Malta aposta na cultura e eventos para aumentar chegadas de turistas internacionais

15-05-2018 (16h20)

Foto: www.maltacultureguide.com
Foto: www.maltacultureguide.com

A cultura, a história e os eventos, que este ano têm uma programação mais extensa pelo facto de Valeta ser Capital Europeia da Cultura, são as novas apostas de Malta para aumentar a chegada de turistas estrangeiros, uma estratégia que já está a ter resultados positivos, disse ao PressTUR, Gavin Gulia, chairman do Turismo de Malta.

"Crescemos de 1,1 milhões de turistas em 2005 para 2,3 milhões de turistas em 2017 e estamos confiantes de que vamos alcançar os 2,5 milhões de turistas até ao final deste ano", começou por dizer Gavin Gulia.

Na sua opinião existem várias razões para o crescimento, incluindo uma "mudança geral na indústria do turismo a nível global" e "também uma mudança na visão da MTA [Malta Tourism Authority".

"Antigamente focávamos todas as nossas energias no meses de Verão, por causa do sol e mar, um produto que sempre vendemos, mas obviamente tínhamos um problema de sazonalidade. Então mudámos de estratégia", explicou o executivo.

A cultura e a história, aliados ao clima, quente no Verão e ameno no Inverno, foram as primeiras apostas, uma vez que o país tem uma riqueza histórica muito vasta.

Gavin Gulia destacou a história de Manuel Pinto da Fonseca, um português que foi eleito grão-mestre dos cavaleiros de São João, que morreu em Malta e está sepultado na Catedral de São João, em Valeta.

Por outro lado, o Turismo de Malta também investiu na programação de eventos, incluindo o Isle of MTV Music Week ou Festival do Barroco.

Desde a mudança de estratégia, "o crescimento é visível, porque deixámos de vender Malta só no Verão para passar a vender durante todo o ano, o que também acontece porque conseguimos atingir o mercado de city breaks", salientou Gavin Gulia.

Malta atrai também um série de nichos de mercado, desigadamente mergulho, turismo de aprendizagem da língua inglesa para jovens e séniores, turismo LGBT, casamentos, "especialmente da Índia", e cruzeiros, com o que soma cerca de "700 mil vistantes por ano".

 

Turistas portugueses em Malta

O número de turistas portugueses em Malta também deverá ter um crescimento forte este ano prevê Gavin Gulia, uma vez que em 2017 chegou aos 900 mil e este ano, só no mês de Abril, já somou 300 mil, um terço do total do ano passado.

O aumento está relacionado com a retoma dos voos regulares da Air Malta de e para Lisboa e da Ryanair de e para o Porto (clique para ler: Air Malta vai manter voos para Lisboa no Inverno e quer duplicar frequências em 2019 / Ryanair anuncia nova rota entre Porto e Malta).

 

Clique para mais notícias: Malta

Share
Tweet
+1
Share
Comentários
Escrever comentário

Outras Notícias

Ryanair diz que mais de 90% dos 50 mil passageiros com voos cancelados já têm alternativas

20-07-2018 (16h34)

A Ryanair revelou hoje que mais de 90% dos 50 mil passageiros com voos cancelados na próxima quarta e quinta-feira, dias de greve de tripulantes de cabina em Portugal, Espanha e Bélgica, já remarcaram os seus voos ou pediram reembolso.

Air Nostrum e CityJet juntam-se para criar “maior grupo europeu de companhias aéreas regionais”

19-07-2018 (12h24)

A Air Nostrum e a CityJet assinaram um acordo para criar o que dizem ser o “maior grupo europeu de companhias aéreas regionais”, com uma frota de cerca de uma centena de aviões e receitas anuais de aproximadamente 700 milhões de euros.

Aigle Azur já vende voos Paris - Pequim

19-07-2018 (11h36)

A companhia de aviação francesa Aigle Azur, detida maioritariamente pelo grupo chinês HNA e por David Neeleman, também accionista da TAP, já tem à venda os seus voos Paris Orly - Pequim, para os quais também propõe conexões para o Brasil, designadamente nos seus voos para Viracopos, Campinas, São Paulo.

easyJet recebe o seu primeiro A321neo

18-07-2018 (18h31)

A companhia aérea easyJet anunciou que recebeu hoje o seu primeiro A321neo, de 235 lugares, o maior avião da sua frota.

Ryanair explica acções que está a tomar face às greves que enfrenta para a semana

18-07-2018 (18h21)

A low cost Ryanair garantiu hoje que nenhum tripulante de cabina que adira às greves convocadas para a próxima semana em Portugal, Espanha e Bélgica será punido e garantiu que as acções que está a tomar são para "minimizar a disrupção junto dos nossos clientes".