Procura turística da Grécia permanece “forte” pós vitória do Não no referendo de Domingo

07-07-2015 (17h29)

A procura turística da Grécia permanece “forte” nos maiores emissores europeus, senão mesmo em alta, com a perspectiva de que os preços caiam, de acordo com a imprensa internacional, que cita uma notícia da agência Reuters.



A notícia indica que essas indicações vêm de associações de agências de viagens do Reino Unido, Alemanha e França, que dizem não haver cancelamentos até ao momento e que as reservas são fortes.
No Reino Unido, acrescenta, as reservas de voos para a Grécia em Julho e Agosto aumentaram 14% depois do encerramento dos bancos gregos a 29 de Junho na sequência do default da Grécia em relação ao FMI, refere a notícia, citando o Skyscanner, que indicou ainda ter registado em Junho um aumento em 12% das pesquisas de voos para a Grécia.
Em Espanha acrescenta, as pesquisas de voos para a Grécia aumentaram 20% nos dias 28 de Junho a 5 de Julho.
Na Alemanha, apesar de ser o país mais visado nas críticas gregas às políticas da Troika, a Grécia permanece um destino popular, e a DRV, associação das agências de viagens alemãs, deu conta que as reservas para a Grécia aumentaram fortemente desde Maio.
“Mostra que os alemães não se estão a afastar [da Grécia] pelas manchetes sobre a crise financeira”, indicou a DRV, que este ano vai ter o seu congresso anual em Lisboa.
Um porta-voz do grupo Thomas Cook, citado na notícia, indicou por sua vez não ter havido alteração do nível de reservas da Grécia na sequência dos últimos acontecimentos no país.
O metabuscador Kayak indicou ter registado uma queda dos preços para a Grécia em cerca de 8%, mas o operador francês Heliades garantiu não ter sentido necessidade de avançar com grandes descontos, até porque, segundo adiantou, tem os seus voos e hotéis cheios.
A notícia refere ainda que a vida dos turistas na Grécia continua como habitualmente, salientando que embora a Praça Syntagma tenha voltado a ser palco dos protestos contra a política da troika, em destinos como Kos, Corfu e Rodes prevalece a tranquilidade.
Uma porta-voz da ABTA, associação das agências de viagens britânicas, comentou, aliás, que as estadas turísticas na Grécia são muito “business as usual”, especificando que a associação não teve reclamações de falta escassez de alimentos, remédios ou outros nos resorts.
Ainda assim, mantém-se o conselho de que os turistas que viajem para a Grécia devem levar dinheiro em cash suficiente para a estada e, preferencialmente, em notas de baixo valor, para não terem dificuldades com trocos.
A DRV, por exemplo, deu a indicação que mesmo que a Grécia regresse ao dracma, os euros deverão continuar a ser aceites.

Share
Tweet
+1
Share
Comentários
Escrever comentário

Outras Notícias

Laudamotion começa a voar Viena - Faro a 28 de Outubro

25-05-2018 (11h06)

A Laudamotion, criada a partir da venda falência do grupo Air Berlin e onde a Ryanair aguarda autorização para ser accionista maioritária, tem programado abrir a sua base em Viena em finais de Outubro, com 20 rotas, uma das quais Faro, com dois voos por semana.

Vendas de viagens no mercado alemão ‘dispararam’ 21% em Abril

22-05-2018 (17h56)

Os alemães apostaram forte em Abril na compra de viagens, levando um aumento em 21% das receitas de vendas de agências e operadores, que ficaram 15% acima das vendas em 2017 para os meses de Maio a Outubro.

Greve de controladores franceses cancela mais de 500 voos - Airlines 4 Europe

22-05-2018 (16h48)

A associação de companhias de aviação europeias Airlines 4 Europe, de que a TAP é uma das associadas, afirma que a greve dos controladores aéreos em França iniciada ontem à tarde já obrigou a cancelar mais de 500 voos e afectou cerca de 70 mil passageiros e carga.

Grupo Lufthansa lança tarifa sem bagagem de porão para rotas da América do Norte

22-05-2018 (16h32)

As companhias aéreas Lufthansa, Swiss, Brussels Airlines e Austrian Airlines lançaram uma nova tarifa “light” para as suas rotas da América do Norte, para passageiros que queiram viajar só com bagagem de mão.

Gastos dos portugueses em turismo no estrangeiro mostram ‘deserção’ do Reino Unido e Brasil

22-05-2018 (15h59)

Os portugueses despenderam mais 70,5 milhões de euros em viagens e turismo no estrangeiro no primeiro trimestre deste ano, ultrapassando os mil milhões, mesmo com quebras acentuadas das despesas no Reino Unido e no Brasil, que tiveram quebras de 30,67 milhões (-25,7%) e de 10,52 milhões (-29,7%), respectivamente, concluiu o PressTUR a partir de dados do Banco de Portugal.