Portugal teve o 4º crescimento mais forte da UE em dormidas no alojamento turístico

24-01-2018 (17h21)

Foto: Seaventy
Foto: Seaventy

Portugal teve o 4º aumento mais forte das dormidas na hotelaria entre os países da União Europeia, segundo informação divulgada hoje pelo Eurostat, na qual indica que o aumento no alojamento turístico português foi em 8%, alcançando um total de 71,3 milhões de noites, 68% das quais realizadas por não residentes.

A informação do Eurostat indica que o total de 71,3 milhões de noites no alojamento turístico português compreendeu 48,3 milhões de não residentes, com um aumento em 9,9%, e 23 milhões de residentes por parte de residentes no país, com um aumento em 4,3%.

Espanha foi o país líder em total de dormidas, com 471,4 milhões, incluindo 307,3 milhões por parte de não residentes e 164,1 milhões por residentes no país.

O aumento médio foi em 3,6%, com +4,3% do mercado de não residentes e +2,3% por residentes.

A seguir a Espanha cotaram-se França, com 431,3 milhões de noites, Itália, com 424,7 milhões, e Alemanha, com 399,9 milhões.

Em crescimento relativo em relação a 2016, o Eurostat indica que os mais fortes ocorreram na Leyónia, em 12%, Eslovénia, cm 11,3%, Croácia, em 10,6%, Portugal, em 8%, República Checa, em 7,7%, e em Chipre, em 7,3%.

A única queda do ano ocorreu no Luxemburgo, em 1% ou 28 mil noites, para 2,9 milhões.

O Eurostat estima na informação que o alojamento turístico dos países da União Europeia, já sem contar com o Reino Unido, teve em 2017 um aumento do número de dormidas em 5,1%, para 3.254,3 milhões, com +6,9% por não residentes, somando 1.602,3 milhões, e +3,5% por residentes, para 1.652 milhões.

O líder em dormidas de não residentes foi Espanha com 307,3 milhões (+4,3% que em 2016), seguindo-se Itália, com 211,3 milhões (+5,4%), França, com 133,1 milhões (+7,4%), Grécia, com 85,7 milhões (+7,1%), Áustria, com 85,7 milhões (+2,8%), Alemanha, com 82,7 milhões (+3,4%), Croácia, com 80,2 milhões (+11,2%), e Portugal, com 48,3 milhões (+9,9%).

A Alemanha foi o país líder em dormidas de residentes, c0m 317,2 milhões (+2,5%), seguindo-se França, com 298,3 milhões (+6,2%), Itália, com 213,5 milhões (+4,9%), e Espanha, com 164,1 milhões (+2,3%).

Os dados do Eurostat incluem dormidas em hotéis e similares, apartamentos e parques de campismo e caravanismo.

 

Clique para mais notícias: Portugal

Clique para mais notícias: Europa

Clique para mais notícias: Hotelaria

Share
Tweet
+1
Share
Comentários
Escrever comentário

Outras Notícias

Voos entre Espanha e Reino Unido têm a terceira maior oferta de lugares de avião

07-12-2018 (18h01)

Os voos entre Espanha e o Reino Unido somaram 605.260 lugares na semana começada a 3 de Dezembro, o terceiro maior total em ligações entre dois países, depois dos voos entre os Estados Unidos e o Canadá, com 711.980 lugares, e entre os Estados Unidos e o México, com 697.442.

TAP e Air France não perspectivam problemas com voos para Paris este fim de semana

07-12-2018 (17h59)

A TAP e a Air France não perspectivam problemas com os seus voos para Paris, apesar dos avisos hoje a desaconselhar “deslocações não necessárias” à capital francesa este Sábado, um dos quais do Governo português.

Governo recomenda “evitar deslocações não necessárias a Paris” este Sábado

07-12-2018 (13h28)

O Governo alertou hoje para a “forte possibilidade de confrontos” amanhã com as manifestações em Paris, indicando que “face a isto, recomenda-se no dia 8 de Dezembro evitar deslocações não necessárias a Paris”.

SAS soma mais 2% de passageiros em Novembro

07-12-2018 (12h09)

A companhia de aviação SAS, que no próximo Verão tem programado voar para Faro a partir de cinco cidades da Dinamarca, Suécia e Noruega, transportou 2,362 milhões de passageiros em Novembro, mais 2% que no mês homólogo do ano passado.

Norwegian transportou mais 14% de passageiros em Novembro

07-12-2018 (11h48)

A companhia de aviação Norwegian Air Shuttle, conhecida por liderar a introdução de voos de longo curso low cost, transportou 2,877 milhões de passageiros em Novembro, mais 14% que no período homólogo do ano passado.