Passageiros afectados por incidente com o MSC Opera em Veneza serão reembolsados

04-06-2019 (10h53)

Foto: MSC Cruzeiros
Foto: MSC Cruzeiros

A MSC Cruzeiros anunciou que vai reembolsar os passageiros afectados pelo incidente com o seu navio MSC Opera em Veneza, no Domingo, e adiantou que cancelou o itinerário programado.

“A MSC Cruzeiros tomou a decisão de cancelar o cruzeiro actual até ao início do próximo e de reembolsar a cada passageiro o custo total do bilhete de cruzeiro e quaisquer serviços pré-pagos adquiridos”, indica a empresa em comunicado.

O MSC Opera, na chegada a Veneza, este Domingo, embateu numa doca e num barco turístico para atracar, conforme relataram órgãos de comunicação social italianos (clique para ler: MSC Opera embate na doca à chegada a Veneza).

Num comunicado divulgado ao fim do dia de ontem, a companhia de cruzeiros adianta que “as investigações para apurar as causas do incidente estão neste momento a demorar mais do que inicialmente previsto e, por esse motivo, dificilmente o navio voltará a navegar hoje ou amanhã [segunda ou terça-feira]”.

A empresa de cruzeiros, com sede na Suíça, refere também que “tem trabalhado desde o início em estreita colaboração com as autoridades envolvidas e disponibilizou total cooperação 24 horas por dia para ajudar a constituir todos os factos, bem como para recuperar todos os dados técnicos”.

A MSC Cruzeiros indica ainda que recebeu na manhã de segunda-feira permissão das autoridades para começar os trabalhos de restauração do navio, cujos estragos se limitam “à parte mais periférica do casco”.

A empresa avança que “o navio permanecerá disponível para todos os passageiros que pretenderem ficar a bordo, uma vez que ficará em Veneza até ao final do cruzeiro previamente programado”, e “todos os serviços e entretenimento a bordo continuarão a operar na sua totalidade”.

Já para os passageiros que quiserem desembarcar a qualquer momento e regressar a casa, “a MSC Cruzeiros vai disponibilizar toda a assistência necessária para o transporte e assumirá os custos”.

O acidente em San Basilio-Zaterre, no Canal Giudecca, pode ter acontecido devido à quebra de um dos cabos que ligam os navios de cruzeiro aos rebocadores que os ajudam a entrar nos canais, de acordo com o jornal Corriere della Sera.

A quebra do cabo faria com que o navio de cruzeiros não conseguisse parar por causa das fortes correntes que o empurravam para a doca, acrescentou.

O acidente causou dois feridos ligeiros e duas outras pessoas foram levadas para o hospital para observação, não tendo sido referida a sua nacionalidade.

O MSC Opera tem capacidade para transportar até 2.679 passageiros.

(PressTUR com Agência Lusa)

 

Clique para ver mais: MSC Cruzeiros

Clique para ver mais: Cruzeiros

Share
Tweet
+1
Share
Comentários
Escrever comentário

Outras Notícias

Ryanair espera voar com Boeing 737 Max em Fevereiro/Março

20-09-2019 (15h50)

O CEO do Grupo Ryanair, Michael O’Leary, afirmou que Fevereiro ou início de Março é a previsão mais real para começar a voar com aviões Boeing 737 Max, modelo proibido de voar desde Março, após dois acidentes fatais.

Ryanair quer que tripulantes da base de Faro aceitem alterar contratos para sazonais

18-09-2019 (18h13)

A low cost Ryanair admitiu em “nota” de distribuição restrita recuar no encerramento da base de Faro, mas dizendo que a sua continuação “poderá agora ser possibilitada pelo acordo das tripulações baseadas” na infra-estrutura “em mudar para contratos sazonais, para reflectir a natureza sazonal do tráfego de e para o Algarve”.

Sindicato dos pilotos da British Airways desconvoca greve de 27 de Setembro

18-09-2019 (17h52)

O sindicato dos pilotos da British Airways (BALPA) desconvocou a greve prevista para 27 de Setembro e pretende iniciar “novas negociações” com a empresa sobre as condições laborais, segundo anunciou hoje.

Governo português aprova medidas adicionais para eventual hard Brexit

12-09-2019 (15h11)

O Conselho de Ministros aprovou hoje medidas de contingência adicionais para o caso de o Reino Unido sair da União Europeia sem acordo (hard Brexit), estendendo o actual plano até ao final de 2020 em relação aos serviços financeiros e segurança social.

Crescimento do turismo internacional na Europa Mediterrânica acelerou para 6,2% no 2º trimestre

10-09-2019 (18h49)

A Europa do Sul e Mediterrânica, primeira região mundial em número de turistas recebidos, com 20,7% do total mundial em 2018, teve um aumento das chegadas em 6,2% no segundo trimestre, mais forte que a média mundial e europeia, bem como do que a sua evolução no primeiro trimestre.

Noticias mais lidas