Pilotos da Ryanair na Irlanda aprovam greve para 12 de Julho

04-07-2018 (09h59)

Um grupo de pilotos da Ryanair na Irlanda aprovou uma greve de 24 horas para 12 de Julho, devido à falta de progressos nas negociações com a companhia aérea sobre as suas condições de trabalho.

A decisão foi adotada por "99%" dos pilotos contratados diretamente pela Ryanair, que são filiados na Associação dos Pilotos da Irish Airlines (IALPA), cerca de cem, segundo fontes deste grupo citadas pela Efe.

Após meses de negociações, a IALPA diz que a empresa não está a "levar a sério" as exigências dos pilotos e que não houve progressos suficientes em relação à melhoria salarial e condições de trabalho.

Em situação semelhante estão os tripulantes de cabine das bases europeias e norte-africanas da Ryanair, cujos representantes estiveram reunidos ontem e hoje em Dublin para apresentarem uma carta com as suas exigências à empresa e avaliar a convocação de greves no Verão, caso a resposta seja negativa.

Os "Tripulantes de Cabine Unidos" da Ryanair (CCU, na sigla em inglês), que representam mais de cinco mil trabalhadores, alertaram que poderiam parar no final de Julho ou início de Agosto, afectando milhares de passageiros nos dias mais críticos da época estival.

A companhia aérea abriu uma outra frente de batalha no início deste ano com as greves dos controladores de tráfego aéreo franceses, que levaram ao cancelamento de voos, afectando mais de 750 mil passageiros até hoje.

A Ryanair avançou ontem que as paragens dos controladores de tráfego aéreo e a falta de pessoal nos seus quadros franceses, ingleses e alemães causaram a suspensão de mais de 1.100 voos durante o mês de Junho, em comparação com os 41 registados no mesmo mês do ano anterior.

A empresa voltou a pedir à Comissão Europeia e aos governos da União Europeia que "tomem medidas urgentes" para evitar o colapso do controlo do tráfego aéreo neste Verão e "amortecer o impacto" nos "milhões de planos de férias" dos passageiros.

“Lamentavelmente, mais de 210 mil clientes da Ryanair tiveram os seus voos cancelados em Junho como resultado dos quatro fins de semana de greve e da contínua falta de pessoal no Reino Unido, França e Alemanha", disse em comunicado o diretor de marketing da companhia aérea, Kenny Jacobs.

(PressTUR com Agência Lusa)

 

Ver também:

Ryanair transporta mais quatro milhões no primeiro semestre

 

Clique para ver mais: Aviação

Clique para ver mais: Ryanair

Share
Tweet
+1
Share
Comentários
Escrever comentário

Outras Notícias

Ryanair e Wizz Air multadas em Itália por “prática comercial incorrecta” na cobrança da bagagem de mão

22-02-2019 (13h18)

A autoridade da concorrência italiana aplicou uma multa de três milhões de euros à Ryanair e de um milhão de euros à Wizz Air por “prática comercial incorrecta, na medida em que engana o consumidor no preço efectivo do bilhete, ao não incluir na tarifa base um elemento essencial do transporte aéreo que é uma bagagem de mão de maior volume”.

Mesmo com Brexit ‘à porta’, britânicos foram os turistas que mais despenderam em Portugal em 2018

21-02-2019 (17h54)

Os residentes no Reino Unido, mesmo com o adensar da perspectiva de um ‘divorcio litigioso’ com a União Europeia e apesar de uma quebra no alojamento turístico português, não só se mantiveram em 2018 os líderes em gastos turísticos em Portugal em 2018, como foram os que fizeram o segundo maior aumento.

Meliá abre hotel da marca Innside junto ao Aeroporto de Paris CDG

21-02-2019 (17h37)

A Meliá Hotels International anunciou hoje a abertura do seu primeiro hotel da marca Innside em França, uma unidade de 266 quartos localizada junto ao Aeroporto Internacional de Paris – Charles de Gaulle.

Turismo português em Malta mais do que duplica entre Janeiro e Novembro de 2018

21-02-2019 (10h12)

O número de turistas portugueses que visitaram Malta entre Janeiro e Novembro do ano passado atingiu os 20.701, o que corresponde a um aumento de 118,4% face ao período homólogo de 2017.

Grupo Air France KLM factura mais mas lucra menos em 2018

20-02-2019 (11h36)

O grupo de aviação Air France KLM, que reclama ser o maior da Europa em voos de longo curso, revelou hoje que em 2018 teve um aumento da receitas de transporte de passageiros em 1,6% (+4,1% sem flutuações cambiais), atingindo 22,9 mil milhões de euros, mas o seu resultado operacional caiu 382 milhões, para 994 milhões.