Lufthansa lidera crescimento na Europa e destrona Air France

10-01-2019 (14h23)

Foto: Lufthansa
Foto: Lufthansa

O grupo Lufthansa foi o nº 1 da aviação europeia em crescimento do tráfego em 2018, com um aumento dos RPK (do inglês para passageiros x quilómetros voados) em 9% que lhe permitiu destronar o grupo Air France KLM.

Os dados publicados pelos maiores grupos aéreos europeus nos últimos dias indicam que o grupo Lufthansa, de que fazem parte a companhia alemã com o mesmo nome, a Swiss, a Austrian, a Eurowings e a Brussels, tornou-se em 2018 o maior grupo de aviação europeu ao somar mais 764 milhões de RPK que o grupo Air France KLM, de que fazem parte, além das companhias francesa e holandesa, também a low cost Transavia e as marcas HOP! e a Joon.

O grupo Lufthansa somou 284.561 milhões de RPK, com um aumento de 23.405 milhões em relação a 2017, enquanto o grupo Air France KLM, que foi líder em 2017, teve um aumento de apenas 3,5% ou 9.576 milhões, para 283.797 milhões,.

O IAG, de que fazem parte a British Airways, a Iberia, a Vueling, a Aer Lingus e ainda a Iberia Express e a Level, apesar de crescer mais que o rival Air France KLM, com um aumento do tráfego em 7,1% ou 17.838 milhões de RPK, manteve-se na 3ª posição, com 270.657 milhões.

Já em capacidade, medida em ASK (do inglês para lugares x quilómetros voados), o IAG subiu a nº 2 europeu, com 324.808 milhões de ASK, mais 1.775 milhões que o grupo Air France KLM.

O IAG teve um aumento de capacidade em 6,1% ou 18.623 milhões de ASK, enquanto o Air France KLM, que enfrentou várias greves de pessoal da companhia francesa, bem como de controladores aéreos, fez um aumento em apenas e,7% ou 8.450 milhões de ASK.

O grupo Lufthansa, com um aumento em 8,3% ou 26.668 milhões de ASK, manteve-se o grupo de aviação com mais capacidade no mercado, com 349.489 milhões de ASK

Porém, também foi dos três maiores grupos de aviação europeus o que teve o pior aproveitamento da capacidade, com uma taxa média de ocupação de 81,4%, enquanto o grupo Air France KLM teve 87,9% e o IAG teve 83,3%.

Os dados publicados pelos três grupos mostram que todos melhoraram o aproveitamento da capacidade em relação a 2017, com aumentos de taxa de ocupação de 0,7 pontos no IAG, e de 0,5 pontos tanto no Air France KLM como no Lufthansa.

 

Para ler mais clique:

Iberia foi a companhia do IAG que mais contribuiu para o crescimento do grupo

 

Clique para mais notícias: Aviação

Clique para mais notícias: Lufthansa

Clique para mais notícias: Air France KLM

Clique para mais notícias: IAG

Clique para mais notícias: Europa

Share
Tweet
+1
Share
Comentários
Escrever comentário

Outras Notícias

Ryanair assina acordo com a SiteMinder para vender hotéis na Europa

21-01-2019 (14h15)

A Ryanair, que há uma semana deu por terminada a sua incursão na venda online de pacotes turísticos, assinou um acordo com a SiteMinder para comercializar hotéis na Europa através da sua plataforma Ryanair Rooms.

Ryanair alega queda mais forte das tarifas para emitir profit warning

18-01-2019 (16h12)

A low cost Ryanair baixou em cerca de cem milhões de euros o intervalo da previsão de lucros do exercício 2017/2018, que termina em Março, apontando como causa uma queda dos preços dos voos mais forte do que antecipara.

Norwegian vai encerrar bases em Espanha, Itália e EUA

18-01-2019 (11h30)

A companhia de aviação Norwegian Air Shuttle anunciou que vai encerrar a partir de Abril várias bases em Espanha, Itália e Estados Unidos, para melhorar o seu desempenho financeiro.

Aeroportos portugueses já ficaram em Novembro abaixo do crescimento médio na União Europeia

17-01-2019 (17h49)

O estancamento do Aeroporto de Lisboa arrastou o país dos tops de crescimento da aviação comercial na União Europeia para níveis inferiores à média, de acordo com o ACI Europa, que até mostrou Faro no Top5 de crescimento em Novembro dos aeroportos com cinco milhões a dez milhões de passageiros por ano.

“A festa poderá estar a acabar em breve”, avisa director-geral do ACI Europa

17-01-2019 (17h47)

O director-geral do ACI Europe, Olivier Jankovec, citado em comunicado da organização, comentou que os dados de Novembro mostram que o transporte aéreo de passageiros “continuam a desafiar um ambiente geopolítico e económico crescentemente desafiador”, mas que “a festa poderá estar a acabar em breve”.

Ultimas Noticias