Ryanair lucrou menos 53,9 milhões de euros este Verão

22-10-2018 (12h52)

Foto: Ryanair
Foto: Ryanair

Companhia factura +9,7% com aumento em 29,1% dos ancillaries

A low cost Ryanair, uma das companhias de aviação mais lucrativas do mundo, teve este Verão uma quebra do lucro de 53,9 milhões de euros, embora os impostos sobre lucros tivessem baixado 30 milhões de euros, porque o resultado operacional caiu 82,2 milhões, incluindo encargos de início da nova subsidiária austríaca Laudamotion.

O balanço publicado hoje salienta que a Ryanair registou no trimestre uma queda do preço médio dos bilhetes em 2%, para 53 euros, totalmente compensada por um aumento do número de passageiros em 5%, para 39 milhões, pelo que as suas receitas de passagens, incluindo a Laudamotion, acabaram por ter um aumento em 4,8% ou 95,4 milhões de euros, para 2.099,2 milhões.

O aumento das receitas totais, porém, foi mais forte, situando-se em 9,7% ou 244,1 milhões, para 2.515 milhões, pelo aumento em 29,1% ou 148,7 milhões das chamadas receitas complementares, nomeadamente reserva de lugar a bordo e compra de prioridade de embarque, além da contabilização de 72 milhões de “certas fees”, as quais atingiram assim 659,9 milhões.

Estes aumentos de proveitos, porém, não chegaram para cobrir o aumento de encargos no período, o qual, incluindo 95,1 milhões de custos de lançamento da Laudamotion, aumentaram 21,8% ou 326,3 milhões de euros, para 1.825,1 milhões.

A maior contribuição para esse aumento de custos foi dos combustíveis (+21,2% ou mais 111,7 milhões, para 638,9 milhões), por subida de preço e aumento do número de horas de voo, seguindo-se pessoal (+31,6% ou mais 57,7 milhões, para 182,4 milhões), nomeadamente pelo aumento dos pilotos em 20%.

A atenuar estes aumentos estiveram principalmente os custos com navegação aérea (+2,8% ou mais 5,6 milhões, para 205,6 milhões) e marketing e distribuição (+3,2% ou mais 3,9 milhões, para 127,1 milhões).

Assim, o resultado operacional da Ryanair ficou este Verão em 934 milhões de euros, -8,1% ou menos 82,2 milhões que no período homólogo do ano passado, com quebra em 3%, para 980,8 milhões, do lucro sem Laudamotion, a qual provocou uma perda de 46,8 milhões.

 

Clique para mais notícias: Ryanair

Clique para mais notícias: Aviação

Share
Tweet
+1
Share
Comentários
Escrever comentário

Outras Notícias

Ryanair alega queda mais forte das tarifas para emitir profit warning

18-01-2019 (16h12)

A low cost Ryanair baixou em cerca de cem milhões de euros o intervalo da previsão de lucros do exercício 2017/2018, que termina em Março, apontando como causa uma queda dos preços dos voos mais forte do que antecipara.

Norwegian vai encerrar bases em Espanha, Itália e EUA

18-01-2019 (11h30)

A companhia de aviação Norwegian Air Shuttle anunciou que vai encerrar a partir de Abril várias bases em Espanha, Itália e Estados Unidos, para melhorar o seu desempenho financeiro.

Aeroportos portugueses já ficaram em Novembro abaixo do crescimento médio na União Europeia

17-01-2019 (17h49)

O estancamento do Aeroporto de Lisboa arrastou o país dos tops de crescimento da aviação comercial na União Europeia para níveis inferiores à média, de acordo com o ACI Europa, que até mostrou Faro no Top5 de crescimento em Novembro dos aeroportos com cinco milhões a dez milhões de passageiros por ano.

“A festa poderá estar a acabar em breve”, avisa director-geral do ACI Europa

17-01-2019 (17h47)

O director-geral do ACI Europe, Olivier Jankovec, citado em comunicado da organização, comentou que os dados de Novembro mostram que o transporte aéreo de passageiros “continuam a desafiar um ambiente geopolítico e económico crescentemente desafiador”, mas que “a festa poderá estar a acabar em breve”.

Aigle Azur lança nova rota Marselha – Moscovo a partir de Abril

15-01-2019 (15h43)

A Aigle Azur, companhia de aviação francesa maioritariamente detida pelo grupo chinês HNA e por David Neeleman, também accionistas de referência da TAP, vai voar entre Marselha e Moscovo Domodedovo a partir de 31 de Março.