Fosun vai injectar quase 500 milhões na Thomas Cook

28-08-2019 (16h44)

Foto: Thomas Cook
Foto: Thomas Cook

O grupo chinês Fosun vai injectar 450 milhões de libras (497 milhões de euros ao câmbio de hoje) na Thomas Cook, ficando com 75% da área de operação turística e 25% da companhia aérea.

O acordo divulgado pela Thomas Cook, que deverá estar concluído no início de Outubro, também prevê que os principais bancos e detentores de títulos depositarão a mesma quantia em dinheiro para as partes opostas do negócio, ou seja, contribuindo com mais 497 milhões de euros para 75% da companhia aérea e até 25% dos negócios de operação turística.

O plano, sujeito a aprovações, resultará numa diluição significativa dos interesses dos accionistas, segundo avançou a Thomas Cook, indicando que o acordo de resgate foi a melhor maneira de garantir o futuro do grupo para todos os interessados.

Em comunicado, a empresa avançou que, num anúncio feito a 12 de Julho, comunicou aos accionistas que poderiam “ter a oportunidade de participar na recapitalização por meio de investimento ao lado da Fosun e converter credores seniores em termos a ser acordados”.

“O Conselho de Administração continua a proceder com base no facto de que uma recapitalização, alcançada com o apoio dos accionistas, é o meio preferido de garantir o futuro do Grupo para todos os seus stakeholders (incluindo clientes, fornecedores e funcionários), enquanto permite simultaneamente que accionistas actuais continuem a manter um investimento na empresa”, salienta esse comunicado.

“No entanto, espera-se que a recapitalização resulte numa diluição significativa dos interesses dos accionistas actuais na companhia aérea do grupo recapitalizada e reorganizada, sujeita a feedback dos credores, dos novos fornecedores de dinheiro e de outras partes interessadas”, conclui a nota de imprensa.

 

Clique para ver mais: Agências&Operadores

Share
Tweet
+1
Share
Comentários
Escrever comentário

Outras Notícias

MSC Cruzeiros assina três acordos com a Chantiers de l’Atlantique

20-01-2020 (17h42)

A companhia de cruzeiros MSC Cruzeiros e o estaleiro francês Chantiers de l’Atlantique assinaram três acordos que visam a construção de mais dois navios World Class, movidos a LNG, e o desenvolvimento de dois protótipos de classes de navio que privilegiam tecnologias ambientais.

Hoteleiros do Algarve e da Madeira esperam crescimento do mercado britânico este ano, AHP

16-01-2020 (09h53)

Os hoteleiros do Algarve e da Madeira esperam este ano um crescimento do mercado britânico, uma expectativa que a presidente executiva da Associação da Hotelaria de Portugal (AHP) atribui à estabilização política no Reino Unido após as eleições.

Grupos europeus de companhias de rede cresceram em média 4,4% em 2019

13-01-2020 (15h22)

Os três grandes grupos europeus de companhias de rede tiveram um aumento médio do tráfego de passageiros em 4,4% no ano de 2019, com o IAG, da British Airways, Iberia, Aer Lingus, Vueling e a Level, a ter a subida mais forte, em 5,6%.

Grupo Lufthansa transporta mais 2,85 milhões de passageiros em 2019

13-01-2020 (15h18)

O grupo Lufthansa, nº 2 da Europa em número de passageiros, depois do grupo Ryanair, transportou em 2019 um total de 145,19 milhões de passageiros, +2,3% ou mais 3,2 milhões que em 2018, de acordo com os dados que publicou hoje e que diferem em alguns milhares dos divulgados há um ano.

Lufthansa segue as pisadas da easyJet na cessação da informação mensal de tráfego

13-01-2020 (13h52)

Tal como a low cost easyJet fez há mais de um ano, também o grupo Lufthansa deixa de publicar mensalmente os dados de tráfego, afirmando que estará “em linha” a evolução das práticas de mercado.

Noticias mais lidas