França é origem/destino de passageiros líder no Aeroporto de Lisboa no primeiro semestre

20-07-2018 (16h50)

Aeroporto de Lisboa
Aeroporto de Lisboa

Voos de/para Reino Unido têm a única queda no período

França foi a primeira origem/destino de passageiros do Aeroporto de Lisboa no primeiro semestre, com 1,746 milhões, inclusivamente mais cerca de 34 mil que nos voos domésticos.

Dados de tráfego do Aeroporto Humberto Delgado a que o PressTUR teve acesso mostram um aumento médio de passageiros no semestre em 12,9% ou 1,56 milhões, atingindo um total de 13,7 milhões, 87,5% deles em voos internacionais, nos quais o aumento foi em 14,1% ou 1,47 milhões.

França, com um aumento em 9% ou 144,2 mil, passou a liderar, suplantando o movimento em voos domésticos, cujo crescimento foi de 5,4% ou 87,7 mil, para 1,71 milhões.

Espanha foi a 3ª principal origem/destino de passageiros no semestre, com 1,5 milhões e a segunda em aumento em valor absoluto, com mais 180 mil que há um ano (+13,6%), e em 4º lugar ficou a Alemanha, com 1,27 milhões de passageiros, mas que foi no entanto líder em aumento em valor absoluto, com mais 196 mil (+18,2%).

A fechar o Top5 das origens/destinos do Aeroporto de Lisboa no primeiro semestre esteve o Reino Unido, com 1,13 milhões, mas que foi no entanto o único no Top20 a ter queda do número de passageiros, em 3,8% ou cerca de 45 mil.

O Brasil surge a abrir a segunda metade do Top10, com 901,8 mil passageiros e um aumento em 18,1% ou 138,2 mil, seguido por Itália, com 804,7 mil (+7,6% ou mais 57 mil), Estados Unidos, com 472 mil (+14% ou mais 58 mil), Suíça, com 622,2 mil (+2,3% ou mais 14 mil), e Holanda, com 550,4 mil (+12,3% ou mais 60 mil).

A lista do Top20 do primeiro semestre inclui de seguida a Bélgica, com 412 mil passageiros (+16,4% ou mais 58 mil que no primeiro semestre de 2017), Angola, com 237,4 mil (+6,8% ou mais 15 mil), Cabo Verde, com 198 mil (14,9% ou mais 26 mil), Marrocos, com 185,8 mil (+35,2% ou mais 48 mil), Polónia, com 149,6 mil (+60,9% ou mais 57 mil), Luxemburgo, com 147,9 mil (+26,1% ou mais 30 mil), Irlanda, com 142,5 mil (+7,2% ou mais nove mil), Emirados Árabes Unidos, com 135,8 mil (+8,4% ou mais dez mil), Canadá, com 135,7 mil (+96,1% ou mais 67 mil), e Áustria, com 123 mil (+30,7% ou mais 29 mil).

 

Clique para mais notícias: Aeroporto de Lisboa

Clique para mais notícias: Aviação

Clique para mais notícias: Portugal

Share
Tweet
+1
Share
Comentários
Escrever comentário

Outras Notícias

Empreendimentos turísticos de Monchique reabrem após grande incêndio

14-08-2018 (18h46)

O Macdonald Monchique Resort & Spa, em Caldas de Monchique, Algarve, vai reabrir na quinta-feira, depois de ter encerrado devido ao incêndio que durante uma semana atingiu a serra de Monchique.

Governo dos Açores considera “prematuro” falar da proposta de compra da Azores Airlines

14-08-2018 (18h21)

A secretária regional dos Transportes e Obras Públicas dos Açores afirmou ontem ser “absolutamente prematuro” pronunciar-se sobre o processo de alienação de 49% do capital da Azores Airlines, uma vez que a proposta apresentada se encontra em análise.

CVC ultrapassou os cinco milhões de passageiros embarcados no primeiro semestre

14-08-2018 (17h56)

O grupo brasileiro CVC Corp, que engloba agências de viagens e operadores turísticos e vende viagens de lazer e corporativas, superou no primeiro semestre os cinco milhões de passageiros embarcados, com um aumento em 30,8% em relação ao período homólogo de 2017.

CVC agrega mais uma participada b2b com a compra do consolidador Esferatur

14-08-2018 (16h26)

A brasileira CVC, maior grupo latino americano de organização e comercialização de viagens, anunciou hoje um reforço do seu portefólio de produtos e serviços para o mercado profissional através da aquisição da Esferatur, classificada como um dos maiores consolidadores do mercado brasileiro, com vendas de bilhetes de avião na ordem de 1,8 mil milhões de reais (cerca de 407 milhões de euros).

Apesar da ocupação a cair, subida de preços da hotelaria portuguesa até acelera em Junho

13-08-2018 (17h46)

Os clientes da hotelaria portuguesa pagaram em média este mês de Junho +11% por dormida, ainda que os dados do INE indiquem uma queda da ocupação, tendência que o sector tende normalmente a travar com descidas de preços para estimular a procura.