação euroAtlantic anunciou que os pilotos dos seus aviões B767-300ER já estão certificados para voar para a Madeira.

Secretária de Estado do Turismo vai trabalhar para um sistema fiscal mais justo

15-11-2019 (10h16)

A secretária de Estado do Turismo, Rita Marques, garantiu na abertura do 45º Congresso da APAVT que vai trabalhar para conseguir “um sistema fiscal mais justo que possa potenciar maior investimento”.

Noticias mais lidas