Lufthansa é o grupo de aviação europeu com mais passageiros em 2018

10-01-2019 (16h06)

Foto: Lufthansa
Foto: Lufthansa

O grupo Lufthansa reforçou em 2018 a liderança da aviação europeia em número de passageiros transportados, com um aumento em 10% ou 12,295 milhões, atingindo um total de 142,335 milhões.

O número 2 foi a Ryanair, que, com a Laudamotion, somou 139,2 milhões de passageiros, +8% ou mais 10,3 milhões que em 2017.

Seguiu-se o IAG, com 112,92 milhões de passageiros, +7,7% ou mais 8,09 milhões que em 2017, e, por último, o grupo Air France KLM, que foi o que menos cresceu entre os maiores grupos de aviação europeus, com 101,447milhões, +2,8% ou mais 2,736 milhões que em 2017.

Por companhias, a líder é a Ryanair, com 137 milhões de passageiros, +6,4% ou mais 8,23 milhões que em 2017, presumivelmente à frente da easyJet, que desde Novembro deixou de divulgar mensalmente os dados de tráfego, com os seus dados relativos aos primeiros dez meses do ano  mostrarem um total de 75,022 milhões de passageiros, +6,6% ou mais 4,62 milhões que no período homólogo de 2017.

Segue-se a Lufthansa German Airlines, com 70,108 milhões de passageiros, em alta de 6,5% ou 3,87 milhões, e presumivelmente a Air France, com 51,449 milhões +0,4% ou mais apenas 200 mil que em 2017.

Porém, não é possível ainda posicionar as companhias do IAG, pois este grupo não divulga o número de passageiros por companhia, mas apenas os RPK.

Neste indicador, que a Ryanair não divulga mensalmente, a maior companhia dos grandes grupos de aviação europeus é a Lufthansa, com 160.074 milhões de RPK, seguida pela British Airways, com 152.177 milhões, Air France, com 147.729 milhões, KLM, com 107.676 milhões, Iberia, com 61.354 milhões, Eurowings, com 52.609 milhões, e Swiss, com 50.204 milhões.

O aumento mais forte face a 2017 foi da Eurowings, em 23,4%, seguida pela Iberia, com +11,7%, Swiss, com +10,1%, Vueling, com +9,8%, e Aer Lingus, também com +9,8%.

O maior aumento absoluto de tráfego em RPK foi da KLM, com mais 22.986 milhões de RPK que em 2017, seguida pela Eurowings, com mais 9.962 milhões, Lufthansa German Airlines, com mais 6.906 milhões, e Iberia, com mais 6.413 milhões.

 

Para ver mais clique:

Lufthansa lidera crescimento na Europa e destrona Air France

 

Clique para mais notícias: Aviação

Clique para mais notícias: Lufthansa

Clique para mais notícias: Air France KLM

Clique para mais notícias: IAG

Clique para mais notícias: Ryanair

Clique para mais notícias: Europa

Share
Tweet
+1
Share
Comentários
Escrever comentário

Outras Notícias

Dormidas de turistas portugueses na Alemanha sobem 7,5% em 2018

20-03-2019 (17h45)

A Alemanha somou 484,4 mil dormidas de turistas portugueses em 2018, o que corresponde a um aumento de 7,5% face ao ano anterior, mas representa um abrandamento face ao crescimento alcançado em 2017.

Escócia adia taxas turísticas até pelo menos 2021

18-03-2019 (14h50)

O Governo da Escócia adiou a possibilidade de implementação de taxas turísticas até pelo menos 2021, referindo que perante o Brexit e as preocupações com as suas consequências é necessário garantir que o país está pronto para acolher visitantes.

British Airways renova produtos e serviços da Primeira Classe

18-03-2019 (14h08)

A companhia de aviação British Airways, que celebra este ano o seu centenário, anunciou que vai começar a implementar a partir de 31 de Março novos produtos e serviços na Primeira Classe, incluindo novas roupas de cama, amenities e menus.

Ministro da Economia destaca aumento de passageiros britânicos nos aeroportos portugueses

13-03-2019 (23h30)

O ministro da Economia, Pedro Siza Vieira, enalteceu hoje o aumento das chegadas de britânicos aos aeroportos portugueses em 16%, como, aliás, o PressTUR avançou esta segunda-feira.

Brexit: “tudo será criado” para que britânicos possam visitar Portugal como no presente

13-03-2019 (23h29)

"Tudo será criado para que os turistas do Reino Unido não sintam, apesar da saída do Reino Unido da União Europeia, qualquer alteração na experiência que tenham em Portugal", disse o ministro da Economia, Pedro Siza Vieira.