Açores tem uma nova associação de defesa e promoção do alojamento local

03-04-2018 (12h27)

Foto: Visit Azores
Foto: Visit Azores

A Associação do Alojamento Local dos Açores (ALA), apresentada hoje, pretende defender os interesses do sector e apoiar "profissionalização e o aumento da competitividade".

Tendo como presidentes da direcção e da assembleia geral Rui Correia e Mário Martins, respetivamente, a ALA pretende “agregar e unificar a actividade” de alojamento local nos Açores, que tem vindo a crescer com o aumento da procura turística do arquipélago.

Os fundadores da ALA justificam a criação do organismo com a “necessidade de defender os interesses” do sector junto das entidades públicas e privadas, bem como pela necessidade de “incentivar um ambiente de concorrência leal e de transparência” entre todos os agentes do mercado, em particular do alojamento local.

Propondo-se “apoiar a profissionalização e o aumento da competitividade” dos seus associados através da troca de experiências, acções de informação e de formação, eventos, publicações, apoio jurídico e contabilístico, a ALA pretende também “servir de plataforma unificadora na negociação de vantagens e benefícios comerciais”.

Os responsáveis pela associação querem “reforçar a relevância e importância que actualmente o alojamento local já detém em todas as ilhas”, visando “criar e cimentar bases” para que a actividade possa “melhorar, crescer e demonstrar-se como alternativa inovadora e credível no mercado turístico da região” num contexto de “sustentabilidade económica, ambiental e social”.

A ALA propõe ser “uma voz proactiva na discussão e implementação de políticas referentes” ao sector, procurando “sensibilizar para a uniformização dos critérios de aplicação da legislação em vigor e na legalização das unidades que exercem a actividade à margem da legalidade”.

De acordo com dados do Serviço Regional de Estatística dos Açores (SREA), em Janeiro os estabelecimentos hoteleiros da região registaram 68 mil dormidas, o que revela um aumento de 12,4% em termos comparativos com o período homólogo.

O SREA adianta que os proveitos totais atingiram 2,9 milhões de euros e os proveitos de aposento dois milhões de euros, o que corresponde a variações homólogas, respetivamente, de 19,9% e 18,7%.

(PressTUR com Lusa)

 

Ver também:

Alojamento local nos Açores passa a ter registo estatístico mensal obrigatório online

 

Clique para mais notícias: Portugal

Clique para mais notícias: Alojamento local

Share
Tweet
+1
Share
Comentários
Escrever comentário

Outras Notícias

Empreendimentos turísticos de Monchique reabrem após grande incêndio

14-08-2018 (18h46)

O Macdonald Monchique Resort & Spa, em Caldas de Monchique, Algarve, vai reabrir na quinta-feira, depois de ter encerrado devido ao incêndio que durante uma semana atingiu a serra de Monchique.

Governo dos Açores considera “prematuro” falar da proposta de compra da Azores Airlines

14-08-2018 (18h21)

A secretária regional dos Transportes e Obras Públicas dos Açores afirmou ontem ser “absolutamente prematuro” pronunciar-se sobre o processo de alienação de 49% do capital da Azores Airlines, uma vez que a proposta apresentada se encontra em análise.

CVC agrega mais uma participada b2b com a compra do consolidador Esferatur

14-08-2018 (16h26)

A brasileira CVC, maior grupo latino americano de organização e comercialização de viagens, anunciou hoje um reforço do seu portefólio de produtos e serviços para o mercado profissional através da aquisição da Esferatur, classificada como um dos maiores consolidadores do mercado brasileiro, com vendas de bilhetes de avião na ordem de 1,8 mil milhões de reais (cerca de 407 milhões de euros).

Apesar da ocupação a cair, subida de preços da hotelaria portuguesa até acelera em Junho

13-08-2018 (17h46)

Os clientes da hotelaria portuguesa pagaram em média este mês de Junho +11% por dormida, ainda que os dados do INE indiquem uma queda da ocupação, tendência que o sector tende normalmente a travar com descidas de preços para estimular a procura.

Hotelaria portuguesa perde 225,7 mil dormidas de estrangeiros em Junho e acaba semestre com menos 132,3 mil

13-08-2018 (16h00)

A hotelaria portuguesa, que estava a viver um ciclo de crescimentos acentuados sustentado pela procura internacional, acabou o primeiro semestre deste ano com queda do número de pernoitas de turistas estrangeiros, em grande medida pela dimensão da quebra em Junho, primeiro mês da época alta, no qual teve menos 225,7 mil (-5,1%) pernoitas de residentes no estrangeiro.