Eddie Wilson é novo CEO da Ryanair, Michael O’Leary fica à frente do Grupo

30-08-2019 (16h55)

Eddie Wilson, até agora director de recursos humanos da Ryanair, assume a presidência executiva da companhia aérea irlandesa a 1 de Setembro, substituindo Michael O'Leary, que se mantém à frente da Ryanair Holdings.

Numa nota enviada aos trabalhadores da low cost, a que a agência noticiosa espanhola Efe teve acesso, Michael O'Leary anunciou que o seu substituto irá assumir o cargo "imediatamente", embora esteja programado um "processo de transição" de três meses.

Michael O'Leary mantém-se à frente do Grupo Ryanair, que inclui além da companhia irlandesa também a austríaca Lauda, a polaca Buzz e a Malta Air.

O executivo desejou a Eddie Wilson, que entrou na Ryanair em 1997, "êxito" no novo cargo, numa altura em que a empresa enfrenta "tempos muito difíceis", designadamente devido à saída do Reino Unido da União Europeia (Brexit), prevista para 31 de Outubro, e aos atrasos na entrega dos Boeing 737 MAX.

Michael O'Leary sublinha ainda que a Ryanair viu-se obrigada a fechar ou redimensionar algumas bases para "acomodar o facto" de ter menos 30 aviões do que o previsto este Inverno e "provavelmente o mesmo número, ou mais, no próximo Verão".

Na semana passada, a Ryanair anunciou que irá encerrar em 8 de Janeiro de 2020 as suas bases nos aeroportos espanhóis de Las Palmas, Tenerife Sul, Lanzarote e Girona.

Na sequência desse anúncio, o sindicato de tripulantes USO comunicou que a Ryanair já tinha iniciado um plano para despedir até 512 pessoas (clique para ler: Ryanair inicia processo para despedir 512 funcionários em Espanha).

Os tripulantes de cabina da companhia em Espanha convocaram uma greve para os dias 1, 2, 6, 8, 13, 15, 20, 22, 27 e 29 de Setembro, enquanto os pilotos apresentaram um pré-aviso de greve para os dias 19, 20, 22, 27 e 29 de Setembro.

A Ryanair apelou aos sindicatos para a desconvocação das greves, declarando-as “condenadas ao fracasso” uma vez que é “irreversível” o fecho das bases nas Canárias até que esteja resolvido o problema dos atrasos na entrega dos aviões B737 Max (clique para ler: Ryanair declara “irreversível” fecho das bases nas Canárias).

(PressTUR com Agência Lusa)

 

Clique para ver mais: Aviação

Clique para ver mais: Ryanair

Share
Tweet
+1
Share
Comentários
Escrever comentário

Outras Notícias

MSC Cruzeiros assina três acordos com a Chantiers de l’Atlantique

20-01-2020 (17h42)

A companhia de cruzeiros MSC Cruzeiros e o estaleiro francês Chantiers de l’Atlantique assinaram três acordos que visam a construção de mais dois navios World Class, movidos a LNG, e o desenvolvimento de dois protótipos de classes de navio que privilegiam tecnologias ambientais.

Hoteleiros do Algarve e da Madeira esperam crescimento do mercado britânico este ano, AHP

16-01-2020 (09h53)

Os hoteleiros do Algarve e da Madeira esperam este ano um crescimento do mercado britânico, uma expectativa que a presidente executiva da Associação da Hotelaria de Portugal (AHP) atribui à estabilização política no Reino Unido após as eleições.

Grupos europeus de companhias de rede cresceram em média 4,4% em 2019

13-01-2020 (15h22)

Os três grandes grupos europeus de companhias de rede tiveram um aumento médio do tráfego de passageiros em 4,4% no ano de 2019, com o IAG, da British Airways, Iberia, Aer Lingus, Vueling e a Level, a ter a subida mais forte, em 5,6%.

Grupo Lufthansa transporta mais 2,85 milhões de passageiros em 2019

13-01-2020 (15h18)

O grupo Lufthansa, nº 2 da Europa em número de passageiros, depois do grupo Ryanair, transportou em 2019 um total de 145,19 milhões de passageiros, +2,3% ou mais 3,2 milhões que em 2018, de acordo com os dados que publicou hoje e que diferem em alguns milhares dos divulgados há um ano.

Lufthansa segue as pisadas da easyJet na cessação da informação mensal de tráfego

13-01-2020 (13h52)

Tal como a low cost easyJet fez há mais de um ano, também o grupo Lufthansa deixa de publicar mensalmente os dados de tráfego, afirmando que estará “em linha” a evolução das práticas de mercado.

Noticias mais lidas