Lisboa repete em Fevereiro 3º aumento mais forte de passageiros entre os grande aeroportos europeus

16-04-2018 (15h58)

Lisboa voltou a cotar-se em Fevereiro como o 3º grande aeroporto que cresce mais fortemente, segundo os Tops de crescimento do Airports Council International (ACI) Europe, que indica representar 500 aeroportos em 45 países europeus que anualmente somam 1,9 mil milhões de passageiros e 22,8 milhões de aterragens e descolagens.

O ACI Europe passou em Janeiro a incluir Lisboa no seu Grupo 1, que é constituído pelos 24 aeroportos europeus que anualmente têm mais de 25 milhões de passageiros e logo no primeiro mês Lisboa teve o 3º aumento mais forte, com +15,2%, atrás apenas de Istambul Ataturk (+30,3%) e Istambul Sabiha Gokcen, com +25,3%.

E este quadro repetiu-se em Fevereiro, com Lisboa a cotar-se com o 3º aumento mais forte dos 24 aeroportos do Grupo 1, com +14,9%, atrás apenas dos dois aeroportos de Istambul, Ataturk, com +17,7%, e Sabiha Gokcen, com +15,5%.

Depois de Lisboa, estiveram os aeroportos de Amesterdão Schiphol e Moscovo Sheremetyevo, ambos com +9,6%, e Madrid, com +9,3%.

A informação do ACI indica também que, com 1,85 milhões de passageiros em Fevereiro, Lisboa teve neste mês o 17º maior aeroporto europeu, dez lugares acima de Fevereiro de 2016 e cinco acima de Fevereiro de 2017.

Os dados do ACI indicam que no Top10 dos aeroportos europeus apenas Londres Heathrow parece ter ‘lugar cativo’ no topo, com 5,39 milhões de passageiros (+2,4% que em Fevereiro de 2017).

Este Fevereiro o nº 2 foi Amesterdão, com 4,75 milhões, que tinha sido 3º em 2017 e 4º em 2016, à frente de Istambul Ataturk, com 4,749 milhões, que recupera a posição de 2016, depois de em 2017 ter caído para 4º.

Em 4º ficou Paris Charles de Gaulle, com 4,745 milhões de passageiros, que tinha sido nº2 em 2016 e 2017, e em 5º, como nos anteriores, figura Frankfurt, com 4,36 milhões.

Madrid, com 3,917 milhões de passageiros, foi 6º este Fevereiro, como já tinha sido em 2017 e 2016, seguido por Barcelona, com 3,033 milhões, que em 2016 e 2017 tinha sido 9º, mas este ano ultrapassou Londres Gatwick (2,979 milhões de passageiros) e Munique (2,957 milhões).

O Top10 encerra com Moscovo Sheremetyevo, com 2,779 milhões de passageiros.

 

Clique para mais notícias: Aeroportos europeus

Clique para mais notícias: Aviação

Clique para mais notícias: Portugal

Clique para mais notícias: Europa

Share
Tweet
+1
Share
Comentários
Escrever comentário

Outras Notícias

Empreendimentos turísticos de Monchique reabrem após grande incêndio

14-08-2018 (18h46)

O Macdonald Monchique Resort & Spa, em Caldas de Monchique, Algarve, vai reabrir na quinta-feira, depois de ter encerrado devido ao incêndio que durante uma semana atingiu a serra de Monchique.

Governo dos Açores considera “prematuro” falar da proposta de compra da Azores Airlines

14-08-2018 (18h21)

A secretária regional dos Transportes e Obras Públicas dos Açores afirmou ontem ser “absolutamente prematuro” pronunciar-se sobre o processo de alienação de 49% do capital da Azores Airlines, uma vez que a proposta apresentada se encontra em análise.

CVC ultrapassou os cinco milhões de passageiros embarcados no primeiro semestre

14-08-2018 (17h56)

O grupo brasileiro CVC Corp, que engloba agências de viagens e operadores turísticos e vende viagens de lazer e corporativas, superou no primeiro semestre os cinco milhões de passageiros embarcados, com um aumento em 30,8% em relação ao período homólogo de 2017.

CVC agrega mais uma participada b2b com a compra do consolidador Esferatur

14-08-2018 (16h26)

A brasileira CVC, maior grupo latino americano de organização e comercialização de viagens, anunciou hoje um reforço do seu portefólio de produtos e serviços para o mercado profissional através da aquisição da Esferatur, classificada como um dos maiores consolidadores do mercado brasileiro, com vendas de bilhetes de avião na ordem de 1,8 mil milhões de reais (cerca de 407 milhões de euros).

Apesar da ocupação a cair, subida de preços da hotelaria portuguesa até acelera em Junho

13-08-2018 (17h46)

Os clientes da hotelaria portuguesa pagaram em média este mês de Junho +11% por dormida, ainda que os dados do INE indiquem uma queda da ocupação, tendência que o sector tende normalmente a travar com descidas de preços para estimular a procura.