Crescimento da easyJet abranda ainda mais em Junho

05-07-2018 (12h29)

Foto: easyJet
Foto: easyJet

A low cost easyJet indicou hoje que terminou o mês de Junho com um aumento médio de passageiros de 2,3% que é o mais fraco desde Janeiro de 2015 e que fez com que o seu crescimento médio no primeiro semestre tenha ficado em 4,2% e que o seu crescimento médio anual tenha abrandado para 6,6%.

A companhia, porém, tem realçado que a sua operação tem sido fustigada por fortes aumentos do número de cancelamentos por problemas a que é alheia, bem como, adicionalmente, que ainda não está a incluir as operações em Berlim Tegel, que adquiriu na sequência da falência da Air Berlin.

Assim, para o mês de Junho indicou um total de 7,9 milhões de passageiros, acrescentando que isso corresponde a ter vendido 95,4% dos lugares que teve no mercado, +0,5 pontos que em Junho de 2017.

De acordo com estes dados, a easyJet transportou este Junho mais 181,2 mil passageiros que há um ano, enquanto o seu aumento de capacidade foi na ordem dos 139 mil, pelo que reduziu o número de lugares vazios nos voos em cerca de 43 mil (-10%).

No conjunto do primeiro semestre, a easyJet soma 40,4 milhões de passageiros, com um aumento de cerca de 1,63 milhões relativamente aos primeiros seis meses de 2017, e melhora a percentagem média de lugares vendidos em 1,1 pontos, subindo para 93%.

Este evolução, por sua vez, significou uma redução do número de lugares vazios nos seus voos em quase 11% ou 363 mil, para cerca de três milhões.

Em média anual, ou seja, nos 12 meses terminados a 30 de Junho deste ano, a easyJet está em 83,27 milhões de passageiros, com um aumento em 6,6% ou cerca 5,1 milhões em relação aos 12 meses terminados a 30 de Junho de 2017.

A low cost tem, assim, um aumento da percentagem média de lugares vendidos de 1,4 pontos, subindo pata 93,5%, a que, por sua vez, corresponde uma redução do número de lugares de avião que ficaram por vender em cerca 13,5% ou 910 mil, para aproximadamente 5,7 milhões.

 

Para ler mais sobre a easyJet em Junho clique:

easyJet queixa-se que teve 1.263 voos cancelados em Junho

 

Clique para mais notícias: easyJet

Clique para mais notícias: Aviação

 

Share
Tweet
+1
Share
Comentários
Escrever comentário

Outras Notícias

Ryanair e Wizz Air multadas em Itália por “prática comercial incorrecta” na cobrança da bagagem de mão

22-02-2019 (13h18)

A autoridade da concorrência italiana aplicou uma multa de três milhões de euros à Ryanair e de um milhão de euros à Wizz Air por “prática comercial incorrecta, na medida em que engana o consumidor no preço efectivo do bilhete, ao não incluir na tarifa base um elemento essencial do transporte aéreo que é uma bagagem de mão de maior volume”.

Mesmo com Brexit ‘à porta’, britânicos foram os turistas que mais despenderam em Portugal em 2018

21-02-2019 (17h54)

Os residentes no Reino Unido, mesmo com o adensar da perspectiva de um ‘divorcio litigioso’ com a União Europeia e apesar de uma quebra no alojamento turístico português, não só se mantiveram em 2018 os líderes em gastos turísticos em Portugal em 2018, como foram os que fizeram o segundo maior aumento.

Meliá abre hotel da marca Innside junto ao Aeroporto de Paris CDG

21-02-2019 (17h37)

A Meliá Hotels International anunciou hoje a abertura do seu primeiro hotel da marca Innside em França, uma unidade de 266 quartos localizada junto ao Aeroporto Internacional de Paris – Charles de Gaulle.

Turismo português em Malta mais do que duplica entre Janeiro e Novembro de 2018

21-02-2019 (10h12)

O número de turistas portugueses que visitaram Malta entre Janeiro e Novembro do ano passado atingiu os 20.701, o que corresponde a um aumento de 118,4% face ao período homólogo de 2017.

Grupo Air France KLM factura mais mas lucra menos em 2018

20-02-2019 (11h36)

O grupo de aviação Air France KLM, que reclama ser o maior da Europa em voos de longo curso, revelou hoje que em 2018 teve um aumento da receitas de transporte de passageiros em 1,6% (+4,1% sem flutuações cambiais), atingindo 22,9 mil milhões de euros, mas o seu resultado operacional caiu 382 milhões, para 994 milhões.