Ryanair lucrou menos 53,9 milhões de euros este Verão

22-10-2018 (12h52)

Foto: Ryanair
Foto: Ryanair

Companhia factura +9,7% com aumento em 29,1% dos ancillaries

A low cost Ryanair, uma das companhias de aviação mais lucrativas do mundo, teve este Verão uma quebra do lucro de 53,9 milhões de euros, embora os impostos sobre lucros tivessem baixado 30 milhões de euros, porque o resultado operacional caiu 82,2 milhões, incluindo encargos de início da nova subsidiária austríaca Laudamotion.

O balanço publicado hoje salienta que a Ryanair registou no trimestre uma queda do preço médio dos bilhetes em 2%, para 53 euros, totalmente compensada por um aumento do número de passageiros em 5%, para 39 milhões, pelo que as suas receitas de passagens, incluindo a Laudamotion, acabaram por ter um aumento em 4,8% ou 95,4 milhões de euros, para 2.099,2 milhões.

O aumento das receitas totais, porém, foi mais forte, situando-se em 9,7% ou 244,1 milhões, para 2.515 milhões, pelo aumento em 29,1% ou 148,7 milhões das chamadas receitas complementares, nomeadamente reserva de lugar a bordo e compra de prioridade de embarque, além da contabilização de 72 milhões de “certas fees”, as quais atingiram assim 659,9 milhões.

Estes aumentos de proveitos, porém, não chegaram para cobrir o aumento de encargos no período, o qual, incluindo 95,1 milhões de custos de lançamento da Laudamotion, aumentaram 21,8% ou 326,3 milhões de euros, para 1.825,1 milhões.

A maior contribuição para esse aumento de custos foi dos combustíveis (+21,2% ou mais 111,7 milhões, para 638,9 milhões), por subida de preço e aumento do número de horas de voo, seguindo-se pessoal (+31,6% ou mais 57,7 milhões, para 182,4 milhões), nomeadamente pelo aumento dos pilotos em 20%.

A atenuar estes aumentos estiveram principalmente os custos com navegação aérea (+2,8% ou mais 5,6 milhões, para 205,6 milhões) e marketing e distribuição (+3,2% ou mais 3,9 milhões, para 127,1 milhões).

Assim, o resultado operacional da Ryanair ficou este Verão em 934 milhões de euros, -8,1% ou menos 82,2 milhões que no período homólogo do ano passado, com quebra em 3%, para 980,8 milhões, do lucro sem Laudamotion, a qual provocou uma perda de 46,8 milhões.

 

Clique para mais notícias: Ryanair

Clique para mais notícias: Aviação

Share
Tweet
+1
Share
Comentários
Escrever comentário

Outras Notícias

Portugal é um dos cinco destinos que mais subiram em vendas de voos de França – Travelport

20-11-2018 (17h25)

Portugal está entre os cinco destinos em que a venda de ligações aéreas com origem em França mais cresceu entre Setembro do ano passado e Agosto de 2018, segundo dados da plataforma de comércio de viagens Travelport.

Lisboa teve até Setembro o 7º maior aumento de passageiros dos aeroportos europeus

16-11-2018 (17h26)

O Aeroporto de Lisboa, sobre o qual praticamente só se comenta que está esgotado, ao ponto de alguns dirigentes do turismo argumentarem ser essa a causa da queda de dormidas na hotelaria da capital, alcançou, no entanto, o 7º maior aumento de passageiros entre os 237 maiores aeroportos da Europa, nos primeiros nove meses deste ano, de acordo com os dados publicados pelo Airports Council International (ACI).

Lisboa voltou a alcançar o Top5 de crescimento dos maiores aeroportos europeus em Setembro, ACI

16-11-2018 (14h36)

O Aeroporto Humberto Delgado, alegadamente ‘esgotado', teve, ainda assim, o 4º mais forte crescimento de passageiros dos grandes aeroportos europeus no mês de Setembro, indica o ranking publicado pelo Airports Council Internacional (ACI).

Finnair vai ter dois voos/semana Helsínquia - Porto no próximo Verão

07-11-2018 (12h34)

A companhia de aviação finlandesa Finnair, representada em Portugal pela APG, já indicou aos sistemas globais de reservas a sua programação de voos para a rota Helsínquia - Porto no próximo Verão, que serão retomados entre 21 de Junho e 12 de Agosto.

Grupo Air France KLM formaliza parceria estratégica com gigante chinesa Ctrip

06-11-2018 (17h02)

O Air France KLM, maior grupo de aviação europeu em capacidade medida em lugares x quilómetros voados e a chinesa Ctrip, uma das maiores plataformas digitais o mundo, anunciaram a formalização de um acordo estratégico que dizem elevar o nível de cooperação.