Sindicatos europeus avançam com greve na Ryanair no final de Setembro

07-09-2018 (16h41)

Foto: Ryanair
Foto: Ryanair

Sete sindicatos europeus, incluindo o português Sindicato Nacional do Pessoal de Voo da Aviação Civil (SNPVAC), vão avançar com uma greve ao trabalho na Ryanair, decisão tomada esta tarde durante uma reunião em Roma.

Em declarações à Lusa, Luciana Passo, presidente do SNPVAC, adiantou que o dia (ou dias) em que irá ocorrer a paralisação será conhecido até à próxima quinta-feira, dia 13 de Setembro, sendo que a greve irá ocorrer na última semana do mês.

A paralisação abrange não só os tripulantes de cabina, que têm sido dos mais críticos em relação às regras de trabalho na companhia aérea irlandesa, mas também pilotos e serviços de handling (assistência em terra) da empresa.

"Não avançamos já com a data, porque há outros sindicatos que se juntaram agora e têm que analisar, em relação às leis de cada país e aos estatutos de cada sindicato, o modo de aderirem, e de ser uma data que sirva a todos e que possa ser implementada em conjunto", esclareceu Luciana Passo.

A greve está a ser convocada por dois sindicatos italianos, o SNPVAC, uma estrutura sindical belga, duas espanholas e uma holandesa.

Luciana Passo adiantou ainda que os sindicatos irão pedir uma reunião urgente à Comissão Europeia, tanto à comissária dos Transportes como ao presidente Jean-Claude Juncker.

Em cima da mesa está a exigência que os contratos de trabalho da Ryanair sejam feitos segundo a lei laboral nacional de cada país, e não a irlandesa, que tem sido a usada pelo grupo. Os sindicatos contestam ainda o recurso a trabalhadores contratados por empresas de trabalho temporário, que, segundo indicam, acabam por ter condições mais precárias de trabalho.

O SNPVAC esteve esta semana na Assembleia da República, para uma audição na Comissão de Economia, Inovação e Obras Públicas, onde deu conta dos problemas de que se queixam os trabalhadores da Ryanair: "É inaceitável que em 2018 não se tenha direito a parentalidade, que haja pessoas em Portugal que não têm direito ao salário mínimo, que sejam punidas por estar doentes e que qualquer falta seja sancionada e tenham que se deslocar a Dublin", adiantou Luciana Passo nessa altura.

Além disso, segundo a presidente da estrutura sindical, os responsáveis da Ryanair "nem sequer reconhecem o sindicato como interlocutor válido. Por isso nos juntámos aos sindicatos europeus, para que seja reconhecida a lei de cada país. Há outras low cost em Portugal que fazem tudo o que a lei portuguesa exige, e em bom. Falam com o sindicato. Cumprem e vão um bocadinho mais além. O que quer dizer que é possível. Aqui passa-se do nada, para coisa nenhuma. Muito gostaríamos de fazer um contrato coletivo com eles, mas não conseguimos chegar lá", criticou.

A Ryanair tem estado envolvida num conflito com sindicatos a nível europeu, também com impacto em Portugal, nomeadamente depois de uma greve em Abril, em que a empresa foi acusada de intimidar os trabalhadores.

(PressTUR com Agência Lusa)

 

Clique para ver mais: Ryanair

Clique para ver mais: Aviação

Share
Tweet
+1
Share
Comentários
Escrever comentário

Outras Notícias

Ryanair e Wizz Air multadas em Itália por “prática comercial incorrecta” na cobrança da bagagem de mão

22-02-2019 (13h18)

A autoridade da concorrência italiana aplicou uma multa de três milhões de euros à Ryanair e de um milhão de euros à Wizz Air por “prática comercial incorrecta, na medida em que engana o consumidor no preço efectivo do bilhete, ao não incluir na tarifa base um elemento essencial do transporte aéreo que é uma bagagem de mão de maior volume”.

Mesmo com Brexit ‘à porta’, britânicos foram os turistas que mais despenderam em Portugal em 2018

21-02-2019 (17h54)

Os residentes no Reino Unido, mesmo com o adensar da perspectiva de um ‘divorcio litigioso’ com a União Europeia e apesar de uma quebra no alojamento turístico português, não só se mantiveram em 2018 os líderes em gastos turísticos em Portugal em 2018, como foram os que fizeram o segundo maior aumento.

Meliá abre hotel da marca Innside junto ao Aeroporto de Paris CDG

21-02-2019 (17h37)

A Meliá Hotels International anunciou hoje a abertura do seu primeiro hotel da marca Innside em França, uma unidade de 266 quartos localizada junto ao Aeroporto Internacional de Paris – Charles de Gaulle.

Turismo português em Malta mais do que duplica entre Janeiro e Novembro de 2018

21-02-2019 (10h12)

O número de turistas portugueses que visitaram Malta entre Janeiro e Novembro do ano passado atingiu os 20.701, o que corresponde a um aumento de 118,4% face ao período homólogo de 2017.

Grupo Air France KLM factura mais mas lucra menos em 2018

20-02-2019 (11h36)

O grupo de aviação Air France KLM, que reclama ser o maior da Europa em voos de longo curso, revelou hoje que em 2018 teve um aumento da receitas de transporte de passageiros em 1,6% (+4,1% sem flutuações cambiais), atingindo 22,9 mil milhões de euros, mas o seu resultado operacional caiu 382 milhões, para 994 milhões.